Notícias / Esporte


Imprimir notícia

02/12/2017 06:38 - Atualizado em 02/12/2017 06:39

CSA anuncia data de lançamento das novas camisas

 

O CSA terá roupa nova em 2018. E diferente do que o torcedor marujo está habituado, a aposta da diretoria para a nova temporada, acompanha uma tendência forte, sobretudo nos clubes que disputam a Série B: a marca própria para o material esportivo. Apenas nesta sexta-feira, o clube deu a "primeira pista" da novidade, ao anunciar nas redes sociais o lançamento dos novos uniformes, para o próximo dia 15 de dezembro. O nome trabalhado para estampar o uniforme do CSA é o mascote do clube: Azulão.

A primeira equipe a aderir ao “projeto marca própria” foi o Paysandu em 2016. O Papão rompeu com a multinacional que desenhava os uniformes, a Puma, e decidiu apostar na Lobo, produto criado exclusivamente para estampar o material esportivo da instituição. A aposta foi certeira, e o clube paraense obteve lucros muito expressivos em menos de um ano: segundo os dirigentes, em entrevista ao Estadão, os valores giraram em torno de R$ 1,5 milhão em apenas sete meses de implantação, explorando além do material de jogo, como linha casual e outros produtos.

E foi justamente no Norte que o CSA buscou esse espelho. A diretoria começou a trabalhar firme nos bastidores logo depois da garantia do acesso à Série B da próxima temporada. Paralelamente aos duelos contra o Tombense, em setembro, a diretoria maruja começou a “trocar figurinhas” com representantes dos fornecedores do Papão da Curuzu. O PFC obteve a informação de que representantes do alto escalão da empresa, responsáveis pela idealização dos produtos Lobo estiveram em Maceió para apresentar os produtos aos dirigentes azulinos.

A proposta agradou, mas como o CSA avançou às finais da Série C, inclusive tendo se sagrado campeão, o acordo foi selado apenas em outubro. Serão seis anos de contrato, com a expectativa de um faturamento exponencialmente maior do que o acordado com a Numer, que repassava apenas 10% das vendas. O novo acerto também contempla, além de uma participação mais efetiva nos lucros das vendas, o recebimento de royalties . A agora antiga fornecedora já havia sido comunicada pela diretoria maruja que não haveria renovação do vínculo, iniciado em março, após o fiasco da parceria com a inglesa Umbro.

Falhas no abestecimento

Assim como uma proposta financeiramente melhor para o CSA, o clube ainda se apoiou em outros argumentos para encerrar o vínculo com a Numer. Atrasos na entrega de material para treino e falhas no abastecimento da rede varejista vinham desagradando a diretoria azulina. Criada para o torcedor, a marca “Marujo” também não deve continuar. Ela era confeccionada pelo Grupo SB, que detém a Numer.

Como vai funcionar

Apesar da Lobo ser feita para um clube do Pará, os responsáveis pelas confecções são fábricas têxteis terceirizadas, espalhadas pelo Brasil. Há uma empresa, agora também sócia do CSA no negócio, que irá ficar responsável pela demanda dos produtos. Estas mesmas fábricas também irão fazer os materiais azulinos. Além do material padrão de jogo, como camisas oficiais, calções e meiões, o “Projeto Azulão” também prevê o CSA investindo em outras frentes. Uma linha casual exclusiva, com camisas, calças, bonés, tênis, cuecas, entre outros artigos pensados para o torcedor, bem como linha exclusiva feminina e infantil.

O design do material ficará a cargo deste sócio, com o CSA podendo opinar durante o processo criativo. A intenção da diretoria é apresentar a nova marca e o novo material no dia 15 de dezembro, com as novas lojas oficiais, que serão instaladas no shopping do bairro de Mangabeiras, e na Avenida Amélia Rosa.

Os produtos já chegam estampando a estrela de campeão brasileiro no escudo e, no caso do material de jogo, há a expectativa de virem com o nome da Caixa Econômica Federal no espaço nobre da camisa, após a efetivação do acerto, firmado neste mês de outubro, em Brasília.

Inicialmente, serão apresentados os três padrões de jogo que serão utilizados em 2018, além de parte da linha casual. O nome “Azulão” foi escolhido por ser o pássaro Azulão o mascote oficial do clube. Apesar da data de lançamento, o clube deve ter parte dos novos produtos já em uso no dia 11 de dezembro, quando se dará início a pré-temporada de olho em 2018.

Outros clubes com marcas próprias

Também seguindo a onda do Paysandu, outros clubes brasileiros firmaram acordos para vestirem marcas próprias. Os nomes escolhidos fazem referências a elementos característicos dos times. O Santa Cruz apostou na “Coral”, com base no mascote tricolor; O Juventude lançou a “19treze”, referência ao ano de fundação do clube; O Joinville, a “Octo”, uma lembrança aos oito títulos estaduais conquistados na década de 80; E o Fortaleza optou pelo Leão, também mascote tricolor.




TNH1 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.