13/12/2015 18:57 - Atualizado em 13/12/2015 18:24

Teatro Brasileiro

 

Nos últimos meses o Brasil vive o maior desastre político partidário já visto desde o Império. Os interesses pessoais e partidários estão acima de qualquer interesse coletivo.

A população brasileira espera estarrecida, o caminhar e o desenrolar dos acontecimentos na esperança de que tudo se resolva e o país possa continuar a andar.
A crise NÃO é individualmente econômica, nem individualmente moral, nem individualmente ética.

A crise é uma mistura da falta de respeito e dos compromissos assumidos pelos 4 poderes e, em defesa da nação brasileira.

Os 4 Poderes:

O Poder Executivo tem a função, a responsabilidade e o compromisso de administrar e, administrar muito bem os destinos desse país, conforme a Legislação Federal; O Poder Legislativo tem a função de fazer as leis que regulam os diversos segmentos sociais e econômicos; O Poder Judiciário tem a maior e mais bela função, que é a de zelar pela Constituição Federal e fazer valer o que está escrito nas regras de qualquer jogo; O 4º Poder que é a Imprensa Brasileira, carrega nos ombros e tem a responsabilidade e o compromisso de noticiar e informar com lisura todos os fatos existentes no país.

A mistura da falta de ética e moral, inexistente, nesses 4 poderes criou neste país, tão grande, tão bom e tão rico uma “Esta Crise Institucional, Social e Econômica Mentirosa” capaz de estarrecer o mundo.

Chamo a atenção dos meus queridos e bravos leitores para registrarem, em suas mentes, o que vou escrever adiante.

Há por trás de tudo isso: interesses financeiros do Poder Executivo, do Poder Judiciário e do Poder Legislativo, além dos interesses da Impressa Brasileira, que faz o 4º Poder.

O Brasil vive essa crise orçamentária há mais de 10 anos.

Aqui não se aprova Orçamentos Públicos nos prazos da Lei, porque os interesses dos 4 Poderes são imensamente maiores que os interesses do país.

O modelo contábil brasileiro registra uma “Mentira Contábil” e, para isso, há a necessidade de se maquiar números (a maior vergonha para nós brasileiros é a maquiagem de números efetivamente realizados na contabilidade pública brasileira). São números alterados, colocados aleatoriamente ao bel prazer do administrador público responsável pelo fechamento das contas públicas. No orçamento existem números falsos, que mentem e escondem e não condizem com a nossa realidade.

Apesar do rombo dos R$ 3.000.000.000.000,00 (três trilhões de reais) roubados das contas do Brasil, como afirma nas redes sociais o Juiz Moro, essa pontinha do aiceberg, somente estourou porque os 4 Poderes, ainda não se entenderam financeiramente. A partir do momento que esses 4 Poderes, souber qual o valor destinados as contas de cada um, o Brasil volta a sorrir, viver feliz e caminhar solidariamente e, assim acabam-se de um minuto para o outro todas as crises política, econômica, social e institucional. Não haverá impeachment, cassação de mandatos ou mesmo a continuação de prisões de empresários, agentes públicos, políticos, etc e tal. Assim, tudo resolvido e, povo brasileiro unido e muito feliz.

Ponto de reflexão: Enquanto não houver entendimento no valor da distribuição das fatias do dinheiro público, distribuído nas contas de cada “Poder que Pode Tudo”, o Teatro Brasileiro continuará e aí sim, poderá acontecer tudo, inclusive, nada.