16/10/2020 13:36 - Atualizado em 16/10/2020 13:39

Ação da Agreste Saneamento recupera mais de 18 mil m³ de água

Quantidade de água economizada seria suficiente para o abastecimento de uma cidade com uma média de 10 mil habitantes 

Uma ação integrada dos setores comercial e operacional da Agreste Saneamento resultou na recuperação de 18 mil m³ de água tratada. A água estava sendo disponibilizada através de “derivações” - ligações não computadas nos indicadores feitas nas adutoras -, em áreas rurais do agreste alagoano. Segundo estimativas dos técnicos da empresa, o volume de água seria suficiente para abastecer uma cidade com uma média de 10 mil habitantes.

O trabalho integrado começou com o levantamento de hidrômetros quebrados, embaçados e de difícil acesso (enterrados) para que fossem recuperados. Ao longo das atividades, as equipes comerciais também identificaram outras situações que exigiam um maior detalhamento, como atualização e criação de cadastros e a instalação de medidores em pontos onde havia apenas a ligação, conforme explica o coordenador técnico operacional da Agreste Saneamento, Mikael Vasconcelos

“A ação resultou em uma melhora no sistema de abastecimento. Foi uma ação proativa dos setores comercial e operacional da empresa. O levantamento que fizemos sobre o volume resgatado e o quanto isso representa em metros cúbicos de água nos surpreendeu. São ligações inativas em áreas rurais utilizando a água sem ter seu consumo medido”, detalha.

Ainda de acordo com Mikael, a ação integrada foi incluída na rotina de atividades das equipes e deve ser realizada mensalmente no sentido de fortalecer o consumo responsável e intensificar o controle do sistema. A adutora é percorrida do início ao fim para identificar possíveis derivações, seja urbano, seja rural. O trabalho estratégico envolve ainda a identificação cadastral, presença de medidor, entre outras ações que impeçam o desvio de água.

Nas atividades de campo, as equipes da Agreste aproveitam também para realizar um trabalho de conscientização e sensibilização da comunidade em relação à importância da água.

“Nossos laços com a comunidade são ainda mais estreitados porque temos a oportunidade de criar uma experiência de aprendizado com relação às dúvidas sobre o funcionamento dos equipamentos, do hidrômetro, do processo de coleta de leitura, do tratamento da água e da necessidade de preservação desse bem tão valioso e importante no nosso dia-a-dia”, ressalta o coordenador comercial da Agreste Saneamento Thiago Castro.

TECNOLOGIA
Outra ação de recuperação de água tratada, desta vez utilizando a tecnologia como aliada ocorreu no bairro Senador Arnon de Melo, em Arapiraca. A atividade detectou a presença de 11 ligações irregulares. O trabalho, conhecido como geofonamento, foi realizado de forma planejada em uma área onde o abastecimento ocorre por pressurização (uso de bombas) e por gravidade (quando as casas são em setores mais baixos).

O geofonamento tem o intuito de localizar ligações irregulares e possíveis BY PASS (onde só uma parte da água é medida) de uma rede de abastecimento de água pressurizada para outra rede. Nos imóveis das partes mais altas, onde o abastecimento não chega por gravidade, existe uma “caixa” que é abastecida por essa rede de água pressurizada.

“No dia anterior foi fechado o registro de abastecimento por gravidade, porém, ao iniciarmos o serviço, detectamos que ainda existia abastecimento por gravidade, dificultando o nosso trabalho. Com isso, detectamos os imóveis ligados irregularmente na rede de água pressurizada, que eram para estar ligados na outra rede. Detectamos também um imóvel ligado clandestinamente, que já havia sido desligado da rede de abastecimento na semana anterior”, explica Mikael Vasconcelos.

Sobre a Agreste Saneamento
A Agreste Saneamento atua junto com a Companhia de Saneamento de Alagoas (CASAL) desde 2012, através de uma parceria público-privada com duração de 30 anos, com o objetivo universalizar o acesso da população à água de qualidade e assegurar melhorias nos sistemas de abastecimento de 10 municípios da região agreste do estado, beneficiando mais de 377 mil habitantes. Foi eleita a melhor empresa de médio porte para trabalhar em Alagoas, em 2018, de acordo com pesquisa realizada pela consultoria Great Place to Work Brasil (GPTW). Em setembro deste ano recebeu premiação do Instituto Trata Brasil pelo destaque entre PPP's de todo o país. Desde 2017, faz parte da Iguá Saneamento, companhia que está presente em 37 municípios brasileiros e que alcança 6 milhões de pessoas com o compromisso de ser a melhor empresa de saneamento para o Brasil.

Sobre a Iguá Saneamento

A Iguá é uma companhia de saneamento, controlada pela IG4 Capital, que atua no gerenciamento e na operação de sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, por intermédio de concessões e de parcerias público-privadas. Atualmente, está presente em 37 municípios de cinco estados brasileiros: Alagoas, Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo e Paraná, por meio de 18 operações que somadas beneficiam 6 milhões de pessoas. O alcance dos serviços prestados pela companhia a coloca entre os principais operadores privados do setor de saneamento do país. Em 2019, foi eleita pelo terceiro ano consecutivo uma ótima empresa para se trabalhar pela consultoria Great Place to Work (GPTW). Atualmente, emprega cerca de 1,5 mil pessoas. O nome Iguá é uma referência direta ao universo em que atua: em tupi-guarani, “ig” que dizer água. www.iguasa.com.br.

Por Assessoria