Blogs


Glifson Magalhães

- Bacharel em Administração pela FAL – Faculdade de Alagoas (Estácio)

- Tecnólogo em Gestão Financeira, pelo Centro Universitário Mário Pontes Jucá,
- Pós-graduado em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pelo CESMAC.
- Especialista em estudo e consultoria na área de Inteligência de Mercado com aplicação de gestão de dados por BI (Business Inteligence).
Atua em:
- Políticas públicas para micro e pequenas empresas
- Captação de empreendimentos industriais e centrais de distribuição
- Saúde Pública
- Governança Pública
- Diagnóstico empresarial, planejamento estratégico e finanças corporativas.
- É Assessor de Governança Corporativa no Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho em Arapiraca.
 


Publicado em 24/11/2021 às 09:42

Falando de Finanças & Negócios MICROFRANQUIA, empreender com pouco dinheiro

Antes de explorar as oportunidades que as microfranquias nos traz, é importante entender o que é uma “Franquia”. De Acordo com a Lei de Franquia Empresarial (Lei nº 8.955/1994), franquia é um sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso da marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos ou serviços. Ou seja, em termos práticos, é um modelo de negócio já testado, que é replicado através dos direito de uso da marca, sistema de gestão e comercialização dos produtos ou serviços por um “Franqueado” que pode ser qualquer pessoa.

Então a nomenclatura “microfranquia”, foi criada como forma de segmentar o perfil de franquia onde o foco é o “valor de investimento”, para estes casos, o valor de investimento inicial não ultrapassa R$ 105 mil reais.

As microfranquias tem se popularizado cada vez mais no Brasil, principalmente por ser um atalho para muitas pessoas que querem empreender, seja por necessidade ou por oportunidade, pois muitas delas permite

A ABF – Associação Brasileira do Franchising tem um site que ajuda empreendedores a identificar franquias, separando-as pelo valor de investimento, onde através do link www.portaldofranchising.com.br, você poderá conhecer empresa por empresa, valor de investimento, modelo de negócio (quiosque, home based, loja virtual, dentre outros):



Vai minha primeira dica. Ser franqueado não quer dizer que o negócio vai andar com as próprias pernas, você (franqueado) é dono e o funcionário n° 1 da empresa, então, é extremamente importante se identificar com o produto e o modelo de negócio. Perceba que cada segmento tem dias e horários específicos de funcionamento, vai depende do local (ponto de venda) e se será comércio de produtos ou serviços.

Dica n° 2, fique atento as taxas e royalties que a franquia lhe cobrará mensalmente, isso impactará diretamente no caixa da sua empresa e seu fluxo de caixa precisará ser bem provisionado dentro do investimento inicial para que você não fique em débito logo nos primeiros meses.

Dica n° 3, analise o tipo de suporte que você receberá. A franquia disponibilizará treinamento, modelos de documentos, sistema informatizado, design gráfico e layouts de loja (arquitetura e design de ambientes).

Dica n° 4, dentro do valor de investimento inicial observe se já está previsto material de consumo para se utilizar na realização do serviço a ser prestado, ou se a empresa for de comercialização de produtos, se já está previsto o valor necessário para aquisição de mercadorias para revenda.

Quanto maior o porte da franquia, mais particularidades contratuais serão previstas, a princípio, nas microfranquias o acesso e formalização é simplificado, podendo inclusive o microfranqueado abrir um CNPJ como MEI.

Já vi franquias com investimento inicial em torno de R$ 3.100,00, lembrando que sendo bem prático, muitas franquias são como representações comerciais, e hoje é uma prática muito comum, revenda de lingerie, utensílios domésticos a base de plástico e roupas, no entanto, um dos diferenciais das franquias é poder levar um produto ou serviço inédito a sua cidade e isso pode ser uma grande oportunidade para quem busca empreender.

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 21/11/2021 às 18:10

Falando de Finanças - RENDA EXTRA (Parte 2)

Este tema é muito empolgante, quanto mais se discuti, mais ideias surgem, muitas vezes precisamos estar no dia-a-dia andando e observando o que as pessoas estão fazendo e a partir daí identificar como aproveitar a “onda” das oportunidades. Escrevendo aqui, já me veio um “insight”, Arapiraca entrou na onda da prática de “Beach Tennis”. De imediato sou levado a pensar em como eu posso aproveitar este momento. Primeiro passo, visite uma quadra, veja vídeos no YouTube, busque perfis que tratam sobre o tema. O estalo em sua mente é inevitável.

Então, vamos para mais uma relação de Opções para fazer Renda Extra:

1. Vender Doces e Salgados (Brownie, Brigadeiro, Palha Italiana)
2. Produzir Artigos(R$ 50 a R$ 500,00)
3. Cuidar de Animais (Pets - 150 milhões de animais) depois você pode vender ração, brinquedos, acessórios...
4. Trabalhar como Garçon, Waiter ou Barman.
5. Editar Vídeos

Muitas vezes você deve pensar: Será que isso vende? As pessoas compram? Tem interesse? Quer a resposta, vai a campo, conversa com amigos o que eles acham do produto, e depois faz o teste, tenta vender.

- Toda ideia, é apenas uma ideia até que se coloque em pratica.

Não podemos ter medo de correr atrás, devemos pensar em nosso bem estar e o de nossos familiares, para isto precisamos pensar positivamente e aprender a “Vender”. Vou ajudar a criar proposta pequena de fazer vendas:

1. Faça pequenas demonstrações para coletar feedback e aprimorar seu produto/serviços;
2. Pegar o feedback e realizar melhorias no produto e não ficar com raiva do cliente;
3. Qual o melhor momento/horário do dia para vender o produto? Dias específicos?;
4. Busque identificar o público-alvo do seu segmento, facilita a formatação...
5. Saiba cobrar o valor justo. Tem formas de precificar, ou então, buscar sugestão de preço junto ao cliente.
6. Se não conseguiu realizar a 1º venda, seu produto não foi aceito?.

