04/08/2019 07:45

DOMINGOS DE GUSMÃO, O SANTO DO ROSÁRIO

 

No próximo dia 8 de agosto, celebra-se a memória do Santo Domingos de Gusmão. Esse personagem foi o fundador da Ordem dos Pregadores, também conhecida como a Ordem dos Dominicanos ou Frades Mendicantes, que resume em dois pontos fundamentais: estudo e pobreza. São Domingos também fundou a “Ordem Segunda”, a qual é dirigida apenas às mulheres. Este santo também é considerado pela Igreja Católica o Padroeiro dos Astrônomos, por seu caráter metódico e firmíssimo que dava grande importância aos estudos, como premissa indispensável ao dever apologético dos frades pregadores. Ele nasceu em 24 de junho de 1170, numa família de alta linhagem, na pequena vila de Calaruega na Espanha, tendo como pai carnal Félix de Guzman e como mãe Joana de Aza, mulher que se distinguiu pela grande piedade. Na época, este lugar pertencia ao reino da Castela Velha, Berto de Burgos e da abadia de Silos. Antes do seu nascimento, sua mãe viu em sonhos que carregava no útero um cãozinho, que trazia uma pequena tocha ardente na boca e que, ao sair do ventre, incendiada o universo todo com ela. Aliás, outra etimologia conhecida na época, dizia que “Domingos”, representava o “cão do Senhor”, indicando a fidelidade e a combatividade do Santo diante de Deus. Por outro lado, na Idade Média, o “cão” designava os “pregadores” ou “escravos de Deus”.

De família nobre, com “estatura média, corpo esguio, rosto bonito e levemente corado, cabelos e barba levemente vermelhos, olhos luminosos” (assim uma freira dominicana nos apresenta o retrato falado do santo), acostumou-se, desde muito jovem, às duras penitenciais. A sua única riqueza eram os livros, que, todavia, não hesitou em vendê-los, num ano de caristia, para poder distribuir comida aos famintos. Desde criança, Domingos já apresentava sinais de ser uma pessoa culta, ao mesmo tempo em que se mostrava extremamente caridoso com os mais desafortunados. “Domingos” quer dizer “guardião do Senhor” ou “guardado pelo Senhor”, de acordo com a etimologia do nome, pois, Dominicus [Domingos] vem de dominus, que significa “Senhor”. E ele foi o Guardião do Senhor de três maneiras: guardando a honra de Deus, guardando o próximo, a vinha e o rebanho do Senhor, e guardando em si mesmo a vontade do Senhor ao respeitar seus mandamentos.

Aos 24 anos, ele foi ordenado padre e, devido a sua grande competência no exercício do seu ministério, Domingos foi convocado para atuar no governo do rei Afonso VII, da Espanha. Como sacerdote e cônego da Diocese de Osma se distinguiu pela retidão, zelo, pontualidade das funções e espírito de sacrifício. Sua vida que corria pelo fio da regularidade, teve uma reviravolta decisiva quando ainda cônego, atravessando os confins da Castela Velha, teve os primeiros contatos com os hereges, albigenses cátaros, valdenses e patarinos, bastante numerosos no Languedoc, além de ressuscitarem uma confusa doutrina gnóstica e maniquéia, enganavam o povo e em particular as mulheres ostentando pureza e pobreza de vida. Portanto, entre as principais ações deste santo, tem-se destaque o combate a “heresia dos cátaros”, que defendiam a ideia da reencarnação.

Enquanto a Ordem dos Missionários Cistercienses, chegados em Languedoc, circulavam bem equipados em cavalos, Domingos de Gusmão caminhava a pé, andando descalços, dormindo no chão, jejuando e vivendo de esmola. Ao contrário dos missionários cistercienses, não teve a intenção de formar uma “elite de intelectuais”, mas formou Arautos do Evangelho, e em suas peregrinações parava de bom grado também junto aos mais humildes carroceiros, propondo-se a falar de Deus para todos. Foi o papa Honório III quem aprovou a Ordem dos Pregadores, sob a Regra de Santo Agostinho (Frades Agostinianos). Da mesma forma, em 1214, em Toulouse, na França, enquanto orava e fazia penitencia, São Domingos instituiu a devoção da ORAÇÃO DO ROSÁRIO, como meio de conversão dos Hereges, cuja prática consiste em se recitar quinze Pai-Nossos, e depois de cada Pai-Nosso, uma dezena de Ave-Marias, para honrar os quinze principais mistérios da vida de Jesus e da sua Santa Mãe. O terço é a sua terça parte. Rezá-lo bem é unir a oração do coração à oração vocal.

Ele morreu aos 51 anos de idade, em 8 de agosto de 1221, na cidade de Bolonha. 13 anos após a sua morte, São Domingos de Gusmão foi canonizado pelo Papa Gregório IX, no dia 3 de julho de 1234. Pensemos nisso! Por hoje é só.