Blogs


Glifson Magalhães - Falando de Finanças & Negócios

- Bacharel em Administração pela FAL – Faculdade de Alagoas (Estácio)

- Tecnólogo em Gestão Financeira, pelo Centro Universitário Mário Pontes Jucá,
- Pós-graduado em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pelo CESMAC.
- Especialista em estudo e consultoria na área de Inteligência de Mercado com aplicação de gestão de dados por BI (Business Inteligence).
Atua em:
- Políticas públicas para micro e pequenas empresas
- Captação de empreendimentos industriais e centrais de distribuição
- Saúde Pública
- Governança Pública
- Diagnóstico empresarial, planejamento estratégico e finanças corporativas.
- É Assessor de Governança Corporativa no Hospital Regional Nossa Senhora do Bom Conselho em Arapiraca.
 


Publicado em 30/03/2022 às 15:22

Uso de dados para traçar estratégias inteligentes

Você realiza captação de dados do seu negócio e realiza algum tipo de analise? Entenda, tão importante quanto os produtos ou o serviço que você entrega ao seu cliente, são os dados gerados no dia-a-dia na execução da sua atividade.

Recentemente a McKinsey, líder mundial de consultoria empresarial americana, monstrou que a diferença entre resultados e evolução de companhias que utilizam a análise inteligente de dados pode ser de quatro vez mais receita e o dobro de lucro, em média, do que de empresas que não a utilizam, levando-se em consideração uma base de cinco anos de acompanhamento. Então, imagine que você possa aumentar sua receita e conjuntamente seu lucro.

Abaixo represento em gráfico de relação variáveis que são importantes de serem monitoradas e que possibilitam gerar “insights” na formatação de estratégias, sob diversas óticas e áreas do empreendimento:



Mas, antes de qualquer coisa, precisa-se criar os “inputs”, ou seja, entrada de dados. Para isto você necessitará de pelo menos uma planilha eletrônica, também conhecida como Excel, no entanto, o ideial é o uso de um sistema ERP que possibilite gerenciar toda sua empresa e assim gerar inputs de todos os departamentos, logo você terá milhares de informações para coorelacionar e por fim implementar planos de ação para evoluir com o seu negócio.

As empresas de pequeno porte, como MEI e ME tem bastante dificuldade em conseguir realizar inputs, haja vista a inexistência de pessoas para fazê-lo, então, a sugestão é começar com um roteiro mais eficiente, focado em dados relativos a Clientes e Financeiro, e com o passar do tempo e crescimento da equipe, ampliar as áreas de atuação.

Quer saber a importância dos dados? Faça uma pesquisa de satisfação qualitativa e quantitativa com seus clientes, logo você verá que eles trarão informações imprescindíveis para aprimorar suas vendas ou sua prestação de serviço.

Vou ficando por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 16/03/2022 às 18:16

Construindo sua Poupança e Aposentadoria através de Fundos Imobiliários

Os Fundos Imobiliários são como Fundos de Investimentos, sendo que segmentados, especializados em aplicar os recursos em empreendimentos imobiliários como shoppings, hospitais, prédios comerciais, condiminios de galpões e outros ativos correlatos. Por similaridade, ao aquirir uma quota de FII – Fundo de Investimento Imobiliário, você se torna um dos donos desse imóvel, recebendo assim rendimentos mensais como se fosse um aluguel.

Garantido por lei, os Fundos Imobiliários são obrigados a distribuir 95% dos rendimentos contabilizados no semestre. E, em sua maioria, este pagamento é realizado mensalmente. Tendo interesse em investir, você poderá comprar apenas 1 quota ou várias, vai depender da sua disponibilidade financeira. Só para você ter noção do quanto é acessível, existem FIIs que o valor da quota é de R$ 10,00 como também existem outros que o valor ultrapassa R$ 100,00.

Pare e reflita, tenho R$ 100.000,00 ou mais na minha conta para adquirir um imóvel e colocar para alugar? No FII você não precisa ter tudo isso para começar a investir e ter retorno, por isso se torma uma excelente opção alternativa a poupança e planejamento da aposentadoria. Tem FIIs que rendem geram mais de 1% sobre o valor da quota adquirida, ou seja, Você compra 1 quota de R$ 100,00 e no outro mês poderá receber mais de R$ 1,00 como rendimento/aluguel sobre o valor investido. Abaixo extrai um “print” do FundsExplorer:



Próximo passo? Abrir uma conta em uma corretora e pesquisar um pouco sobre qual fundo aplicar. Não vou entrar na temática de análse de fundos imobiliários, mas deixo aqui uma dica sobre a análise prévia antes de comprar, observe as seguintes variáveis:
- DY: Dividend Yeld (nem sempre, quanto maior, melhor);
- DY Acumulado
- Vacância (diz respeito a quantidade de imóveis que estão disponíveis e precisam ser alugados, ou seja, quanto menor, melhor).

