Notícias / Brasil


Imprimir notícia

10/09/2018 11:51 - Atualizado em 10/09/2018 12:16

Bolsonaro permanece na UTI e precisará de nova cirurgia

 

O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, permanece em estado grave e internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo. A informação consta do último boletim médico, divulgado na manhã desta segunda-feira (10). O informe diz ainda que o candidato deve ser submetido a "nova cirurgia de grande porte".

Jair Bolsonaro foi esfaqueado durante comício de sua campanha na última quinta-feira (6), em Juiz de Fora (MG). Ele foi submetido a uma cirurgia ainda naquela noite, na Santa Casa da cidade, e transferido já na manhã seguinte para o centro médico paulista.

Segundo a equipe responsável pelos cuidados a Bolsonaro, a nova cirurgia será necessária para "reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia" que foi feita "em função de lesões graves do intestino grosso e delgado" provocadas pela facada.

"O paciente permanece ainda com sonda gástrica aberta e em íleo paralítico (paralisia intestinal), que ocorre habitualmente depois de grandes cirurgias e traumas abdominais", dizem os médicos, acrescentando ainda que havia, nesse domingo (9), uma "movimentação intestinal ainda incipiente" e que persiste do mesmo modo hoje.

O boletim médico informa também que Bolsonaro continua sendo alimentado apenas por via endovenosa, que é a introdução de nutrientes diretamente na veia. "[O candidato] permanece sem sinais de infecção, recebendo o suporte clínico, cuidado de fisioterapia respiratória e motora, e alimentação exclusivamente parenteral (endovenosa)", finaliza a nota, assinada pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo, pelo clínico e cardiologista Leandro Echenique e pelo diretor-superintendente do hospital, Miguel Cendoroglo.​

Bolsonaro saiu da maca pela primeira vez desde o ataque no último sábado, quando foi colocado em uma poltrona durante cerca de meia hora. Segundo os médicos, ele também já caminhou pelo quarto acompanhado de um fisioterapeuta.

O ex-capitão do Exército foi esfaqueado por Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos de idade, durante ato de sua campanha na região central de Juiz de Fora, no último dia 6. O suspeito foi preso em flagrante e hoje está em isolamento em presídio federal de Campo Grande (MS) por determinação da Justiça.

O agressor de Jair Bolsonaro disse que agiu por razões religiosas e negou ter recebido ajuda para efetuar o ataque ao candidato. A Polícia Federal, no entanto, ainda investiga possível envolvimento de outras duas pessoas no atentado. Adelio Bispo de Oliveira foi indiciado por prática de "atentado pessoal por inconformismo político" com base em artigo 20 da Lei de Segurança Nacional.




Fonte: Último Segundo - iG  


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.