Notícias / Esporte


Imprimir notícia

28/03/2019 03:54 - Atualizado em 28/03/2019 03:57

CSA goleia Coruripe e amplia a vantagem para o segundo jogo

 

Vira, virou no Estádio Gerson Amaral! O CSA começou perdido e perdendo o jogo por 2 a 0, mas se reencontrou em campo e conseguiu a grande virada, de goleada, em cima do Coruripe: foram incríveis 6 a 2. A partida foi disputada na noite desta quarta-feira (27), pela ida da semifinal do Campeonato Alagoano.

Com essa vitória elástica, o Azulão coloca um pé na final do Estadual, pois agora o Hulk terá que vencer pela diferença de cinco gols no jogo de volta, marcado para o dia 3 de abril, às 20h30, no Estádio Rei Pelé. Antes dessa partida, porém, o Azulão tem o jogo pela Copa do Nordeste, no próximo sábado, contra o Altos-PI, no Estádio Albertão.

Além de dar um passo largo para a final do Campeonato Alagoano, o Azulão conseguiu fazer história. Essa é a maior goleada registrada neste confronto entre as duas equipes.

Jessé e Alef fizeram os gols do Coruripe; e o Azulão marcou com Matheus Sávio, de pênalti, Dawhan empatou e Apodi virou para 3 a 2, esses todos no primeiro tempo. Já na segunda etapa, o Azulão ampliou com Matheus Sávio (segundo dele no jogo), Manga Escobar e Victor Paraíba.

O 1º tempo
O Coruripe começou o jogo apertando a saída de bola do CSA. Em certo momento, o duelo ficou até quente. Após falta em Luciano Castan, os ânimos sobem e houve um princípio de confusão.

O CSA estava perdido. Não jogava bem e perdia todas as bolas. E com o Hulk impossível do jeito que estava, bem melhor do que o Azulão, em todos os setores do campo, claro que não demorou para ele abrir o placar. Aos 8 minutos, após cobrança de escanteio, João Carlos saiu muito mal e Jessé guardou a bola no fundo da rede: 1 a 0.

Estava fácil demais para o Coruripe, que chegou logo ao segundo gol, aos 14 minutos. Isso mesmo: 14 minutos. Alef cortou para a direita em cima de Ronaldo Alves e chutou no cantinho, do lado esquerdo de João Carlos: 2 a 0.

E só dava Coruripe no jogo! Aos 18 minutos o Hulk chegou com perigo. Numa boa trama do ataque, Renato levantou na área do CSA e Ronaldo Alves afastou. Aos 19 minutos, de novo o Coruripe: Kiko Alagoano bateu o escanteio, a zaga do CSA cortou e, na sobra, Alef Manga mandou por cima da meta azulina.

O Coruripe sufocava o CSA em campo, mas o Azulão chegou ao seu primeiro gol, graças a um pênalti marcado pelo árbitro Rafael Carlos Salgueiro, quando Patrick Fabiano chutou e a bola bateu no braço de Islan. Aos 25 minutos, Matheus Sávio cobrou muito bem, deslocando o goleiro Alexandre e diminuiu para o CSA: 2 a 1.

O Azulão ainda comemorava o seu primeiro gol e eis que veio o segundo, era o gol do empate azulino. Aos 27 minutos, Dawhan tabelou com Patrick Fabiano, invadiu a área e soltou a bomba, deixando tudo igual no Gerson Amaral: 2 a 2.

Aos 30 minutos, o Hulk tentou com Alef Manga, que arrancou na velocidade, passou por dois marcadores do CSA, ficou cara a cara com o goleiro João Carlos, mas chutou a bola por cima do travessão. Aos 34 minutos foi a vez de o CSA tentar. Mauro Silva arriscou de longe, de fora da área, e a bola passou à direita do gol de Alexandre.

Detalhe da partida: aos 39 minutos, o técnico do Hulk, Elenilson Santos, acabou sendo expulso, por reclamação contra a arbitragem. Teve que assistir ao restante da partida das arquibancadas. Aos 41 minutos, Didira avançou, mas errou o passe para Matheus Sávio e facilitou a vida da defesa do Hulk.

O CSA buscava o terceiro gol, o gol da virada. E ele veio, já no finalzinho. Aos 45 minutos, Apodi recebeu um excelente passe de Didira e chutou forte, sem chance para o goleiro do Coruripe: 3 a 2 para o Azulão.

A etapa final
No segundo tempo, o CSA foi logo dando as cartas. E, assim como aconteceu o gol do Coruripe na etapa inicial, sem demora, o Azulão ampliou aos 4 minutos. Matheus Sávio soltou uma bomba, de fora da área, e balançou a rede, fazendo um golaço e ampliando para o time azulino: 4 a 2.

O jogo era todo do CSA, enquanto o Coruripe estava nervoso, cansado e perdido em campo. O Hulk só tocava a bola, enquanto o Azulão se defendia bem e tentava explorar os contra-ataques. E em um deles chegou ao quinto gol, aos 15 minutos. O colombiano Manga Escobar chamou o lateral Renato para "dançar a cúmbia" (dança/música da Colômbia) e chutou, vendo a bola morrer no fundo do gol. Não percam as contas: 5 a 2 para o CSA.

Com a boa vantagem no placar, o técnico Marcelo Cabo começou a promover mudanças em sua equipe, que passou a trocar passes e administrar o resultado. Aos 30 minutos, o treinador já tinha feito as três modificações permitidas.

Aos 34 minutos, Patrick Fabiano, teve a chance de ampliar, mas chutou fraco e a bola ficou nas mãos do goleiro Alexandre, que caiu para fazer a defesa. Mas o Azulão chegou ao seu sexto gol na partida, aos 36 minutos. Victor Paraíba se livrou de dois marcadores, entrou na área do Hulk, fintou Alexandre e tocou no canto esquerdo, fechando a goleada: 6 a 2.

Aos 43 minutos, o Coruripe tentou. Após cobrança de escanteio, João Carlos afastou e, na sequência, Ivan tentou, mas foi bloqueado pela zaga azulina. O CSA respondeu aos 46 minutos. Victor Paraíba arriscou de longa distância, a bola bateu no chão e Alexandre ficou com ela. Não havia tempo para mais nada, pois o árbitro apitou o final da partida exatamente aos 47 minutos.

Coruripe - Alexandre; Renato (Pinheirinho), Jessé, Islan e Chiquinho Bala; Jair Amaral, Palhinha (Lourinho), Kiko Alagoano (Juliano) e Alef Manga; Etinho e Ivan. Técnico: Elenilson Santos.

CSA - João Carlos; Apodi, Ronaldo Alves, Gerson e Luciano Castán; Mauro Silva, Dawhan (Amaral), Matheus Sávio e Didira (Celsinho); Manga Escobar (Victor Paraíba) e Patrick Fabiano. Técnico: Marcelo Cabo.

Árbitro - Rafael Carlos Salgueiro (CBF-AL).
Auxiliares - Pedro Jorge Santos de Araújo (CBF-AL) e Benílson dos Santos (FAF).


Gazetaweb 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.