Vou ficando por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com
 


Publicado em 17/01/2022 às 20:50

Falando de Finanças & Negócios - Aumentando suas vendas e deixando seu cliente satisfeito

Sonho ou não,mas toda empresa que vise lucro e equilibrio financeiro, precisa aumentar vendas e manter seu cliente satisfeito, e assim promover o giro da roda, que faz com que a relação vendedor e comprador seja perene. Assim, posso dizer que essa é uma das fortes bases para ter uma empresa sustentável.

Hoje vou trazer para você uma visão que se empresa para QUALQUER tipo ou porte de empresa, na verdade, é um modelo de gestão que permite levar a instituição ao sucesso, e aqui vou simplificar para ficar mais fácil de entender, vai restar você empregar esta técnica em tudo que for fazer no dia-a-dia, criando assim o que chamamos de “mindset” empreendedor.

Você já ouviu falar dos 3Ps da Gestão?

Se ainda não, fique tranquilo(a) pois é bem simples. Estamos falando de PESSOAS, PROCESSOS e PRODUTOS, então, se toda ação que executarmos for pensada observando essas três perspectivas, tenha certeza, você terá grandes chances de obter sucesso em seu projeto. Vamos detalhar um pouco para perspectiva para entender como aplicar em nossa vida empreendedora:



Perspectiva PESSOAS

A nossa vida é feita 24h por dia por relacionamentos, com filhos, amigos, pais, conjuge, namorada(o), clientes, fornecedores, colegas de trabalho, pessoas que não conhecemos e grandes parceiros, aqueles que estão sempre dispostos a nos ajudar.

Então, sabemos que em nosso negócio, teremos o público interno e o externo, logo devemos pensar, se meus colaboradores são os mais acertados, se eles tem aptidão para estar naquela função, se eles estão preparados para fazer um atendimento perfeito a um cliente, se ele tem capacidade para aprender. No outro lado, temos o público externo, com nossos clientes e fornecedores basicamente, e devemos sempre observar, como gostaria de ser atendido? Mesmo saindo com um NÃO, consegui manter a porta aberta para novas oportunidades? Nem sempre o cliente precisa sair de nossos estabelecimentos com sacolas mão (isso é importante), mas o ideal é que ele entenda que você é a referência e sempre, mas sempre que ele pensar ou necessitar de algo, vai ao seu encontro para buscar no mínimo orientação (situação ideal).

Perspectiva PROCESSOS

Não há muito o que explicar, mas processos é o esqueleto de toda estratégia, sem ele, os riscos se ampliam assustadoramente. Observe que no dia-a-dia, as pessoas fazem coisas repetidas, desde atividades domésticas, até atividades remuneradas, e sabe o que garante a famosa “Qualidade” de um produto ou serviços? É o processo!

Então, compreendendo muito bem as PESSOAS, você poderá definir e aprimorar o seu processo de trabalho, forma de atender, forma de se relacionar e muitas outras coisas, quer ver como isso é fato? Ex: Quando você entra em uma loja, você prefere o vendedor que fica grudado em você, ou aquele que te deixa a vontade, mas sempre atento caso você precise dele? A resposta é muito particularizada, e ai, você precisa saber qual é o perfil correto para o seu negócio! Ou de repente, seus clientes gostem de um serviço self-service, com tecnologia dentro do processo, onde ele possa ter acesso a descrição do produto, ver depoimento de outros clientes e ir direto ao caixa.

Para cada passo que damos, precisamos de processo, e as PESSOAS não podem ficar de fora, nossa equipe precisa estar alinhada para dar um show na hora de atender com excelência um cliente.

Perspectiva PRODUTOS

Por fim, você deve estar se perguntando o porque os produtos estar neste tripé de perspectivas. Não sei se você sabe, ou já ouviu falar, mas existe uma máxima: Para uma boa venda, é necessário fazer uma boa compra. É preciso conhecer o mercado, suas tendências, conhecer preço da concorrência, encontrar os melhores fornecedores (parceiros) e assim você poderá ter concistência e fazer grandes vendas. Produto sem preço adequado, fora de moda, sem fatores de competitividade frente aos produtos do concorrente, leva qualquer negócio a FALÊNCIA.

Não subestime a importância do Marketing de um produto, como também, ignorar uma nova gereção de produtos inovadores, ou tendências do mercado nossa sociedade, independente da idade não é mais tão conversadora assim.

