23/12/2015 03:11 - Atualizado em 23/12/2015 02:30

Educação pede SOCORRO

 

Um jovem rapaz do interior saiu da escola com o resultado em mãos de sua aprovação no ensino médio. Eufórico, saltitante e cheio de alegria e esperança, encontra na esquina da escola três experientes professores, o qual vai ao seu encontro relatar o acontecido e diz: “Queridos professores, compartilho com vocês minha alegria e meu sonho. quero-vos dizer que fui aprovado e irei prestar o vestibular para também ser professor”. De imediato percebeu o olhares contristes e de reprovação dos professores e ouviu as seguintes palavras: “Você é louco! Não faça isso com você! No passado tínhamos a condição de mestres. Havia credibilidade, havia respeito, nossos conteúdos eram impulsionados pela dignidade, pela liberdade, pela solidariedade. Enfim, acreditávamos que poderíamos ajudar a construir uma nação melhor. Uma nação justa. Uma nação solidaria. Mas todos os nossos sonhos foram soterrados pelo poder e ganancia de muitos que detém o poder, a corrupção destrói tudo. Hoje somos marginalizados. É vergonhoso como somos tratados.”. Os mestres tinham razão?

ü  Ex-governador e secretários são alvos de ação de improbidade do MPE. Tal ação apura prejuízo de R$ 15.744.846,31 A investigação foi motivada por denúncia do SINTEAL (sindicato dos trabalhadores da educação de alagoas). Segundo a promotora de Justiça Cecília Carnaúba, o dano foi de valores pagos as empresas contratadas para reformas de escolas;

ü  Governador Renan Filho quer descumprir a exigência de investir 25% da receita em educação. O qual é constitucional. O projeto do então governador  é que a meta desse investimento seja gradual até o ano de 2034 o qual finalmente atingirá os 25%.  O Procurador-geral de justiça, Sérgio Jucá disse; “Reduzir o percentual de 25% de aplicação obrigatória na educação é um crime hediondo, lesivo aos superiores interesses de milhares de crianças e adolescentes, decisão governamental intolerável que propiciará o aumento vertiginoso dos lastimáveis índices de analfabetismo no sofrido estado de Alagoas”. Na audiência da Assembleia Legislativa e 14.12.2015 foi informado que apenas 16% esta sendo repassado para educação. E a obrigatoriedade é de no mínimo 25%. Dar pra imaginar o que vão fazer com o restante do dinheiro da Educação? A Educação é dever do estado, que seja emergencial o plano de investimento e ação na educação e não gradual. Não podemos esperar para 2034  governador.

ü  No último semestre do ex-governador Teotônio Vilela Filho. Todos os professores foram “contemplados” com um TABLET. Os professores assinaram um documento se responsabilizando pelo aparelho. Nossa que evolução! No entanto foi constatado que os aparelhos ofertados aos professores mal funcionava, pouca memória. Mais o que é isso?

ü  A educação pública de alagoas está ameaçada. O atual governador está na onda de privatizações do serviço público. Querem implantar as OS´s. Que são empresas organizadas para gerenciar espaços públicos de serviço à população. Ex. Escolas públicas estaduais. O governo propõe que a Educação pública seja gerenciada e organizada por meio do setor privado. Terceirizado.  Quer dizer que nossos filhos vão passar quatro anos, depois fazer uma especialização, depois um mestrado. Para então ser contemplado e prestar serviço de educação a uma empresa terceirizada? O emprego na mão do político! Não brica! Só pode ser piada. Mas não é. As universidades esvaziaram. Alguém vai ganhar muito mais!!!  Alguém dúvida?

ü  Jovens professores, estudam, passam nos concursos e não são convocados. É mais fácil e lucrativo manter o monitor, do que o professor qualificado e atestado pelos exames (concurso) imposto pela própria administração pública. Quero fazer menção ao Cadastro de Reserva da Educação. Que estão com seus direitos sucumbidos pelo ente administrativo. Até quando?

Finalizo com as palavras do ex-tenista Gustavo Kuertem, que no Prêmio Brasil Olímpico no Rio de janeiro fez tremer toda uma plateia: ”Na posição que ocupo, eu aclamo aos nossos representantes, a quem está no governo do país e todos do poder publico e quem nos comanda que olhe para esta sala e se espelhe nesta sala (cheia de atletas). Sejam justos, honestos, brasileiros de verdade e esqueçam partido,  panelinha e lutem pelo Brasil. O nosso país merece isso", disse Guga, arrancando aplausos de pé dos presentes. Um até breve.