17/01/2017 10:11 - Atualizado em 17/01/2017 10:14

Prestes a completar 90 anos, Laura Cardoso festeja volta à ativa

 

RIO — Nem mesmo toda a vilania de Sinhá foi capaz de fazer com que o público — que muitas vezes não consegue separar criador de criatura —, quisesse ver a atriz Lauda Cardoso, sua intérprete, pelas costas. Pelo contrário. O afastamento da veterana da trama de “Sol Nascente”, por conta de complicações de uma infecção urinária, só fez aumentar o desejo dos espectadores de aplaudi-la. E ela voltou com força total, após 90 dias, com direito a festa do elenco.

— Foi muito difícil ficar fora de cena, longe dos colegas, da novela... É muito ruim não trabalhar. Eu ficava desesperada querendo gravar. Não via a hora de voltar. Pedia para o diretor Léo Nogueira, e ele dizia: “Calma”! Respeitei, mas estava muito ansiosa para esse retorno. Sempre tive confiança em voltar ao estúdio e finalizar essa obra maravilhosa — festeja ela.

Prestes a completar 90 anos, em 13 de setembro, Dona Laura, como é chamada entre os colegas, afirma que só pensa em continuar na agitada rotina de gravações e apresentações.

— Você pode ter a idade que for e estar na ativa. Se está bem de saúde e a cabeça boa, vai descansar? Não pode! O ser humano precisa de movimento. Movimento é vida. Vida é movimento. Se não se sente velha, vai à luta, trabalhar, fazer alguma coisa com o corpo, com a cabeça... — indica a veterana, que aproveita para orientar os jovens: — Seriedade. Estude muito e dedique-se demais ao que está fazendo. Somente com dedicação a gente chega lá. É importante ter vontade de acertar, se capacitar e seguir em frente acreditando que vai dar certo.

Aos rever os 65 anos de carreira, Laura Cardoso afirma que se acha uma mulher de sorte por ter sempre bons papéis, mesmo com o avançar da idade.

— Me dedico demais, respeito muito meus colegas e minha arte. Infelizmente, tem atrizes maravilhosas que não desfrutam das mesmas oportunidade que eu tenho. Nunca tive esse problema — comenta ela, que diz não ter medo da morte: — A gente está sempre querendo viver mais. Só que a vida tem um tempo. Às vezes curto, às vezes longo. Mas é a lei da natureza e a gente sabe que vai embora... É uma pena. O que eu fiz e o que vivi foi tudo sem arrependimentos.



Fonte: O Globo