Busque informações, converse com seu cliente, pergunte porque não quis, se já consome de outro fornecedor, o que ele acha dos outros produtos, como é a forma de pagamento e o que faz ele(a) preferir o outro produto.

Mãos a obra e Boa Sorte! 


Publicado em 28/09/2021 às 18:17

Falando de Finanças - RENDA EXTRA (Parte 1)

Importante acompanhar a economia do Brasil e do Mundo. Pois bem, agora em setembro a inflação subiu para 8,45%, a taxa Selic para 6,25%, na prática, nós estamos pagando mais caro por tudo que consumimos. Para provar, observe em seu dia-a-dia, quanto você paga nos gêneros alimentícios na feira, combustível, material de construção, produtos eletrônicos e outros que você estiver acompanhando preço.

Pensando nesta situação, trago hoje a primeira parte de um artigo para te ajudar, dar algumas ideias, para você que, mesmo diante destas dificuldades continua sonhando em dar sempre um passo para frente, e não tem saída, temos que aumentar nossa renda, e é nisso que vamos falar hoje.

Acredito que você saiba o que é renda extra. Vamos deixar claro, pois precisamos entender que é a realização de uma atividade remunerada, no momento em que estamos ociosos, ou seja, não estou fazendo nada em casa e termino indo assistir televisão, ficar olhando o celular as redes sociais, conversar no WhatsApp, entre outras atividades que consomem nosso tempo e não nos trazem retorno. Então sugiro, é melhor utilizar esse tempo para ganhar dinheiro e complementar a renda. Pois bem, se você investe muito do seu tempo em atividades que não te levam a lugar algum, acho melhor ver o quanto de oportunidade está perdendo. Vamos a algumas ideias fáceis de implementar.

Coisas que você pode fazer e vender:

1. Salada de Frutas
Fácil de fazer, e existem diversas receitas na internet, e o melhor é barato. Mas como farei para vender? Uma das formas é levar para o trabalho e oferecer aos colegas, depois buscar parcerias com outros ambientes (lanchonetes, academias e restaurantes), mas sempre buscando diferenciais, tipos de fruta, e outros ingredientes.

2. Revenda de Produtos (produto de fabricação nacional ou importado, para vender no atacado ou no varejo)
Identifique algo que as pessoas na sua região queiram comprar e tem dificuldade de acesso, uma forma de fazer isso é atuar com revenda produtos que são vendidos exclusivamente pela internet.

3. Papelaria Personalizada, para festas e empresas;
Com a vacinação e controle da epidemia do Covid-19 as festas estão voltando e ficarão em alta por um bom tempo. Realizar um investimento em computador, impressora a jato de tinta e uma impressora de corte poderá te ajudar a ganhar uma boa grana trabalhando a noite em casa. Faça o teste, crie alguns modelos, inicie conversa com espaços de festas e organizadores e decoradores, mostre seu produto.

4. Sobremesa Fitness (Cookies Fitness)
De 10 anos pra cá, o mundo fitness tem crescido bastante (academias, roupas, equipamentos, suplementos e hoje produção de alimentos fitness), as pessoas buscam sobremesas, bolos e refeições diárias com a pegada fitness, não apenas pela estética, mas também para manter o corpo saudável, equilibrando seus nutrientes. Importante investir em um curso para aprender um pouco mais. Na internet tem muitos cursos/vídeo aulas.

 


Publicado em 23/08/2021 às 23:12

Formalização como MEI

Empreender não é fácil. Temos que identificar uma oportunidade, se preparar para realizar vendas, atender bem o cliente, verificar estoque, emitir nota fiscal, pagar tributos, e muitas outras atividades que todo bom empreendedor realiza, pois se preocupa consigo e com seus clientes. É ai onde entra a necessidade de se formalizar para poder continuar crescendo.

Acima de tudo, formalizar-se, significa ter personalidade jurídica, ou seja, ter um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), e junto a isto, novas responsabilidades vem junto, mas também tem inúmeras vantagens, vamos listar algumas.

A principais vantagens são:

1) Você pode abrir uma conta corrente pessoa jurídica;
2) Ter acesso a fornecedores que só vendem para pessoa jurídica;
3) Poder tirar alvarás e licenças;
4) Poder emitir nota fiscal;
5) Poder vender para empresas privadas e para o governo (licitações);
6) Ter acesso a empréstimos e financiamentos;
7) Poder realizar a declaração de renda simplificada;
8) Contratar 1 funcionário com carteira assinada;
9) Ter direitos previdenciários.

Principais Obrigações

1) Realizar a Declaração Anual do Faturamento do Simples Nacional (DASN-SIMEI) até o dia 31 de maio de cada ano;
2) Pagamento mensal do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), de acordo com a atividade que o empreendedor realize e conforme detalhamento abaixo (válido para 2021):
Comércio ou indústria: R$ 56,00 (R$ 55,00 do INSS + R$ 1,00 do ICMS);
Prestação de serviços: R$ 60,00 (R$ 55,00 do INSS + R$ 5,00 de ISS);
Comércio e serviços: R$ 61,00 (R$ 55,00 do INSS + R$ 1,00 do ICMS + R$ 5,00 de ISS).

O MEI pode faturar por ano até R$ 81.000,00 (ou R$ 6.750,00/mês em média), no entanto, projeto de Lei está em tramitação e foi aprovado dia 12 de agosto pelo Senado Federal aprovando o novo teto de faturamento do MEI para R$ 130.000,00/ano (ou R$ 10.830,00/mês em média) por ano a partir de 2022.