26/03/2017 23:15

Terapia Para Manter O Casamento

 

Nesta semana dedicada a São José, esposo de Maria, mãe de Jesus, eu decidi escrever sobre o Matrimônio, inspirado nessa Sagrada Família que nos dá exemplo de união, de paz, de ternura e de obediência com os ensinamentos de Deus, simbolizado pelo Amor e pela Tolerância. São José, o homem trabalhador, bom e justo, deu testemunho à humanidade de possuir humildade e saber perdoar quando “percebeu” que Maria estava grávida e o filho não foi gerado por ele.

Mas, São José era um viúvo, pai de dez (10) filhos, sendo oito (8) do sexo masculino e duas (2) do sexo feminino, que vivenciou no seu dia a dia o exercício da prudência, do companheirismo, da proteção e da aceitação. Quando perdeu a primeira esposa não blasfemou contra Deus ou contra o Mundo, porque era um homem devotado à obediência e ao amor divino. Com certeza, em algum momento da sua vida na companhia da sua primeira Esposa, São José deve ter tido momento conturbado, incerto, conflitante, duvidoso, porque num relacionamento entre um homem e mulher geralmente acontecem situações imprevisíveis, isto porque são seres de natureza diferente, de cultura opostas e de comportamentos antagônicos. Tudo pode ter acontecido nessa união, que nós desconhecemos, mas que, provavelmente, tinha mais compreensão do que discórdia. E a prova mais segura dessa relação harmoniosa é que Deus escolheu José para ser pai adotivo de Jesus, porque conhecia sua bondade e sua honestidade. Maria, por sua vez, foi escolhida para ser Esposa de José e mãe de Jesus, porque era uma mulher sensata.

Aliás, esse tipo de mulher, diz a Bíblia em provérbios, conquista respeito e admiração, fala com sabedoria e ensina com amor. A mulher sábia edifica o seu lar, mas a mulher insensata derruba sua casa com as próprias mãos. A mulher sensata, que é casada, é uma benção para o seu marido e, se tem filhos, sabe ensinar aos homens a ter um relacionamento íntimo com Deus. A mulher sensata é a abençoada por Deus. Essa dedicação a Deus traz sabedoria à mulher e se reflete em todas as áreas da sua vida: no lar, no trabalho, nos negócios, na Igreja, no lazer... A mulher sensata é uma “graça” para todas as pessoas à sua volta. Ela é um exemplo e faz a diferença no lar, no trabalho e na sociedade. A mulher sensata se reveste de força, de coragem e de dignidade; ela sorri diante do futuro e nada a faz desacreditar. E por ser sensata, ela é também bondosa, humilde, fraterna e tolerante. Finalmente, diz a Bíblia em Provérbios: “Uma Esposa exemplar; feliz quem a encontrar! É muito mais valiosa que as pérolas”.

Não existe motivo fútil ou banal que faça um casal sensato buscar a Separação ou o Divórcio. Há dois mil anos atrás, quando “percebeu” que sua Noiva estava grávida e que esse filho não era dele, São José pensou em abandoná-la para que ela não fosse punida com a morte por apedrejamento, que era o costume na época. Ele simplesmente fugiu de casa por uma noite. Foi para o deserto próximo à sua residência. Chorou, gritou, mas o anjo Gabriel durante a madrugada o visitou em sonho e o acalentou dizendo que ele tivesse fé; que Maria era honesta e aquela obra não era dos homens, mas tão somente de Deus. “Volta para casa, porque Maria te espera”, disse o Arcanjo.

Ora, não se pode admitir que qualquer problema, qualquer crise, destrua uma relação amorosa, porque toda a raiva, toda decepção é temporária, transitória. José soube ouvir (escutar) o conselho do Anjo Divino, que salvou o seu casamento. E não só foi isso. O Arcanjo Gabriel, em sonho, apareceu para José para lhe dar um novo aviso: “Herodes quer matar o menino Jesus”, você e Maria têm que fugir para o Egito. E José obedeceu. Pensemos nisso! Por hoje é só.