22/01/2021 07:39 - Atualizado em 22/01/2021 07:41

Anulação do PSS facilita indicações políticas em Arapiraca

 

Os aprovados no PSS de 2019, em Arapiraca, estão surpresos com a decisão do Município de anular aquele processo seletivo, a população, possivelmente, deve ser prejudicada com a decisão, principalmente, a partir do momento que esses servidores fizerem falta no atendimento ao público. A solução para não haver caos no atendimento de diversos serviços oferecidos aos cidadãos será a famosa indicação política para o preenchimento dos cargos vagos. Os servidores exoneradas questionam a qualidade dos atendimentos e serviços caso a escolha para os cargos seja meramente política no intuito de cumprir possíveis promessas de campanha.

A Saúde de Arapiraca já está sofrendo com o pequeno contingente após a demissão de inúmeros profissionais, surge mais uma preocupação e decepção no início da gestão de Luciano Barbosa. Preocupação pela falta dos serviços prestados à população e por dúvida em saber como será a processo de escolha desses profissionais que poderão ser apenas acordos políticos. A decepção fica para aqueles, agora demitidos, que votaram em Luciano Barbosa nas eleições passadas.

Em matéria publicada no Portal Cada Minuto a notícia afirma que o Luciano Barbosa, anulou o Processo Seletivo Simplificado (PSS) nº 01/2019, com 660 candidatos para exercício da função pública. A anulação, publicada no Diário Oficial dos Municípios desta quinta-feira (21), seguiu o parecer da Procuradoria Geral do Município (PGM), tornando sem efeito todos os atos constantes dos autos processuais e inerentes ao mencionado PSS.

Por meio da assessoria de Comunicação da Prefeitura de Arapiraca, a Procuradoria Geral do Município explicou que os contratos foram anulados depois que a Controladoria encontrou vícios e irregularidades, que foram ratificados pelo órgão jurídico.

A duração de um ano dos contratos celebrados em 2019 foi prorrogada por mais um ano em 2020, conforme previsto no edital.

À época, foram ofertados 35 cargos nos níveis fundamental, médio e superior. Entre eles, assistente social, enfermeiro, farmacêutico, psicólogo, assistente administrativo, técnicos, auxiliares e monitores em várias áreas e motorista.

'Para a população os serviços interrompidos são essências e que esta adequação, decisão, política ou não, seja solucionada tendo os munícipes como prioridade máxima', pedem os prejudicados.


Genival Silva