21/10/2018 09:55 - Atualizado em 21/10/2018 09:56

Você professor, como utilizar a tecnologia em sala de aula?

 

Em pleno século XXI, a pergunta que dá título ao artigo ainda é feita por profissionais de diversas áreas, não apenas ao professor em sala de aula. Acontece que com o avanço tecnológico, as pessoas estão sentindo cada vez mais o fortalecimento de uma sociedade mais individualizada e com certas limitações e problemas de saúde em vista do uso indiscriminado dos aparelhos digitais. O professor, antes visto como o único acesso a informações em sala de aula, passa a assumir um dos papéis desse cenário informativo, pois as ferramentas tecnológicas se fazem presentes também no contexto escolar. O grande desafio das escolas hoje está em adaptar-se ao mundo contemporâneo com a inserção de ferramentas tecnológicas em sala de aula, ressaltando entre os desafios dessa inclusão digital, a importância dessas tecnologias e seus benefícios na didática do professor, em forma de metodologia de ensino. Vamos falar sobre isso?

A compreensão do comportamento humano, apontado por diversos autores das ciências humanas e naturais tem configurado como um campo extenso e passível de ser explorado. Um campo que se faz sob diversos outros campos do saber e entre eles a educação se mostra como protagonista de teorias cada vez mais comprometidas a analisar o fazer pedagógico na relação aluno e ambiente. Na atualidade marcos históricos possibilitam vieses ainda mais pertinentes ao cientista; primeiro por seu caráter relacional com a aprendizagem, segundo por abrir portas para novos desafios no que concerne a educação. Nesse sentido a era tecnológica se apresenta como favoráveis a educação e, com isso, possibilitou o advento das “Tecnologias da Informação” (TI) que mais tarde passou a ser chamada de “Tecnologia da Informação e Comunicação” (TIC).  Seu uso para fins educacionais tem ampliado discussões crítico-reflexivas necessárias para a problematização do tema em tela.

A utilização de aparelhos tecnológicos em sala de aula tem se mostrado efetivamente como uma ferramenta que possibilita a apropriação de conteúdo, como também desapropriação deste, uma vez que estas mesmas ferramentas se não utilizadas de forma correta, podem atrasar o desenvolvimento do aluno frente a distração facilitada no ambiente escolar. Na educação, a tecnologia contribui significativamente como meio pelo qual a vida em sociedade passa a ser tecnizada, ou seja, deve-se agora preocupar-se com a educação do homem para viver e significar seu ambiente repleto de tecnologia, utilizando nesse processo da própria tecnologia como meio para a aquisição da aprendizagem, pois “ […] a melhor forma de ensinar é aquela que propicia aos alunos o desenvolvimento de competências para lidar com as características da sociedade atual” (PRADO, 2005 apud LEITE, 2014, p. 114).

Nesse sentido, é válido considerarmos que não podemos conduzir uma aula na atualidade utilizando metodologias do passado. A escola enquanto um espaço coletivo de aprendizagens e significações deve estar alinhada ao contexto sociohistórico onde está inserida. A ciência já comprova que o cérebro das crianças da sociedade atual é fruto da hiperestimulação que recebe a todo instante, por isso os bebês da era digital desde muito novos já sabem conectar internet no celular e buscar o jogo eletrônico de sua preferência, bem como fazer pesquisas no youtube. Este contexto indica acesso a reforçadores com muito menos esforço, se compararmos com a era passada. Na palma da mão dessas crianças está uma fonte de reforçamento extremamente importante capaz de contribuir de forma significativa em seu desenvolvimento, desde que utilizado de modo a contribuir nesse processo.

Uma discussão merece ser ampliada nesse sentido, a qual refere-se ao uso dessas tecnologias para fins de aprendizado na relação professor-aluno. Tê-las disponíveis não é suficiente para a garantia de um ensino-aprendizagem efetivo e de qualidade. Nesse sentido, criatividade e dinamismo são características que o professor deve obter para que se concretize o real objetivo do aluno na instituição de ensino, independente de sua formação escolar/acadêmica, pois o espaço deve ser compreendido como um espaço onde ferramentas educacionais sirvam de alicerce e meio pelo qual a educação se efetiva.

Dessa maneira, o processo de ensino aprendizagem na atualidade deve contemplar o uso constante dos diversos aparelhos tecnológicos disponíveis para a aquisição de uma melhor metodologia na sala de aula, a fim de acompanhar o crescimento de seu uso na humanidade. Muitas das perspectivas pensadas sobre as tecnologias como processo formativo foram cumpridas. Vê-se como exemplo a educação à distância, livros digitais, videoconferências, caixas eletrônico, correio eletrônico etc. Não se pode esquecer, que agregados ao desenvolvimento tecnológico estão os problemas sociais que também são provenientes dele (SILVA e CORREIA, 2014).

Em relação aos aparelhos celulares, estes aparelhos de telefonia móvel bastante comuns em sala de aula, normalmente são utilizados para compartilhamento de materiais didáticos enviados pelo próprio professor por sistemas de conexão on line via internet seja fora em dentro da sala de aula. Nesse sentido, a bagagem do profissional da educação para utilizar-se desses meios a fim de melhorar sua metodologia de ensino é facilitada pela familiaridade com o aparelho tão comuns nos espaços sociais. Bem como, o mesmo aparelho quando não utilizado para fins de compartilhamento de dados, tem se oportunizado como um auxílio de resolução de problemas matemáticos, principalmente entre alunos de ensino médio que se deparam com fórmulas matemáticas que requerem o auxílio de uma calculadora e/ou de aplicativos de desenhos. Nas demais aulas, esses aparelhos são eficazes na edição e programação de apresentações expositivas em sala de aula, auxiliando na aquisição do conteúdo.

Dessa forma, compreende-se que a utilização desses aparelhos impactam de forma definitivamente positiva no processo de ensino aprendizagem do aluno, no ambiente de sala de aula, principalmente quando a escola dispõe desses materiais e os professores estão motivados para utilizá-los como recurso metodológico para melhor apropriação do conteúdo por parte do aluno.




Diego Marcos Vieira da Silva
Psicólogo Comportamental CRP15/4764
@psicodiegovieira