Vou ficando por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 08/01/2022 às 11:40

Falando de Finanças & Negócios - Aplicando seu dinheiro em Renda Fixa

Vamos entender o que é uma aplicação ou investimento em “Renda Fixa”. Ou seja, é toda e qualquer aplicação de recursos financeiro que possui regras de remuneração definidas no momento da aplicação no título. Essas regras estipulam o prazo e a forma que a remuneração será calculada e paga ao investidor. Em outras palavras, na hora que você decide comprar um titulo de renda fixa, você já sabe quanto vai render e o valor que será receberá no final. No entanto, existem alguns detalhes, que fazem o resultado variar. São os indexadores, geralmente os titulos são indexados com CDI, SELIC, IGP-M e o IPCA.

Se você acredita que consegue econimizar por mês no MINIMO R$ 50,00 ou R$ 100,00, está então na direção certa para ter um futuro com independência financeira.

Outra coisa, na hora de desembolsar o dinheiro você tem 2 momentos diferentes que você deverá fazer, o primeiro deles é o conhecido “Aporte Inicial”, que abaixo demonstrarei um exemplo com uma aplicação única de R$ 1.000,00. No entanto, após o aporte inicial, você pode e DEVE realizar “Aportes Mensais”, onde estes podem variar, mas o meu conselho é que você não deixe de fazer, criar uma regra para você mesmo, definindo o valor mínimo, e caso em determinado mês entre uma grana extra, aumente o aporte no mês.

O cálculo abaixo demonstra o exemplo com uma aplicação de R$ 1.000 e a taxa da curva de juros vigente no dia da publicação desta matéria (a curva de juros muda diariamente). Os valores da simulação já descontam o Imposto de Renda, cobrado em todas as aplicações, exceto na poupança, que é isenta.



Para a conjutura econômica entre Dezembro de 2021 e Janeiro de 2022, a melhor recomendação é que se adquira títulos rentabilizem maior que 110% do CDI, e ai, você encontrará alguns no mercado, como é o caso do PicPay, PagBank e hoje o mais procurado a 99Pay, no entanto, perceba que os que citei não são CDBs, são saldos de conta que renatbilizam com base no CDI, para compra de títulos de CDB, veja junto a sua instituição financeira, quais os que ela disponibiliza.

Uma grande vantagem dos saldos de conta que rentabilizam com base no CDI a partir de 110%, é a liquidez, pois lembre-se, nosso objetivo com esta aplicação não é ter os melhores ganhos financeiros, é estruturar a nossa “Reserva de Emergência”, e assim quando a emergência surgir, ter o dinheiro disponível para resolver o problema. Recomendo também os titulos de CDB, mas vale lembrar que você precisa observar antes de adquirí-lo que alguns tem carência, ou seja, você aplica o dinheiro e precisa esperar um determinado tempo “mínimo” para poder retirar.

Sobre Bancos e Intituiçõe Financeiras, foi-se o tempo de depender apenas de 1 banco. Antigamente, você nascia, seu pai fazia uma poupança na Caixa Econômica, você crescia, abria uma conta lá e utilizava ela até morrer. Pois bem, liberte-se, os bancos digitais podem te ajudar nisso, além da facilidade em utilizar, o suporte funciona muito bem via chat pelo aplicativo, e o melhor, a praticidade, fazer tudo de casa, sem precisar ir a uma agência, esperando numa fila.

Abaixo, relacionei um glossário com os principais termos do mercado financeiro que utilizei aqui para facilitar o entendimento e melhor aproveitamento da leitura do artigo.

Glossário:
CDI: Certificado de Depósito Interbancário
SELIC: Taxa Média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia para títulos federais
Ibovespa: Indice da Bolsa de Valores (calculado com base no volume de negociações diárias)
IGP-M: Índice Geral de Preços de Mercado
IPCA: Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo

Para ajudar a entender, é importante compreender a diferença entre IGP-M e IPCA: Enquanto o IPCA considera a variação de preços de produtos e serviços para o consumidor final, o IGP-M leva em conta a oscilação de preços em todos os estágios de produção.

Vou ficando por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 28/12/2021 às 19:15

Falando de Finanças & Negócios - Reserva de emergência, como montar a minha?

Primeiro passo, eu sei o que é “Reserva de Emergência”? E devo fazer a minha? Vamos nivelar todo mundo, colocando um conceito bem prático, onde diz o seguinte: A reserva é um recurso que fica guardando e aplicado de modo que tenha alta liquidez (disponibilidade D+0 ou D+1) que possa ser utilizado caso ocorra alguma situação indesejada ou inesperada. Se você deve fazer a sua? Afirmo com muita tranquilidade que SIM!

