Notícias / Agreste


Imprimir notícia

18/07/2018 08:15 - Atualizado em 18/07/2018 08:15

Dois pesos: Sinteal aceita reajuste de 2,95% do Estado, mas recusa 3% do município de Maceió

 

Entre gritos e ovações na porta da prefeitura de Maceió, além de palavras agressivas à administração municipal, o Sinteal manobrou para que a proposta de 3% como reajuste salarial não fosse aprovada. Mas, por outro lado, admitiu um reajuste de 2,95% do governo do Estado.

Essa posição demonstra que as reivindicações vão além da situação técnica-financeira da prefeitura de Maceió. Parece mesmo ser uma coisa orquestrada para pressionar os governos do PSDB no Brasil. Comandado pelo PT e ligado à CUT, o sindicato, embora os 3% de reajuste para os servidores oferecidos pela Prnefeitura são o maior percentual entre as capitais nordestinas, não quis saber de acordo. Para dirigentes da prefeitura está claro que o movimento é político.

Em meio ao jogo político e aos interesses do Sindicato dos Professores, crianças ficam sem estudar, serviços públicos deixam de funcionar e o servidor público, que nada tem a ver com isso, fica sem a reposição salarial oferecida pelo município. 

Diário do Poder


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.