Notícias / Esporte


Imprimir notícia

16/03/2018 08:42 - Atualizado em 16/03/2018 08:45

Figurinhas da Copa começam a ser vendidas nesta sexta-feira

 

Faltam três meses para a Copa do Mundo, mas o "esquenta" para os fãs de futebol começa nesta sexta-feira (16) com o início das vendas das figurinhas nas bancas de jornais de todo o país.

Cada pacotinho com cinco figurinhas vai custar R$ 2. O álbum da Copa 2018 com 682 figurinhas começa a ser vendido no domingo (18), segundo a editora Panini.

Para conseguir completar o álbum rápido e sem gastar muito, o G1 conversou com colecionadores experientes de figurinhas que revelaram dicas valiosas. Confira:

- Vá em bancas de diferentes pontos da cidade
- Se puder, compre embalagens fechadas de 50 pacotes para evitar as repetidas.
- Entre em grupos de troca nas redes sociais.
- Vá a eventos de troca em parques e shoppings. No dia do evento deixe o álbum em casa e leve só as figurinhas e uma lista com as faltantes.
- Consiga as que faltam para alguém e troque pelo bolo de repetidas da pessoa.
- Faça tabelas com os cromos faltantes e repetidos e entregue para a família e amigos ajudarem a encontrar.
- Não compre mais do que o necessário, aposte nas trocas.
- Coleção desde 1990

André Vinícius, de 31 anos, começou a colecionar em 1994 e calcula que já gastou cerca de R$ 2 mil no vício de montar álbuns de Copas do Mundo. Ao todo, são 15 livros completos. André tem todos os álbuns desde a Copa de 1990. Em 2010, completou três álbuns. Na última Copa, a do Brasil, em 2014, foram sete.

Ele diz que é apaixonado pelo processo de abrir o pacotinho, colar no álbum, mas principalmente porque gosta das pessoas que conhece nas trocas. "Tenho amigos que fiz em 2010 por causa das figurinhas e que falo até hoje", contou.

Ele não sabe se existe regra na distribuição mas prefere não arriscar, e para evitar as repetidas compra os pacotinhos em bancas de diferentes regiões da cidade. Além disso, na hora de trocar figurinhas usa duas estratégias: consegue as que os amigos precisam para completar por todo o montante de repetidas da pessoa e frequenta eventos de troca no Masp, Shopping Eldorado e em uma banca localizada na Rua Direita, no Centro.

Grupo com 18 mil colecionadores
Já Leandro Machado, de 30 anos, prefere comprar embalagens fechadas com 50 pacotes para fugir das repetidas. Para ele, a principal estratégia é não comprar mais do que o necessário para completar, no máximo ter 50 figurinhas excedentes. Além disso, ele alerta para não comprar de vendedores que cobram preços abusivos, com figurinhas que chegam a custar R$ 5 cada.

Leandro, que tem todos os álbuns desde 1994, é um dos organizadores dos eventos que acontecem no Masp, e que, segundo ele, reuniram mais de duas mil pessoas em 2014. Para ele, frequentar esses encontros de troca é a melhor opção para não ficar para trás. Além disso, ele recomenda os grupos de Facebook. O colecionador é um dos administradores de um grupo na rede social em que 18 mil pessoas de todo o Brasil combinam trocas e encontros.

Paixão herdada do pai

Para a Fernanda Lima, de 22 anos, a melhor tática é mobilizar amigos e família. Ela monta tabelas com as figurinhas faltantes e distribui para os conhecidos. Depois, cria um grupo no Whatsapp em que as pessoas ficam atualizando quais conseguiram e quais serão necessárias para as trocas.

Ela começou em 2002 com o pai, que foi quem a influenciou a acompanhar futebol. Desde então, não parou mais de colecionar. Fernanda aposta em diversificar na hora da compra, procurar em várias bancas para fugir das repetidas. A publicitária vai acompanhar a tendência e também marcará presença nos eventos de troca pela cidade.



GazetaWeb 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.