Imagine-se em uma situação onde você perca seu emprego, não tenha dinheiro para pagar a sua fatura do cartão de crédito no valor total, necessite de algum serviço de saúde, ou aconteceu alguma tragédia com seu carro, moto ou casa e você precise dar os primeiros passos para resolver os problemas. Pois bem, este dinheiro é o que “Salva a Pátria” a curto prazo! Tenha certeza disso, é impossível prevê o futuro e determinar o dia em que precisaremos do dinheiro, então, esta é a forma mais recomendada para você diminuir os danos que uma fato “imprevisto” possa gerar.

No final, se nada acontecer durante os anos e você não necessite utilizar, você terá acumulado um boa quantia em dinheiro, pois os rendimentos não param e você terá um lastro cada vez mais sólido.

Vamos para a prática. Primeiro passo, devo me conscientizar que a reserva deve ser dimencionada para cobrir 6 meses de despesas mínimas sua ou de sua familia, a depender da sua conjuntura, mas afinal qual o meu valor meta correspondente a 6 meses de despesas?

Você já sabe quanto gasta por mês? Caso não saiba, tem um artigo meu aqui que demonstra como descobrir o valor dos seus gastos mensais. Então, sabendo quanto se gasta por mês, identifique quais são suas despesas essenciais, que você não terá como abrir mão, pra isto, vou trazer dois avatares abaixo com uma possível situações:



É a partir deste momento que você já deve/pode começar a poupar uma parte da sua remuneração e investir até atingir a meta da “Reserva de Emergência”. Minha recomendação é aplicar em títulos do Tesouro Direto, podendo ser o Tesouro Selic(acompanha a variação da taxa básica de juros), Tesouro Prefixado (você sabe exatamente quanto vai ter de rentabilidade na data de vencimento), Tesouro IPCA+ (uma parte do retorno é pré-definido no momento da compra e outra parte acompanha a inflação).

Para o cenário economômico de hoje em dia, a recomendação é que você vá comprando título do Tesouro Selic, observando o crescimento da taxa básica de juros. Mas se você é um pouco mais conservador, vá de Tesouro Prefixado!

Uma excelente opção, é a compra de CDB (Certificado de Depósito Bancário). Imagine que você está emprestando para o Banco, e o mesmo lhe remunera através da Taxa DI, que deriva da CDI (Certificado de Depósito Interbancário), então, no banco ao qual você recebe seu salário e principalmente nos banco digitais, você pode encontrar uma fonte bem interessante de opções de CBD atrelados a uma rentabilidade de CDI 100% ou acima disso. As taxas SELIC e CDI, historicamente andaram juntas, então a diferença era mínima, no entanto, produtos que ofertas 140%, 220% do CDI se tornaram uma oportunidade para investidores de renda fixa.

Se seu banco não lhe oferta opções, chegou a hora de criar sua conta em um corretora de investimentos. Vamos tratar sobre isto no próximo artigo!

Vou ficando por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 20/12/2021 às 16:58

Falando de Finanças & Negócios - Gastei mais do que devia no cartão de crédito, e agora?

Se existe uma situação que é mais natural do que parece, é o Brasileiro gastar mais do que deveria. Já começa porque sem planejamento financeiro pessoal, você não conhece seus limites e suas obrigações mais essenciais, logo, você não tem racionalidade na hora de decidir, depois, nós brasileiros não fomos educados / formados para ter inteligência emocional e assim conseguir controlar nossos desejos e impulsos, e por último, temos uma péssima cultura de contar com o ovo dentro da galinha, fazendo projeções de aumento de renda sem embasamento.

Quer ver como isso funciona? Quando você pensa/deseja: Quero comprar uma moto. Você sabe qual valor de parcela que você suporta pagar sem penalizar as suas despesas essenciais? Se você não sabe, então, você não deveria estar pensando em comprar nenhum bem (carro, moto, terreno, casa, ou até mesmo os de menor valor como TV, geladeira e outros), além disso, você está preparado para dar um valor de entrada? E esse valor de entrada vai vir de onde?

Bom, após fazer essa reflexão, vamos voltar ao tema: Gastei mais do que devia no cartão de crédito, e agora? Meu(inha) caro(a), você tem algumas opções:

1. Não Pagar;
2. Pagar o valor mínimo da fatura;
3. Parcelar a fatura;
4. Pegar dinheiro emprestado para pagar a fatura;
5. Cancelar o cartão e negociar o pagamento.

Antes de tudo, a opção 1 é a pior de todas, então não cogite fazer isto. Pagar Valor mínimo também não é uma boa saída, embora que se você é condicionado a utilizar o cartão de crédito, tenho certeza que o seu salário já não paga mais as suas contas do mês, então, você utiliza o cartão para ajustar as dívidas e ajudar a pagar as contas, você precisa rever o quanto antes o seu estilo de vida.

