Notícias / Polícia


Imprimir notícia

12/06/2018 05:58 - Atualizado em 12/06/2018 06:03

Alagoas é o estado do Nordeste que teve mais custos em criminalidade

 

Alagoas é o estado com maior custo econômico da criminalidade no Nordeste e o terceiro no Brasil. É o que aponta um estudo divulgado nesta segunda-feira, 11, com informações passadas pelo secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Hussein Kalout.

Segundo o documento, intitulado “Custo Econômico da Criminalidade no Brasil”, o total de perdas em todo o país chegou a R$ 4 trilhões, entre os anos de 1996 e 2015. Durante o período, os custos econômicos da criminalidade cresceram de R$ 113 bilhões para R$ 285 bilhões, o que equivale um incremento real médio de cerca de 4,5% ao ano. O cálculo foi feito com relação ao Produto Interno Bruto (PIB).

Ainda de acordo com o documento, em 2015 os componentes, em ordem de relevância eram: segurança pública (1,35% do PIB); segurança privada (0,94% do PIB); seguros e perdas materiais (0,8% do PIB); custos judiciais (0,58% do PIB); perda de capacidade produtiva (0,40% do PIB); encarceramento (0,26% do PIB); e custos dos serviços médicos e terapêuticos (0,05% do PIB), alcançando um total de 4,38% da renda nacional.

No Nordeste, o estado que apresentou mais custos foi Alagoas, com 5,2% com referência a fração do PIB, em 2015. Os estados de Ceará e Sergipe aparecem logo em seguida, com 4,9 % e 4,8 % respectivamente, na segunda e terceira posição no ranking.

No Brasil, o estado que teve maior custo com a criminalidade foi o Amapá, com 6,9%, seguido por Acre e Alagoas, conforme o gráfico abaixo:

O texto também traz uma perspectiva regional dos custos econômicos da criminalidade e limitações orçamentárias. O documento mostra ainda os custos econômicos no ano de 2015, último da análise de 20 anos, em que são quantificadas cada uma das seis áreas (segurança pública, perda da capacidade produtiva, encarceramento, médico-hospitalar, custos judiciais, seguros e perdas materiais assim como segurança privada). Os recursos poderiam ser destinados para outras áreas, como investimento. Os estados tidos como os de “baixa economia” são os que mais perdem.

Os dados informados no documento foram colhidos pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) a partir de informações do IBGE, dos Anuários Estatísticos da Previdência Social, Departamento Penitenciário Nacional, Superintendência de Seguros Privados, (Susep/MF), CPI sobre o Sistema Penitenciário Nacional, Conselho Nacional de Justiça, Conselho Nacional do Ministério Público e Ministério da Justiça.

Confira os números, apresentados no documento, referentes aos estados no Nordeste. Os custos em criminalidade são pela ordem, com referência a fração do PIB, em 2015:

Alagoas 5,2%
Ceará 4,9%
Sergipe 4,8%
Maranhão 4,5%
Bahia 4,1%
Paraíba 4,1%
Pernambuco 4,1%
Rio Grande do Norte 3,8%
Piauí 2,7%



Cada Minuto com Política Real 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.