13/04/2016 21:46

Diferenças de Arapiraca dos “tempos de outrora” para os “dias atuais”.

 

Quando os humanos se preocupavam com o progresso e o desenvolvimento da terra de Manoel André partindo do princípio de que Arapiraca é a melhor terra para se viver.

Nos idos de 1960 grandes e investidores homens de bem se uniram e deram uma nova cara política ao Município de Arapiraca. Naquela época tudo começava a mudar no município. De um lado, os coronéis, do outro, jovens empresários e profissionais liberais abriam os olhos e devam gritos de esperança. Na mesma casa, pai (o coronel) e filho (o rebelde) lutavam por ideais diferentes e, assim, também subiam em palanques diferentes.

1969 surgem vários candidatos a prefeito de Arapiraca e, de repente aparece um jovem letrado, advogado famoso, filho do empresário João Vigário e se elege (Prefeito Tampão) de Arapiraca para governar por dois anos (1971/72).

Dr. João Batista Pereira da Silva, como era chamado, eleito prefeito, se depara com um cofre público vazio, sem recursos, para, se quer, colocar gasolina no veículo oficial do gabinete do prefeito.

João Batista vai a Brasília e, de repente, ”ruma para a SUDENE/Recife/Pe” onde lá encontrou vários amigos de Arapiraca que se dispuseram a vir para cá e construir o maior Projeto da História Administrativa de Arapiraca. Arapiraca em dez meses foi agraciada com um Mega Projeto, no qual, se montou toda a história da construção das obras e serviços do município.

Graças a sociedade e a leveza da Lei eleitoral, em 1982, foi eleito Prefeito de Arapiraca um jovem bancário do Banco do Nordeste, que havia sido Secretário de Administração no Governo João Batista e, conhecendo o Mega Projeto construído por Técnicos da SUDENE o colocou na prática e fez com que Arapiraca recebesse os benefícios e os repasses financeiros que alavancou e engrandeceu o Município de Arapiraca e toda a Região. Severino Leão foi o mega construtor das grandes obras de Arapiraca. A partir daí, Arapiraca continuou a crescer e a receber grandes repasses da Administração Pública Federal e está crescendo, graças a Deus.

Em seguida Arapiraca recebeu outros grandes nomes que de certa maneira se utilizando do mega projeto da SUDENE, mais os projetos do Governo Severino Leão, na época, protocolados nos diversos ministérios em Brasília deram continuidade as obras e serviços.

Mas, em si falando de política partidária, Arapiraca, segundo maior colégio eleitoral, parece mais um curral eleitoral, pois vive já há alguns anos sobre o comando político de Senadores e Governadores que nada tem a ver com o Progresso e o Desenvolvimento da terrinha, uma vez, que eles se preocupam, apenas, em incrementar seus currais eleitoreiros. Isso mesmo, currais eleitoreiros.

Diante desse contexto, os grandes nomes da política local, se privam de colocar seus nomes nas ruas, uma vez, que, se não estiverem sobre a guarda e debaixo da saia desses coronéis não se elegerá. Estão na condição de candidatos a candidatos a prefeito os seguintes nomes: Rogério Teófilo, Ricardo Barreto, Tarcizo Freire, Ricardo Nezinho, Adoniran Guerra, Luciano Barboza, Graça Lisboa, Fabiana Pessoa, Aurélia Fernandes, Fabio Assis, Sargento Moisés, Fábio Maurício, além da Prefeita Célia Rocha, mas, nenhum deles ousa (ousa de ousadia) colocar o nome nas ruas, sem antes consultar os Senadores “Coronéis” Renan Calheiros, Benedito de Lira, Fernando Collor de Mello, o Governador Renan Filho e, alguns Deputados Federais.

Já foi o tempo que o povo de Arapiraca elegia candidatos oriundos da vontade do povo arapiraquense, já foi o tempo.

Desafia-se circular pelas ruas um nome genuinamente arapiraquense. Desafia-se.