Parcelar a fatura do cartão não vai ajudar muito, pois tanto o pagamento do valor mínimo da fatura quanto o parcelamento da fatura vão gerar um valor de Juros muito elevado, de no mínimo 9,9% de juros ao mês, isto se você tiver um cartão de crédito de uma instituição financeira que não cobra tantos juros, mas a maioria varia de 13% a 16%.

Você tem como pegar dinheiro emprestado? Familia, amigo ou infelizmente junto a uma financeira? Veja se a taxa de juros efetiva mensal e anual é menor do que a do seu cartão de crédito. Acredito que seja, então, pegue emprestado e quite a fatura do cartão. Mas ai, você deve se organizar para não falar com seu novo credor (amigo, familiar ou financeira).

Ligar para a operadora do cartão de crédito solicitando o cancelamento e uma proposta de pagamento da fatura é uma boa opção, na verdade é a melhor delas, pois você conhecerá de fato o valor da dívida. Você só não pode ficar empurrando com a barriga, pois os juros fazsr sua dívida crescer.

Se infelizmente você já tem 6 meses ou 1 ano com a dívida rolando, meu conselho é: segure a pressão das ligações diárias das empresas que ligam cobrando, organize sua vida financeira, procure guardar dinheiro todos os meses, e quando você tiver uma boa quantia, ligue para negociar, recomendo ter juntado pelo menos 50% do valor da dívida original, ou seja, o valor de quando a fatura chegou no seu e-mail ou na sua casa.

Nada substitui uma boa conversa com a empresa, pois você quer pagar e eles querem receber, e tenha certeza, quando perceberem sua real intensão de sanar a dívida, uma boa proposta surgirá.

Vou ficando por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 09/12/2021 às 08:25

Falando de Finanças & Negócios - Orçamento Pessoal ou Familiar

Planejamento Financeiro para 2022

Final de ano está aí, levando todo mundo a refletir sobre as mudanças que precisamos fazer com o início de 2022. Dentro de diversas coisas que estamos repensando, vem ai, a necessidade de organizar nossas finanças, seja pessoal ou familiar. Independente qual seja seu caso, a forma de raciocinar é a mesma. Antes de tudo, sempre afirmo que planejar é um ato de "autoconhecimento", você vai entender o porque.

Passo 01 - A 1º pergunta a ser feita é: Você sabe para onde está indo o seu dinheiro? independente que você seja CLT ou autônomo, você sabe com o que você gasta o seu suado dinheiro? Se a resposta for SIM, você já está bem encaminhado, mas se a resposta for NÃO, você precisará descobrir para onde está indo o seu dinheiro.

Passo 02 - Começe a anotar tudo o que você compra ou paga, seja a compra do pão, feira, combustível, almoço (qualquer refeição), energia, água, internet, financimaneto e todos os demais "credores" que você tenha.

Passo 03 - Após fechar os 30 dias do mês, separe tudo que você gastou por grupo, como coloquei no passo 02, por exemplo, se você compra pão dia sim, dia não, some todos os gastos com pão e inclua no grupo de refeição para que você pode mais a frente analisar forma de ser mais eficiente com este gasto.

Passo 04 - Você somou tudo que gastou, o valor foi MAIOR ou MENOR do que o que você ganha por mês? Se o resultado da soma dos seus gastos forem MAIOR, você tem 02 opções:
- Reduzir despesas (desnecessárias), ou
- Aumentar sua renda (realizar uma atividade remunerada complementar).
Mas, se suas despesas forem MENORES que a sua renda, então você já pode ir para o passo 05.

Passo 05 – Equalizei minhas despesas para caber no meu orçamento, agora consigo ter uma sobra no final do mês, mais ou menos como na figura abaixo:


Passe agora a priorizar sua capacidade de POUPAR, ou seja, utilizar os R$ 260,00 ou maior parte dele para investir em titulos do Tesouro Direto, LCI, CDB ou até mesmo adquirir ações de empresas sólidas.

Para não correr o risco de deixar de aplicar as “sobras” como investimentos, faça de conta que é só mais um boleto que você paga, e você perceberá que em 1 ou 2 anos você terá montado o que chamamos hoje em dia de “RESERVA DE EMERGÊNCIA”, este é o primeiro passo para quem quer atingir a famosa independência financeira. Imagine que se você passar por algum problema que exija mais dinheiro do que o que você tem no dia-a-dia, você terá um valor equivalente de 3 a 6 meses do seu salário, e isso é fantástico.

