Notícias / Alagoas


Imprimir notícia

28/05/2020 07:03 - Atualizado em 28/05/2020 07:12

Alagoas perde quase 27 mil empregos formais com pandemia

 

Alagoas fechou 26.979 vagas formais de trabalho de janeiro a abril deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quarta-feira (27), pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho - órgão ligado ao Ministério do Trabalho. O volume - medido pela diferença entre as 27.988 admissões e os 54.967 desligamentos - representa uma retração de 7,63% em relação ao mesmo período do ano passado.

O desempenho de Alagoas é o terceiro pior do Nordeste, à frente apenas de Pernambuco, que extinguiu 53,5 mil vagas com carteira assinada, e da Bahia, que fechou 37,5 mil postos formais de trabalho.

Somente no mês de abril, segundo os dados do governo federal, Alagoas extinguiu 7.095 vagas formais de trabalho - a diferença entre as 2.760 contratações e as 9.855 demissões. Em termos percentuais, abril registrou um recuo de 2,12% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Vale ressaltar que em abril, as atividades econômicas consideradas não essenciais - como comércio e serviços - estavam proibidas de funcionar devido ao decreto do governo do Estado publicado em 16 de março, como forma de combater a crise do coronavírus.

Em todo o País, segundo os dados do Caged, foram extintos 763,2 mil postos formais de trabalho - a diferença entre as 4,99 milhões de admissões e as 5,76 milhões de demissões. Somente em abril, o País fechou 860,5 mil vagas de trabalho, uma retração de 2,21% em relação ao mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, São Paulo foi o estado que mais fechou postos formais de trabalho, com 227,6 mil vagas. Em seguida aparecem Rio de Janeiro (menos 125,1 mil), Minas Gerais (-76,9 mil) e Pernambuco (-53,5 mil). Nesse período, apenas três estados brasileiros acumulam saldo positivo na criação de emprego: Acre (1.404 vagas), Mato Grosso do Sul (743) e Roraima (135).

O levantamento do Ministério da Economia ainda trouxe também dados sobre empregos preservados durante a pandemia através do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda, que permite a redução proporcional de jornada e salário dos trabalhadores ou suspensão de contratos.

Segundo o Caged, Alagoas teria preservado 61.695 vagas de emprego com o programa. É o segundo menor número do Nordeste, à frente apenas de Sergipe, que preservou 53.074 postos de trabalho. Na região, a Bahia aparecem em primeiro lugar, com a preservação de 300,4 mil postos de trabalho. No País, São Paulo encabeça o ranking, com a preservação de 2,1 milhões de vagas.


Gazetaweb 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.