Notícias / Esporte


Imprimir notícia

30/11/2017 04:06 - Atualizado em 30/11/2017 04:11

Grêmio se livra de trauma argentino e conquista o tri da Libertadores

 

Os cinco mil gremistas que viajaram até Lanús foram recompensados. Com uma atuação muito boa na etapa inicial e uma dose de sofrimento no segundo tempo, o Grêmio venceu o Lanús por 2 a 1, no estádio La Fortaleza, na segunda partida da decisão, e conquistou o tão sonhado tricampeonato da Libertadores.

O time tinha a vantagem do empate após vencer o jogo de ida por 1 a 0, realizado há uma semana, em Porto Alegre.

Com o título, o clube tricolor igualou o Santos e o São Paulo como os maiores vencedores da principal competição sul-americana. Três cada.

A vitória sobre um rival argentino também tem um gosto especial para o time gaúcho.

Campeão da competição em 1983 e 1995, quando venceu o Peñarol e o Atlético Nacional, a equipe havia perdido as duas decisões da competição que fez contra clubes do país vizinho. Em 1984 e 2007, foi derrotado na final para Independiente e Boca Juniors, respectivamente.

A conquista foi a primeira de um time brasileiro em solo argentino desde 1963, quando o Santos, de Pelé, passou pelo Boca.

Desde então, as equipes brasileiras foram vice-campeãs quando decidiram nas arenas argentinas. São Paulo (1974), Cruzeiro (1976), além do próprio Grêmio (1984), tiveram a chance, mas não conseguiram.

O título também coloca o fim a um jejum de quatro anos do país na competição. O último brasileiro campeão do torneio foi o Atlético-MG, que derrotou o Olímpia em 2013.

Com a conquista, o Grêmio ainda vai jogar o Mundial de Clubes da Fifa nos Emirados Árabes Unidos, em dezembro.

O time brasileiro entra na semifinal, dia 12, uma terça-feira.

O Grêmio vai enfrentar o vencedor do jogo entre Pachuca, do México, e Wydad, do Marrocos, o representante da África. As duas equipes se enfrentam no dia 9.

INVASÃO GREMISTA

A conquista é especial para os cinco mil torcedores gremistas que estiveram no estádio.

Apesar do clima tenso, que cercou a partida em razão dos acontecimentos em Porto Alegre, quando um ônibus e um carro da torcida rival foram apedrejados, a torcida não enfrentou problema para chegar ao estádio.

A segurança feita pela polícia argentina funcionou. Os 75 ônibus foram escoltados de Puerto Madero, local da concentração, até o estádio do Lanús.

No estádio, os gremistas não pararam de cantar, assim como os hinchas do Lanús, como são chamados os torcedores argentinos.

O La Fortaleza, que tem capacidade para 42 mil pessoas, estava completamente lotado. Muitos assistiram ao jogo de pé ou até pendurados na grade do acanhado estádio.

Os gremistas foram presenteados com uma atuação praticamente perfeita de sua equipe na etapa inicial.

Como Renato Gaúcho prometeu na véspera, o time não se "acovardou".

O treinador, que havia participado da primeira conquista do clube na competição como jogador, em 1983, adiantou a marcação e impediu que o adversário saísse jogando do campo de defesa com a ajuda do goleiro Andrade, uma das características do rival.

Desta forma, o Grêmio fez uma de suas melhores partidas no ano. Em menos de 15 minutos, Fernandinho exigiu uma bela defesa do goleiro rival, e Barrios finalizou com perigo, mas para fora.

Melhor em campo e sem dar oportunidades para o adversário, o Grêmio abriu o placar com Fernandinho. Aos 26, o atacante ganhou uma dividida no meio de campo e arrancou para tocar na saída de Andrada.

Foi o primeiro gol do jogador na competição. Nos dois últimos anos, o atleta esteve emprestado.

Antes de terminar a etapa inicial, Luan fez linda jogada individual e marcou o segundo para coroar sua melhor temporada na carreira.

No segundo tempo, o Grêmio voltou sem Arthur, lesionado. O camisa 29 havia sido um dos destaques dos primeiros 45 minutos com passes precisos, boa marcação e cadência do jogo.

Com Michel, o time ficou mais recuado. O Lanús partiu para cima e criou boas chances.

Aos 26, Pep Sand diminuiu em uma cobrança de pênalti.

Apoiado pela torcida, o time argentino encurralou o Grêmio, principalmente após a expulsão de Ramiro, aos 36. A equipe rondou a área adversária, mas não conseguiu empatar o jogo.


Folha 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.