Muitos especialistas recomendam investir 30% de toda a sua renda. Se fossemos utilizar esta regra para o exemplo acima, tiramos que investir por mês R$ 600,00 (R$ 2.000,00 x 30%), no entanto, minha recomendação é não deixar de guardar o dinheiro e aplicar, possa 10% ou 50% da sua renda, o que importa realmente é criar em sua mente o entendimento do quanto é impotante fazer isto.

Antes de tudo, aprender a planejar o seu orçamento pessoal ou familiar, para te ajudar, disponibilizei através deste “link” o download da planilha, só basta clicar e solicitar o acesso para você poder baixar.

Se precisar de ajuda, estou por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com



Publicado em 07/12/2021 às 15:44

Falando de Finanças & Negócios MICROFRANQUIA, vamos conhecer algumas oportunidades?

Vamos utilizar o Portal do Franchising como referência para nossa pesquisa, onde vou analisar o perfil dos negócios com investimento inicial de até R$ 10 mil reais. E identifiquei que os empreendimentos em resumo pertecem aos seguintes seguimentos:

- Serviço de Limpeza
- Serviço de Comunicação
- Serviço de Viagens e Intercâmbio
- Serviço de Serviços Financeiros
- Serviço Educacional
- Serviço de Energia Solar
- Serviço de Beleza
- Comércio de Suplemento Natural

87,5% destas microfranquias são do setor de serviços, ou seja, são grandes oportunidades que trazem consigo uma grande responsabilidade, pois, você não irá vender um produto industrializado que é fabricado sob um padrão de qualidade. Você será encarregado de aprender a técnica, aplicar a solução e dar suporte ao cliente para que seu produto tenha o sucesso e atenda a expectativa esperada pelo cliente.

Resumi o ponto mais crítico do setor, pois as demais situações de dificuldades são inerentes a todo e qualquer empreendimento, podendo ser dificuldade de capital de giro, promoção da marca e do produto, local de atendimento ou o famoso “ponto”, já o preço e a política de vendas, este fica mais facilitado porque a franquia lhe orientará como trabalhar e as margens de lucro viáveis para que você não entre em saldo financeiro negativo.

Independente da franquia e seu modelo, existe uma caracteristica de extrema importância, é a habilidade de ser uma pessoa com habilidade comercial, pois você vai entrar muitas vezes em um mercado que não conhece e nem entende o funcionamento do seu produto, então, você precisará ter essa habilidade afiada, ou como percebe-se em alguns casos, ter uma grande rede de familiares, amigos e colegas, pois hoje a promoção tem se dado pelos meios virtuais (WhatsApp, Facebook e Instagram), e quanto mais pessoas ligadas a você, maior a possibilidade delas conhecerem o seu negócio e produtos/serviços.

A maioria destes modelos de negócios permite ou melhor, é possível que você trabalhe de casa, não havendo necessidade de alugar um sala ou ponto comercial, como também, permite que você seja MEI para celebrar o contrato com a Franquia.

Se você me pergunta, se vale a pena. Te digo, vale sim, pois você vai pegar um atalho com todo o suporte para pular diversas dificuldades e outra, com uma rede de franqueados de outras cidades que passam pela mesma dificuldade que você e vão compartilhar experiências semelhantes.

Se precisar de ajuda, estou por aqui!

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 24/11/2021 às 09:42

Falando de Finanças & Negócios MICROFRANQUIA, empreender com pouco dinheiro

Antes de explorar as oportunidades que as microfranquias nos traz, é importante entender o que é uma “Franquia”. De Acordo com a Lei de Franquia Empresarial (Lei nº 8.955/1994), franquia é um sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso da marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos ou serviços. Ou seja, em termos práticos, é um modelo de negócio já testado, que é replicado através dos direito de uso da marca, sistema de gestão e comercialização dos produtos ou serviços por um “Franqueado” que pode ser qualquer pessoa.

Então a nomenclatura “microfranquia”, foi criada como forma de segmentar o perfil de franquia onde o foco é o “valor de investimento”, para estes casos, o valor de investimento inicial não ultrapassa R$ 105 mil reais.

As microfranquias tem se popularizado cada vez mais no Brasil, principalmente por ser um atalho para muitas pessoas que querem empreender, seja por necessidade ou por oportunidade, pois muitas delas permite

A ABF – Associação Brasileira do Franchising tem um site que ajuda empreendedores a identificar franquias, separando-as pelo valor de investimento, onde através do link www.portaldofranchising.com.br, você poderá conhecer empresa por empresa, valor de investimento, modelo de negócio (quiosque, home based, loja virtual, dentre outros):



Vai minha primeira dica. Ser franqueado não quer dizer que o negócio vai andar com as próprias pernas, você (franqueado) é dono e o funcionário n° 1 da empresa, então, é extremamente importante se identificar com o produto e o modelo de negócio. Perceba que cada segmento tem dias e horários específicos de funcionamento, vai depende do local (ponto de venda) e se será comércio de produtos ou serviços.

