24/10/2016 05:26

Autonomia Judiciária vs Tiro no Pé

 

Os escritos a seguir, talvez possua conotação de presságio anunciado.
O Juiz Federal Sérgio Moro tem sido significativamente grandioso para a população brasileira na proporção que “se predispõe” a cumprir seu papel, enquanto membro ativo da magistratura federal do Brasil, contudo acompanhamos de perto o desenrolar da “Operação Lava Jato” e, observamos que há em meio a tudo, “abusos de autonomia”, que poderiam ser evitados, tornando-os juridicamente normais e cabíveis aos diversos processos de combate as ações de corrupção nesse país.

É certo que grampos foram implantados, diga-se de passagem, com “autorização da Justiça” em residências e em gabinetes de políticos grandiosamente influentes na esfera governamental do Brasil, tais grampinhos foram implantados em “segredo de Justiça”, o que significa dizer que tais políticos também não sabiam da existência dos mesmos, mas preocupados com a atual conjuntura da “caças a bruxas”, resolveram fazer varredura em seus gabinetes e suas residências e pedindo ajuda ao Departamento de Polícia Legislativa do Senado se libertaram dos “famigerados grampos autorizados”, gerando uma espécie de ira no judiciário o que resultou na prisão de quatro integrantes da Polícia Legislativa do Senado “comandada indiretamente” pelo Presidente Senador Renan Calheiros.

Prisões essas, efetivamente realizadas nas dependências do Senado da República Federativa do Brasil. Há quem diga que não houve tentativa de obstrução a Ação da Justiça porque os grampos foram colocados com ”Autorização da Justiça”, portanto..., em “Segredo de Justiça” e..., se era em segredo, ninguém sabia e..., se ninguém sabia não há crime, assim, todo cidadão tem direito de mandar fazer varredura em seus escritórios e suas residências. Onde há crime nessa ação?

Por outro lado, a prisão dos quatro policiais legislativos aconteceu nas dependências da autonomia do Senado da República Federativa do Brasil.
Eles (os quatro policiais legislativos) poderiam ser presos? Até que poderiam, sim, mas, respeitando critérios e procedimentos constantes nas normas legais, cautelosos, ao amanhecer do dia e em suas residências, sem agressão a autonomia de outro Poder.
O Juiz Sergio Moro está caminhando a passos largos. Há se existissem outros “Moros” Brasil afora!
Lamentavelmente há um presságio de “cortes na altura dos joelhos” de Moro e, de tantos outros que se meter a bestas e afugentarem a “soberania da corrupção legislativa” desenvolvida ao longo de vários anos por muitos que se perpetuam no Poder que Pode Tudo.

Cuidado Moro! Cuidado Justiça! Cuidado Povo Brasileiro!
Estamos a beira da “construção” de uma nova legislação punitiva a Promotores de Justiça, Procuradores da República e a Juízes de Direito que levantarem bandeiras contra a corrupção legislativa.
Presságio... O Tiro no pé da JUSTIÇA está por vir. Cuidado povo brasileiro.