Notícias / Economia


Imprimir notícia

10/09/2018 11:22 - Atualizado em 10/09/2018 11:24

Estou endividado. O que fazer?

 

No meu último post sobre crédito consignado da Caixa com garantia do FGTS, recebi muitas dúvidas de pessoas interessadas em fazer o empréstimo. E sabe por qual motivo? Grande parte era (acreditem!) para pagar dívidas. É triste ver que tanta gente está passando por isso e, o pior, sem muitas perspectivas de conseguir sair dessa situação por conta do desemprego, da falta de dinheiro e outros fatores.

No mês de agosto, Alagoas registrou um saldo de 185 mil pessoas endividadas. Ter dívidas não é algo necessariamente ruim, desde que você tenha condições de pagá-las. Mas não é que vem acontecendo. Mais de 87 mil consumidores alagoanos estão com as contas atrasadas, ou seja, as pessoas continuam comprando, mas não conseguem pagar o que devem. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) de Maceió realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com o Instituto Fecomércio-AL.

Tipos de endividados
Existem dois tipos de endividados: o ativo e o passivo. O ativo é aquele consumidor que gasta mais do que ganha e não consegue controlar o orçamento. Já o passivo é aquele que ficou endividado por conta dos imprevistos da vida, como o desemprego, redução de salário, doença, aumento dos gastos com filhos, etc.

Tanto um quanto outro, todos sofrem com o endividamento. Mas o que fazer? Essa é uma resposta difícil, mas existem algumas orientações que podem ajudá-lo a sair dessa situação. Vale dizer que não existe milagre nem uma receita mágica, mas com muito esforço e disciplina é possível colocar as finanças em ordem.

É claro que se você está desempregado, vai ser mais difícil acertar as contas. O desafio aqui é sobreviver!! Por isso, tente descolar algum bico enquanto não arruma um emprego fixo e busque alternativas para ter alguma renda nesse período. Por mais difícil que possa parecer, é possível encontrar alternativas.

Já quem pode contar com um salário no fim do mês, deve começar a se organizar para, aos poucos, ir quitando as dívidas. O primeiro passo é não fazer mais dívidas e evitar compras desnecessárias, principalmente aquelas por impulso. Depois, coloque as contas no papel pra saber exatamente o tamanho da sua dívida. Algumas contas, como as de cartão de crédito e cheque especial, possuem juros mais altos e têm prioridade na hora de pagar.

Veja algumas dicas para sair das dívidas:
- Faça um planejamento. Conhecendo a sua renda familiar, seus gastos essenciais (luz, água, gás, aluguel) e suas despesas extras, é mais fácil identificar onde é possível cortar custos.
- Procure ajuda. Antes mesmo de a dívida explodir, busque auxílio de órgãos de defesa do consumidor, como o Procon. Lá, eles poderão analisar o seu caso e orientá-lo sobre as melhores formas de sair do endividamento.
- Analise os acordos. Mesmo sendo uma ótima alternativa, é importante analisar com calma a proposta que o banco ou a operadora de crédito lhe oferecer. Consulte a sua planilha de orçamento, veja se as taxas de juros são menores e mais vantajosas e evite acordos que aumentam o parcelamento da dívida.
- Evite novos empréstimos. Novos créditos podem fazer sua dívida aumentar. Só vale a pena trocar uma dúvida por outra quando os juros são bem menores. 


TNH1


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.