Dica n° 2, fique atento as taxas e royalties que a franquia lhe cobrará mensalmente, isso impactará diretamente no caixa da sua empresa e seu fluxo de caixa precisará ser bem provisionado dentro do investimento inicial para que você não fique em débito logo nos primeiros meses.

Dica n° 3, analise o tipo de suporte que você receberá. A franquia disponibilizará treinamento, modelos de documentos, sistema informatizado, design gráfico e layouts de loja (arquitetura e design de ambientes).

Dica n° 4, dentro do valor de investimento inicial observe se já está previsto material de consumo para se utilizar na realização do serviço a ser prestado, ou se a empresa for de comercialização de produtos, se já está previsto o valor necessário para aquisição de mercadorias para revenda.

Quanto maior o porte da franquia, mais particularidades contratuais serão previstas, a princípio, nas microfranquias o acesso e formalização é simplificado, podendo inclusive o microfranqueado abrir um CNPJ como MEI.

Já vi franquias com investimento inicial em torno de R$ 3.100,00, lembrando que sendo bem prático, muitas franquias são como representações comerciais, e hoje é uma prática muito comum, revenda de lingerie, utensílios domésticos a base de plástico e roupas, no entanto, um dos diferenciais das franquias é poder levar um produto ou serviço inédito a sua cidade e isso pode ser uma grande oportunidade para quem busca empreender.

Até logo. Dúvidas? Me envia no e-mail: glifson.magalhaes@gmail.com

 


Publicado em 21/11/2021 às 18:10

Falando de Finanças - RENDA EXTRA (Parte 2)

Este tema é muito empolgante, quanto mais se discuti, mais ideias surgem, muitas vezes precisamos estar no dia-a-dia andando e observando o que as pessoas estão fazendo e a partir daí identificar como aproveitar a “onda” das oportunidades. Escrevendo aqui, já me veio um “insight”, Arapiraca entrou na onda da prática de “Beach Tennis”. De imediato sou levado a pensar em como eu posso aproveitar este momento. Primeiro passo, visite uma quadra, veja vídeos no YouTube, busque perfis que tratam sobre o tema. O estalo em sua mente é inevitável.

Então, vamos para mais uma relação de Opções para fazer Renda Extra:

1. Vender Doces e Salgados (Brownie, Brigadeiro, Palha Italiana)
2. Produzir Artigos(R$ 50 a R$ 500,00)
3. Cuidar de Animais (Pets - 150 milhões de animais) depois você pode vender ração, brinquedos, acessórios...
4. Trabalhar como Garçon, Waiter ou Barman.
5. Editar Vídeos

Muitas vezes você deve pensar: Será que isso vende? As pessoas compram? Tem interesse? Quer a resposta, vai a campo, conversa com amigos o que eles acham do produto, e depois faz o teste, tenta vender.

- Toda ideia, é apenas uma ideia até que se coloque em pratica.

Não podemos ter medo de correr atrás, devemos pensar em nosso bem estar e o de nossos familiares, para isto precisamos pensar positivamente e aprender a “Vender”. Vou ajudar a criar proposta pequena de fazer vendas:

1. Faça pequenas demonstrações para coletar feedback e aprimorar seu produto/serviços;
2. Pegar o feedback e realizar melhorias no produto e não ficar com raiva do cliente;
3. Qual o melhor momento/horário do dia para vender o produto? Dias específicos?;
4. Busque identificar o público-alvo do seu segmento, facilita a formatação...
5. Saiba cobrar o valor justo. Tem formas de precificar, ou então, buscar sugestão de preço junto ao cliente.
6. Se não conseguiu realizar a 1º venda, seu produto não foi aceito?.

Busque informações, converse com seu cliente, pergunte porque não quis, se já consome de outro fornecedor, o que ele acha dos outros produtos, como é a forma de pagamento e o que faz ele(a) preferir o outro produto.

Mãos a obra e Boa Sorte! 


Publicado em 28/09/2021 às 18:17

Falando de Finanças - RENDA EXTRA (Parte 1)

Importante acompanhar a economia do Brasil e do Mundo. Pois bem, agora em setembro a inflação subiu para 8,45%, a taxa Selic para 6,25%, na prática, nós estamos pagando mais caro por tudo que consumimos. Para provar, observe em seu dia-a-dia, quanto você paga nos gêneros alimentícios na feira, combustível, material de construção, produtos eletrônicos e outros que você estiver acompanhando preço.

