Notícias / Cultura


Imprimir notícia

11/08/2021 09:19 - Atualizado em 11/08/2021 09:24

Live 'Sanfonas e Versos' realiza homenagem ao mestre Afrísio Acácio em seus 72 anos

 

Dia 28 de de junho de 2019. Véspera de São Pedro. Chuva fininha abençoando todo mundo. Era a última vez que o mestre Afrísio Acácio subia em um palco oficialmente com a Orquestra Sanfônica de Arapiraca.

A imensa plateia presente no Lago da Perucaba acompanhava naquela noite um verdadeiro desfile de clássicos do cancioneiro nordestino.

Tudo era festa e alegria pulsante, apesar das dificuldades inerentes do dia a dia da vida. Era, também, a última edição do “Aravantu — São João de Arapiraca” antes da chegada da pandemia da COVID-19. E foi por complicações dela que o nosso mestre Afrísio foi tocar acordeon no céu.

Para reverenciar seu nome, sua história, memória, legado e amizade perene, nesta quinta-feira (12) às 19h, data que seria seu aniversário de 72 anos de idade, haverá uma live reunindo a própria Orquestra Sanfônica e diversas participações mais que especiais.

O projeto se chama “Sanfonas e Versos” e é encabeçado pela Lindeza Produções e Touro Entretenimento — este último de um dos filhos do mestre Afrísio, o empresário Arlison “Touro” Acácio —, tendo patrocínio da Lei Aldir Blanc, por meio da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult) e da Secretaria Nacional da Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo (MTur).

O evento ao vivo ocorrerá a partir das 19h desta quinta (12) no canal oficial do Youtube da Touro Entretenimento (www.youtube.com/TouroEntretenimentoOficial).

LIVE ESPECIAL

“Minha intenção inicial era realizar, no total, quatro lives com ele. Ele pegou gosto pela coisa depois de fazer participação nas lives do Arraiá dos Pocas e da banda Dona Flô. Ainda conseguimos fazer uma live inteirinha com ele, que, inclusive, está em meu canal oficial. Por conta do ocorrido [Afrísio foi acometido pela COVID-19 e passou um bom tempo se recuperando, entre idas e vindas ao hospital antes de nos deixar em junho último, o mês que o acolheu em todos os sentidos], não conseguimos fazer a lives restantes, como havíamos programado. Essa live, em especial, ele queria fazer com a Orquestra Sanfônica e trazer junto os irmãos dele, ainda que não fossem artistas. Ele queria apresentar a família a todos e, aos poucos, ir inserindo-os no meio, como fez com mamãe [dona Alcina]”, conta Arlison Touro.

Segundo o filho, haverá inserções de vídeos em meio aos shows. Um deles será justamente um registro audiovisual dos irmãos do mestre, fazendo declamação de diversas poesias matutas de Afrísio.

“Na sequência, inicia-se a apresentação da Orquestra Sanfônica, que estará reduzida, devido à pandemia também, a fim de seguirmos todos os protocolos de Saúde e Segurança contra a COVID-19 durante o evento. Depois teremos uma série de vídeos de papai [o mestre Afrísio], que ele havia gravado para este momento único. Enfim, há muito conteúdo e não estão nem 10% das pessoas que queriam estar nessa homenagem! Certamente, vamos retomar isso na volta presencial do Projeto Cultura na Praça, que ele comandava às segundas-feiras em Arapiraca”, revela Arlison, ressaltando que o Projeto sempre teve o apoio da Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Juventude.

Já nesta singela homenagem ao Poeta Vaqueiro do Agreste que será realizada na quinta (12), a qual conta com produção musical de Lennon Menezes, estarão fazendo frente à Orquestra Sanfônica de Arapiraca os músicos Vitor Jordão, Zé Neto, Bastinho da Sanfona, Maxuel do Acordeon, Messias, Juquinha, Leandro, Noaldo do Acordeon e Garoto Márcio, além de Assis na percussão, Zé Cheira Caçola na zabumba e Bodinho no triângulo.

Serão intercalados os músicos Mário Maia, Severo da Mata Limpa, Miguel Vieira, Ednaldo do Campo Grande, Zé Moreira, Neide, Jailson do Acordeon, Jailson do Acordeon, Nelson do Acordeon, Tico dos Oito Baixos, Vitor & Zé e o mestre Cecílio Afinador de Sanfonas.

As participações ficam por conta de Jéssica Dona Flô, César Soares, Barbosa, Nelsinho Silveira, Júnior Silveira, Mago Véio, Janu, Alves Correia, Ditinha da Sanfona, Priscila, Deca do Acordeon, João de Lima, Adelson Canaã, Rosevaldo Cajé, Antenor Cazuza e Gonçalves Repentista, trabalhando a palavra falada, cantada e decantada.

Segundo Janu Leite, músico, produtor cultural arapiraquense e um dos envolvidos na produção do evento junto à Lindeza Produções, será um clarão no meio dessa escuridão pandêmica que estamos todos vivenciando.

"O seu Afrisio tinha aquela aura que todo bom mestre costuma ter. Era um produtor nato, com uma capacidade de mobilização fora do comum! Trabalhamos bastante juntos durante os últimos anos e estávamos com alguns projetos e sonhos, inclusive, de levar o Cultura na Praça para várias cidades e estados. O último projeto que estávamos prestes a realizar era justamente o de estabelecer a Orquestra Sanfônica de Arapiraca. Quinta-feira ela vai tocar e, com certeza, ele estará por lá”, diz Janu.

MESTRE GENEROSO

De fato, o mestre Afrísio era um bastião, uma bandeira fincada no coração de Alagoas, demarcando o território intocável da cultura popular em Arapiraca.

Logo no início do dia, ele dirigia o programa “Manhãs Nordestinas”, na Pajuçara FM Arapiraca, a acordar todo mundo transmitindo e distribuindo generosamente felicidade pelas ondas do rádio.

Sempre nos dias de feira livre em Arapiraca, às segundas-feiras, era certo ter o Projeto Cultura na Praça, capitaneado sempre por ele e dona Alcina, com diversos artistas da região celebrando a Música, a Poesia e a Língua Máxima do Nordeste, dando espaço a quem quisesse.

O local onde ocorriam os encontros ganhou, então, seu nome: agora se chama “Tenda Cultural Mestre Afrísio Acácio”, bem no centro da Praça Luís Pereira Lima.

Se por um lado naquele show histórico de 2019, a Orquestra Sanfônica de Arapiraca homenageou João do Pife, levando à Perucaba toda a energia do forrobodó, agora este “Sanfonas e Versos” criará — na casa de cada um dos alagoanos que acompanharem à live — um verdadeiro arraiá virtual, com a necessidade de se afastar os móveis da sala.

Cantar e dançar espantam os males, diz o ditado ampliado. Então, mais do que nunca, salve Afrísio, seu sorriso, suas camisas coloridas, sua palavra e seu acordeon! Ainda estamos lhe ouvindo daqui, mestre.

Por Assessoria  


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.