Notícias / Alagoas


Imprimir notícia

09/02/2018 06:03 - Atualizado em 09/02/2018 06:13

Alfredo Gaspar reage e nega ser 'Cria dos Calheiros’

 

Em um texto em que destaca sua trajetória independente no combate às organizações criminosas e aos corruptos alagoanos, o procurador-geral de Justiça de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto (Sem partido), reagiu nesta quinta-feira (9), contra uma notícia que o tratou como “cria dos Calheiros”, citando supostas queixas de que teria sido "ingrato e traidor" com o senador Renan Calheiros (MDB-AL), por estar avaliando a possibilidade de concorrer a uma das vagas de senador, contra a reeleição do ex-presidente do Senado.

O chefe do Ministério Público de Alagoas demonstrou que não admite ser tratado como “criatura criada” por Renan. E destacou teve méritos próprios em todos os seus feitos no MP, onde comandou por cinco anos Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), prendendo prefeitos, secretários, deputados, vereadores, empresários, traficantes de grande porte, membros de grupos de extermínio, etc.

A manifestação de Alfredo Gaspar foi uma resposta ao jornalista da Coluna Radar, Maurício Lima, sobre a notícia publicada nessa quinta, no site da Revista Veja. Na nota divulgada pelo próprio Alfredo Gaspar via aplicativo WhatsApp, o procurador-geral de Justiça nega ter sido indicado pelo senador Renan para se tornar secretário de segurança de Alagoas no primeiro ano e três meses do governo de Renan Filho, “nunca tendo tratado de qualquer assunto profissional ou pessoal com ele”.

O chefe do MP destaca que, depois de ter sido convidado por razões técnicas pelo filho de Renan, conseguiu retirar Alagoas do título desonroso de estado mais violento do Brasil.

“O tempo que permaneci à frente da Secretaria não foi suficiente para firmar laços estreitos com a família Calheiros. Porém, ressalto o meu respeito a ela, da mesma forma que respeito as demais famílias alagoanas. Por isso não posso aceitar ter sido adjetivado como ‘cria’ e ‘traidor’, já que, enquanto secretário, trabalhei com lealdade àquela gestão e ao povo do meu estado. Com meus pais, aprendi as lições de hombridade e seriedade e, deles, sim, orgulho-me de ser cria”, disse Alfredo Gaspar, antes de lembrar que foi eleito para chefiar o MP em candidatura única.

O procurador alagoano afirma que, desde janeiro de 2017, tem dedicado todos os seus dias ao MP. Porém, em dezembro de 2017, divulgou vídeo de felicitações pelo ano novo, no qual fez duras críticas aos políticos alagoanos e ao que chamou de “Alagoas da Corrupção”. Na ocasião, disse ao Diário do Poder que pensa, sim, em disputar cargo eletivo e que vai tomar a decisão sobre sua eventual candidatura a senador “mais à frente”.

Seu prazo para desincompatibilização é em abril. E, se optar por ser candidato a senador, com o discurso que tem contra a política tradicional alagoana e o envolvimento de seus integrantes com escândalos, Alfredo Gaspar fará as chances de reeleição do senador Renan Calheiros afundar como uma âncora, em 2018.



Diário do Poder
Texto:Davi Soares 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.