Pensando nesta situação, trago hoje a primeira parte de um artigo para te ajudar, dar algumas ideias, para você que, mesmo diante destas dificuldades continua sonhando em dar sempre um passo para frente, e não tem saída, temos que aumentar nossa renda, e é nisso que vamos falar hoje.

Acredito que você saiba o que é renda extra. Vamos deixar claro, pois precisamos entender que é a realização de uma atividade remunerada, no momento em que estamos ociosos, ou seja, não estou fazendo nada em casa e termino indo assistir televisão, ficar olhando o celular as redes sociais, conversar no WhatsApp, entre outras atividades que consomem nosso tempo e não nos trazem retorno. Então sugiro, é melhor utilizar esse tempo para ganhar dinheiro e complementar a renda. Pois bem, se você investe muito do seu tempo em atividades que não te levam a lugar algum, acho melhor ver o quanto de oportunidade está perdendo. Vamos a algumas ideias fáceis de implementar.

Coisas que você pode fazer e vender:

1. Salada de Frutas
Fácil de fazer, e existem diversas receitas na internet, e o melhor é barato. Mas como farei para vender? Uma das formas é levar para o trabalho e oferecer aos colegas, depois buscar parcerias com outros ambientes (lanchonetes, academias e restaurantes), mas sempre buscando diferenciais, tipos de fruta, e outros ingredientes.

2. Revenda de Produtos (produto de fabricação nacional ou importado, para vender no atacado ou no varejo)
Identifique algo que as pessoas na sua região queiram comprar e tem dificuldade de acesso, uma forma de fazer isso é atuar com revenda produtos que são vendidos exclusivamente pela internet.

3. Papelaria Personalizada, para festas e empresas;
Com a vacinação e controle da epidemia do Covid-19 as festas estão voltando e ficarão em alta por um bom tempo. Realizar um investimento em computador, impressora a jato de tinta e uma impressora de corte poderá te ajudar a ganhar uma boa grana trabalhando a noite em casa. Faça o teste, crie alguns modelos, inicie conversa com espaços de festas e organizadores e decoradores, mostre seu produto.

4. Sobremesa Fitness (Cookies Fitness)
De 10 anos pra cá, o mundo fitness tem crescido bastante (academias, roupas, equipamentos, suplementos e hoje produção de alimentos fitness), as pessoas buscam sobremesas, bolos e refeições diárias com a pegada fitness, não apenas pela estética, mas também para manter o corpo saudável, equilibrando seus nutrientes. Importante investir em um curso para aprender um pouco mais. Na internet tem muitos cursos/vídeo aulas.

 


Publicado em 23/08/2021 às 23:12

Formalização como MEI

Empreender não é fácil. Temos que identificar uma oportunidade, se preparar para realizar vendas, atender bem o cliente, verificar estoque, emitir nota fiscal, pagar tributos, e muitas outras atividades que todo bom empreendedor realiza, pois se preocupa consigo e com seus clientes. É ai onde entra a necessidade de se formalizar para poder continuar crescendo.

Acima de tudo, formalizar-se, significa ter personalidade jurídica, ou seja, ter um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), e junto a isto, novas responsabilidades vem junto, mas também tem inúmeras vantagens, vamos listar algumas.

A principais vantagens são:

1) Você pode abrir uma conta corrente pessoa jurídica;
2) Ter acesso a fornecedores que só vendem para pessoa jurídica;
3) Poder tirar alvarás e licenças;
4) Poder emitir nota fiscal;
5) Poder vender para empresas privadas e para o governo (licitações);
6) Ter acesso a empréstimos e financiamentos;
7) Poder realizar a declaração de renda simplificada;
8) Contratar 1 funcionário com carteira assinada;
9) Ter direitos previdenciários.

Principais Obrigações

1) Realizar a Declaração Anual do Faturamento do Simples Nacional (DASN-SIMEI) até o dia 31 de maio de cada ano;
2) Pagamento mensal do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), de acordo com a atividade que o empreendedor realize e conforme detalhamento abaixo (válido para 2021):
Comércio ou indústria: R$ 56,00 (R$ 55,00 do INSS + R$ 1,00 do ICMS);
Prestação de serviços: R$ 60,00 (R$ 55,00 do INSS + R$ 5,00 de ISS);
Comércio e serviços: R$ 61,00 (R$ 55,00 do INSS + R$ 1,00 do ICMS + R$ 5,00 de ISS).

O MEI pode faturar por ano até R$ 81.000,00 (ou R$ 6.750,00/mês em média), no entanto, projeto de Lei está em tramitação e foi aprovado dia 12 de agosto pelo Senado Federal aprovando o novo teto de faturamento do MEI para R$ 130.000,00/ano (ou R$ 10.830,00/mês em média) por ano a partir de 2022.