Notícias / Política


Imprimir notícia

26/02/2018 15:51 - Atualizado em 26/02/2018 15:57

Ex-candidato a vereador teria tentado usar audiência pública como palanque

 

Durante audiência pública promovida pelo Ministério Público de Alagoas, em Arapiraca, nesta segunda (26), o ex-candidato a vereador Vytor Ferro usou a palavra e fez acusações contra o MP e a Prefeitura da cidade.

Dentre as declarações feitas, Vytor acusa a gestão Teófilo de promover contratos ilícitos e o Ministério Público de não receber as denúncias feitas a respeito.

Confira a fala de Vytor Ferro na audiência:

“Eu estive três vezes no Ministério Público, tentando falar com o promotor Napoleão, sem êxito. Deixei, inclusive, denúncias de vários políticos, empresários, filhos de vereadores, que recebem do município de Arapiraca sem nunca terem dado um dia de serviço. Somente na minha conta são mais de R$ 2 milhões. Eu tenho tudo isso detalhado, tudo isso comprovado, e que até hoje ninguém dá nenhuma resposta. Inclusive, contratos ilegais que estão sendo feitos, e eu posso apresentá-los a qualquer hora, a qualquer membro do MP da nossa cidade”.

“Eu gostaria que pudessem me atender no MP, e eu apontar esses processos. Inclusive, um na compra de veneno. São mais de 200 mil reais, numa empresa que abriu há um ano, com capital de giro de R$ 10 mil, que só poderia estar fazendo contrato de R$ 1.000 mensais, e em um ano já fez 200 mil reais. E no contrato, nenhum deles especifica onde foi aplicado o veneno”.

“Essa é a forma de transparência da gestão em Arapiraca. Estão trocando cargos de cabos eleitorais, estão pagando altos salários na cidade de Arapiraca, em troca de apoio político para essa eleição. Todas as minhas denúncias foram deixadas na Polícia Federal, foram entregues também ao Governo do Estado de Alagoas e também foram entregues à Secretaria de Segurança Pública”.

“São vários equipamentos odontológicos, novos, deixados pela última gestão em total abandono, nunca foram usados. São dezenas de dentistas que recebem há mais de um ano que nunca foram ao trabalho”.

Após estas declamações, Vytor Ferro saiu imediatamente do auditório, não permanecendo nem mesmo para ouvir as réplicas.

O Promotor de Justiça Napoleão Amaral rebateu as acusações ao público:

“O Ministério Público deve tomar muito cuidado para não ser usado como ‘cabide político’. O que esse cidadão fez aqui, eu digo que é um ato de covardia, porque ele não teve a coragem de ficar aqui para ouvir a resposta. Nós temos duas servidoras preparadas para receber qualquer tipo de reclamação que chegue ao MP. Agora, o que o MP não pode fazer é simplesmente permitir que qualquer cidadão que pegue aquilo que está no Portal da Transparência e encaminhe ao MP sob o argumento de que aquilo ali é uma irregularidade, sem trazer o mínimo de provas sequer daquilo que está dizendo.

“É muito fácil falar que exerce a cidadania quando você simplesmente pinça aquilo que está no Portal da Transparência e quer transferir sua responsabilidade ao MP. Todas as vezes que ele levar essas informações, como ele trouxe aqui, eu garanto aos senhores que as informações dele serão indeferidas, porque o Ministério Público não vai ser, jamais, utilizado como instrumento de política para ninguém”.

Confira as declarações de Vytor Ferro e Napoleão Amaral na íntegra, em áudios no link original da matéria, aqui.



com 7 Segundos 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.