Blogs


Ana Júlia Ferro Abs

- Poetisa Alagoana
 


Publicado em 29/11/2021 às 11:30

ACONCHEGO

Um laço afetivo
Uma colcha de retalhos
Um pano bordado
Toalhas bordadas à mão
Me trazem um aconchego
O cheiro do passado
Presente na lembrança
Tão presente quanto o café
O café está sempre quentinho
Saboroso como uma doce lembrança
Das memórias afetivas
Dos corações aquecidos.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 22/11/2021 às 15:47

SOLAR

Ela olhava o sol sem janelas
o sol que aquecia, nascia dentro dela
ela transformava o cinza em aquarela
fazia florescer em seu interior, a flor mais bela
não havia tempo ruim para ela
um amor próprio corria em suas veias
sua essência era doce alquimia
transformava todo som e ruído, em melodia
ela dava o tom de poesia
o que sentia pela vida, era pura frenesia.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs
 


Publicado em 16/11/2021 às 13:43

Simpatia & Empatia

Simpatia aflora na face
É moça de sorriso perfeito
Empatia aflora no peito
No peito daquele sujeito
Simpatia te ganha na lábia
Empatia te ganha respeito
Simpatia eleva bondade
Empatia eleva a alma
E buscando sermos perfeitos
A simpatia a gente escolhe
E tem gente que ainda disfarça
Com empatia a gente acolhe
Fazendo o bem para outro de graça
O que recebemos em troca?
Uma prece bem singela
Dos lábios vai soltando-se
"Deus te abençoe meu filho"
É assim que a vida passa
Ser empata, não lhe custa nada
Não há no mundo nada melhor
Que receber de graça
A prece de uma pessoa grata.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs
 


Publicado em 08/11/2021 às 13:44

DE PARTIDA

Estou de mudança
caminhando para o mundo da lua
toda vez que a carne tua
encostar na alma minha
vou escorando o pensamento
ecoando o sentimento
o teu perfume exalando
vai penetrando em meus pulmões
estou fervendo por dentro
com seu carinho me desconcentro
o seu amor é o centro
és centro do meu universo
em paralelo, eu me encanto
meu bem querer é bem complexo
e eu não posso desmerecer
tudo que sinto quando estais perto
foi no alvorecer, o nosso encontro
rendeu todo um encanto
e logo mais, nos teus braços
eu descanso.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 01/11/2021 às 15:04

Janelas da Vida

Por trás da janela da vida
tem um dia quente e ensolarado
esse dia também nasce dentro da gente
tem gente se apegando a janela empoeirada
fazendo aquela vidraça cinza, deixar a vida esbranquiçada
mesmo que chova, mesmo que o céu não se mova
abra sua janela, tire a poeira do seu pensamento
deixa o ar refrescar seus pulmões
pegue alguns limões, faça uma limonada
deixe o azedinho do limão ir se perdendo
no saboroso pão de coco com goiabada
da vida não levamos nada
e o que eu quero da vida?
são as janelas empoeiradas
se abrindo para uma vida ensolarada.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs
 


Publicado em 25/10/2021 às 16:15

Fale de amor, seja amor

E falando de amor, não seja breve
e ao falar de amor, não sobrecarregue-se
quando sentir o amor, recarregue-se
ao doar amor, faça isso alegre
que o amor de Cristo, te regenere
que a força do amor, te fortaleça
que a nobreza do amor, te engrandeça.

Autora: Ana Júlia Ferro Abs 
 


Publicado em 25/10/2021 às 16:15

Fale de amor, seja amor

E falando de amor, não seja breve
e ao falar de amor, não sobrecarregue-se
quando sentir o amor, recarregue-se
ao doar amor, faça isso alegre
que o amor de Cristo, te regenere
que a força do amor, te fortaleça
que a nobreza do amor, te engrandeça.

Autora: Ana Júlia Ferro Abs 
 


Publicado em 18/10/2021 às 17:13

Bailarina

Amarra no alto um coque gracioso
nas bochechas rosadas despeja um blush rosado
veste a meia calça rosa bebê
em seus cabelos passa laquê
tem a sapatilha na ponta dos dedos
ensaia para o espetáculo
dá rodopios fazendo esvoaçar seus laços
no seu compasso, há tanta ternura
é tanta doçura, que nos fascina
alegre menina saltitante
és bela, és graciosa, és bailarina.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 12/10/2021 às 05:52

RENASCER

Um descontentamento vem de dentro
Abalando a calma
Afastando a alma
Desfazendo o juramento
Refazendo o pensamento
Colocando em pauta o isolamento
Refletindo o prisma
Refazendo os planos
Renovando a alma
Aflorando no peito
Melhorando os conceitos
fazendo surgir o RENASCIMENTO
brotando as alegrias
e dissipando os sofrimentos.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 04/10/2021 às 12:35

