13/08/2017 06:08

AGOSTO, MÊS DO DESGOSTO – Última Parte

 

No Século I, os antigos povos romanos acreditavam que um dragão cuspindo fogo passeava pelo céu noturno em agosto (mês, aliás, batizado por eles em homenagem ao imperador Augusto César). Seria um dos filhos de Daenerys Targaryen? Nada disso. Era apenas a constelação de Leão, que fica mais visível durante essa época do ano.

Aliás, o mês de agosto representa o número 8, que nos estudos da numerologia simboliza a vida o resultado prático do que cada um de nós produz durante a vida, por essa razão é um mês tão radical. Isso que nos expressar que tanto poderemos ter sucesso quanto fracasso, ou seja, fama ou fracasso. Na opinião do numerólogo Yubertson Miranda: “Se temos agido com consciência, maturidade e perseverança para realizar nossas metas, o resultado será promissor. Caso contrário, não receberemos uma reação próspera da vida. E não adianta culpar o destino, a vida ou o mês de agosto. É simplesmente a lei de ação e reação ocorrendo de forma explícita. O número 8 se parece muito com o número 13 - enquanto algumas pessoas o amam, outras detestam. Uns consideram um número de sorte, outros de azar”.

Segundo a numerologia o número 8 (oito) significa “tenacidade”, “coisas do mundo”. É um número prático e pertence às pessoas sucedidas que se dão bem no mundo dos negócios. Tem muito haver com as coisas materiais (em oposição às coisas espirituais). São pessoas que trabalham duro, desenvolvendo autoconfiança, ambição, poder e habilidades humanas. Mas, aqui, ocorre, uma reflexão: nunca deve se deixar atrair de maneira obsessiva pelo prazer do poder e do dinheiro que estes possam proporcionar ao homem, porque o ser humano corre o risco de tornar-se materialista, voltar-se apenas para o acúmulo de bens, tornando-se um ser intolerante, arrogante e radical. As coisas do mundo torna o homem insatisfeito e depressivo...

Assim sendo, nos países latinos, Agosto é o mês do desgosto, das desgraças e das infelicidades. Na opinião do folclorista pernambucano Pereira da Costa: "agosto é um mês aziago, é um mês de desgostos; e é de mau agouro para casamentos, mudanças de casa e empreendimentos de qualquer negócio de importância" (Folclore Pernambucano, p.116). Para Pereira da Costa: "O diabo aparece furtivamente, iludindo a vigilância dos arcanjos, que o trazem sob as suas vistas, armados de flamejantes espadas; mas, no dia de São Bartolomeu, a 24 de agosto, o diabo solta-se licenciadamente do inferno, e fica em plena liberdade. Por isso é prudente a gente prevenir-se para não cair nas suas ciladas (...)”.

Essa ideia de que Agosto é o mês do Desgosto, nós herdamos dos nossos colonizadores portugueses. No século 16, época das grandes navegações, era nesse mês que as caravelas navegavam no mar, na busca de novas conquistas. Por isso, as namoradas e as noivas dos navegadores nunca casavam no mês de agosto, porque elas não podiam desfrutar da lua-de-mel, além do mais, poderiam passar rapidamente da condição de recém-casadas para a de viúvas, em virtude do risco dos seus amados em alto mar. Por isso a tradição portuguesa consagrou a expressão “casar em agosto traz desgosto”, segundo afirmação do escritor Mário Souto Maior, que depois foi resumida para a frase conhecida: “agosto, mês do desgosto”.

A fama de mês agourento cresceu ainda mais na cultura luso-brasileira, durante o século 20, graças a desastres e acontecimentos como o Início da Primeira Guerra Mundial (1º/08/1914), a Destruição da cidade japonesa de Hiroshima por uma bomba atômica lançada pelos EUA (06/08/1945), o suicídio de Getúlio Vargas (24/08/1954), o Início da construção do Muro de Berlim, na Alemanha (13/08/1961), a renúncia de Jânio (25/08/1961), a morte prematura da atriz norte americana Marilyn Monroe (05/08/1962). Também foi no início do mês de agosto de 2003, que Sílvio Santos, dono da Rede de Televisão SBT, em tom de brincadeira, ousou dizer que iria morrer, mas Roberto Marinho, presidente das Organizações Globo, aos 98 anos, morreu em primeiro lugar no dia 06 de agosto de 2003... Por isso, é preciso varrer das nossas mentes os maus sentimentos, pensamentos e ações negativas durante os meses que antecedem o mês de agosto, para garantir a nossa sobrevivência... Isso se for possível... Mas, essa é outra história! Pensemos nisso. Por hoje é só!