ANDARILHO

Olhou esperançoso para o futuro
Inebriado pela saudade do que ainda não viveu
Padeceu dos pecados que o atormentavam
Soltou as amarras da amargura
Sentiu uma bravura brotar
A camisa desabotoar
As botas retirarou dos pés
Seguiu em frente
Deixou para trás as correntes
As marcas estavam enraizadas na alma
Manteve a calma e foi Clemente
Andarilho andou só
Andarilhando soltou os nós.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs  


Publicado em 27/09/2021 às 18:54

IDEIA

A ideia quando propaga-se
é emendada em um rascunho
e desprendendo-se do papel
ela segue uma estrada reluzente

A ideia quando propaga-se
abraça o pensamento de outro alguém
ela ganha o mundo inteiro
sai viajando os continentes

A ideia quando propaga-se
é transmissão imediata
ela tem a valiosa missão
de conectar o mundo real ao lúdico
deixando tudo mais bonito e contente.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs  


Publicado em 21/09/2021 às 11:26

DECLAME-SE

Não sei se declamar é o jeito certo
está tão incerto o meu querer
tem dias de acalmar a alma
tem dias de derramar um verso
me parece ser o certo, mas não sei fazer
o jeito errado, vai dando certo
e mesmo não tenho um juízo perfeito
na vida há juízes para julgar o feito
todos os efeitos vou aceitando
e dar errado é o jeito certo
se aprende errando
se aprende amando
o amor tem um alto custo
e com amor é o mais justo a se fazer.



Autora: Ana Júlia Ferro Abs  


Publicado em 13/09/2021 às 14:04

Meu Quintal

Tem flor de laranjeira aromatizando o quintal
cachos de bananas apontando no bananal
vejo morango e caqui brotando no chão
o pé de limão está carregado
o aroma de hortelã me deixa relaxado
rosadas romãs prontas para colher
já coloquei a água para ferver
e tenho a liberdade de escolher
erva cidreira ou capim santo
sentado na varanda, satisfeito eu fico
Deus mandando do céu
meu sustento e meu abrigo.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs  


Publicado em 06/09/2021 às 14:33

SEJA GRATO

Murmure seus problemas baixinho
abra seu coração só um pouquinho
perceba o outro que está ao seu lado
esteja atento e escute o relato
perceba que a vida vai além
que o seu problema é pequeno
perto do problema de alguém
e o problema do outro
é seu problema também
eu te proponho um trato
para cada relato escutado
peça a Deus que o abençoe também
faça sua prece, seja grato
Deus abençoa quem pede pra si
e vai abençoando quem está ao seu lado
seja qual for o relato.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 30/08/2021 às 11:08

BEM-TE-VI

Num voo rasante
Pousou na janela
Por um instante
Leu nos olhos dela
Viu Uma alma cristalina
Sentiu um amor
Ela é pura purpurina
Bem-te-vi arregaçou o canto
Ele cantou bonito
Combinando, singelo
Com o seu encanto.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs  


Publicado em 23/08/2021 às 08:38

AQUARELA

Em aquarela vou pincelando
Um singelo aquário vai surgindo
No tom de azul ultramarino
Peixinhos palhaços são coloridos
Peixinhos listrados são furta cor
Peixinhos dourados são reluzentes
Algas marinhas, cavalos marinhos
Conchas, detrás das rochas
Um boneco mergulhador
Borbulhas explodem no coração
Transfiro o que sinto para a tela em branco
Transformo um aquário num belo encanto.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs  


Publicado em 16/08/2021 às 08:25

SER INVISÍVEL

Eu queria ser invisível
Para as estrelas do céu tocar
Me carregar de infinito
Até meus olhos marejar
Para cada estrela alcançada
Gotas de lágrimas derramadas
Sob a luz do luar

Eu queria ser invisível
Para as estrelas do mar tocar
Me carregar de infinito
Até meus olhos marejar
Para cada estrela alcançada
Gotas de lágrimas derramadas
Salgadas da água do mar

Eu queria ser invisível
Para maior estrela do céu tocar
Me aquecer de infinito
Até meus olhos marejar
Ao encostar no Sol
Me tornarei astro Rei
Tão feliz serei
E invisível me tornarei.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 09/08/2021 às 18:45

PINGOS D'ÁGUA

Era só um pingo d'água
Tempestade que deságua
Causando dilúvio em mim

Era só um pingo d'água
Eu não queria mais nada
Água cristalina limpa minh'alma

Era só um pingo d'água
E que não chova mais nada
O arco-íris à de surgir

Era só um pingo d'água
A esperança regada pela chuva
Brotou girassóis, feliz vou emergir.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 02/08/2021 às 09:51

FOTOGRAFIA

Aquele click exuberante
passou por nós despercebido
através da lente, se fez presente
a beleza que exalta
enxergo o mundo com clareza
um passarinho numa lâmina d'água
um jardim florido
um avião que pousa no céu
nesses registros estão expressado
toda a beleza que o artista sentiu
fotografia é a arte congelada
onde o fotógrafo por sua graça
congelou o momento mais bonito.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 26/07/2021 às 15:11

PRESENTE

Caixa amarrada com laço de fita
encontra suas mãos estendidas
para você um presente
embrulhado com carinho
seu olhar recebedor, me deixa felizardo
um pacote rasgado, solta o laço
e desprende no rosto o sorriso mais bonito
sua boca projeta em forma de prece
sussurra suave, seus lábios agradecem.

Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 19/07/2021 às 09:45

GRISALHOS

Meus fios dourados, não são dourados
em tons grisalhos, carrego-os comigo
um brilho dourado, por si banhados
alguns tão poucos, outros tão falhos
e todos estão carregados
das experiências
das vivências
das cadências
das descendências
vivo admirando-os com paciência
e com clemência, eu os mantenho
num véu dourado, por mim idolatrados
aclamados com decência.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 12/07/2021 às 13:10

TEMPO

Eu queria te proteger do tempo
Fazê-lo passar bem lento
Para eu não envelhecer
Poder te ver crescer

Eu queria protelar o tempo
E não perder mais tempo
Transformar um passatempo
No meu bem querer

Eu queria te proteger do tempo
E se o tempo bem quisesse
Não me deixar em desalento
Compassadamente

Sinto quão ardiloso é esse tal de tempo
Desviando nosso querer
Feito curvas ao vento.

Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 05/07/2021 às 09:00

O MENINO CORDELISTA

Ah, se ele escrevesse cordel
abençoado seja Gabriel
tão saudoso, ó meu Deus do céu
Ah, que lindo seria
nas terras por onde ele passasse
os cordéis que ele abraçasse
as barreiras que ultrapassasse
todos os versos que ele rimasse
tudo iria se iluminar
sairia mundo à fora
incendiando os corações
com seus cordéis a encantar.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs
 


Publicado em 28/06/2021 às 15:35

O Avião

Tenho asas, e posso voar
Posso voar para qualquer lugar
Tenho asas, e não tenho liberdade para voar só
Uma andorinha voando percorre o mar
Uma ararinha voando percorre a mata
Uma borboleta voando beija as flores
Um beija-flor voando bate asas tão veloz
E nós não estamos à sós
Eu tenho asas, posso voar
Posso te levar para qualquer destino
Traçada a rota, eu não escolho o caminho
Eu sou Avião, eu nunca viajo sozinho

Autora: Ana Júlia Ferro Abs
 


Publicado em 21/06/2021 às 09:38

TEMPORAL

Pingos de chuva me molham o tento
O temporal faz vendaval
Vai molhando por dentro
Desfazendo as mágoas
Disfarçando as falhas
Trazendo à tona os sentimentos
É de verdade a liberdade
Que me abraça forte
Me deixando firme em pensamento
Vou expandindo o meu sorriso
Com tudo isso
Melhora o tempo.

Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 14/06/2021 às 17:53

Um verso, um tesouro

Datilografando eu escrevo um verso
Num papel em branco
Eu teclo em preto
Eu teclo em vermelho
No imaginário, eu teclo em verde
E a cada tecla, uma esperança
Esperando que das três cores
Palavras sinceras se soltem
E versos poéticos se formem
Da máquina eu aguardo
Uma relíquia em ouro
Um verso solto vale mais que um tesouro.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 07/06/2021 às 22:11

COVID-19,20/21

Um país isolado
Todo mundo afastado
Cada um em sua casa
Cada um no seu quarto
Poucos sonhos se ascenderam
Tantos outros se apagaram
O mundo foi se adaptando
Enfrentando uma pandemia
Álcool nas nossas mãos
Sorrisos guardados por trás das máscaras
O trabalho ficou home Office
O sofá virou escritório
O quarto se transformou em sala de aula
As relações se estreitaram
Nas ruas o movimento parado
O divertimento paralisado
A economia em decadência
A fome em audiência
Incontáveis vidas perdidas
Saudades dos que se foram
Saudades por quem tá perto e ao mesmo tempo longe
Um país divido
Uns por sintomas de Covid
Outros com sintomas de saudades.


Autora: Ana Júlia Ferro Abs 


Publicado em 04/06/2021 às 15:01

Desvaneios

Dos devaneios que afligem o âmago 
qual deles aflora o tento? 
qual deles aguça os sentidos ?
qual deles desbrava os medos? 

Dos devaneios que se desprendem 
todos eles querem a imensidão 
todos eles desabrocham do coração 
todos eles se propagam como clarão 

Dos devaneios que me consomem 
metade deles trouxe de longe 
com a outra metade subi os montes 
e desaguei num lindo horizonte. 

Autora: Ana Júlia Ferro Abs