Notícias / Política


Imprimir notícia

08/10/2019 11:37 - Atualizado em 08/10/2019 11:39

Mais uma gestante tem atendimento negado no Hospital da Mulher

 

Apesar da afirmativa da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) de que os atendimentos no Hospital da Mulher começaram na segunda-feira (30/09) - um dia após a inauguração midiática feita pelo governador Renan Filho (MDB) -, com ambulatórios abertos 24 horas, não é isso que os pacientes que tentaram ser atendidos na unidade relatam diariamente nas redes sociais.

Mais uma vez, internautas procuraram a reportagem para denunciar a falta de atendimento na recém-inaugurada unidade totalmente dedicada à mulher.

Na postagem, uma mulher identificada como Cyliene Santos relatou que, no dia 05/10, esteve com a enteada no hospital, mas foi informada, pelo segurança, de que a unidade não estaria funcionando por falta de equipamentos.

"Levei minha enteada dia 05/10 (sábado) para lá, porque estive no Hospital Veredas e estava em reforma. Eles pediram para ir ao Hospital da Mulher", diz.

A mulher, então, foi orientada a procurar a Maternidade Escola Santa Mônica, que já sofre com superlotação. "Quando cheguei ao Hospital da Mulher, o vigia informou que não estava funcionando, estava faltando equipamento e estava mandando tudo para a Santa Mônica (superlotando a unidade)".

"Tudo mentira dizendo que está funcionando. Agora faz divulgação, tudo lindo, que inaugurou um hospital. Mentira! Governo de mentira", diz trecho da postagem.

Em contato com a reportagem, Cilyane relatou que a enteada foi transferida para a Maternidade Santo Antônio, onde teve seu bebê. "Cheguei a questionar o funcionário sobre o fato de a Santa Mônica só receber gestantes de alto risco, mas ele respondeu que todos os atendimentos estavam sendo feitos lá. Por sorte, minha enteada foi atendida e transferida para a Santo Antônio que, inclusive, ficou superlotada, já que era o único hospital com vaga disponível", afirmou.

Outro internauta ainda chamou o governo de Alagoas de "midiático". "O povo agora entende o que é um governo midiático! Na TV é tudo bonito, na realidade, é tudo uma farsa".

Outro caso

Nessa segunda-feira (7), a reportagem trouxe o descaso com uma paciente em trabalho de parto, que procurou a unidade e teve o atendimento negado. Uma chuva de comentários negativos surgiu após a postagem da mulher nas redes sociais.

Passados quatro dias do episódio, a paciente - que pediu para não ser identificada - postou vídeos no Instagram desabafando. "Cheguei ao hospital porque, no dia da inauguração, algumas pessoas me informaram que estava funcionando e li algumas matérias, por isso, procurei o hospital". Alguns pacientes criticam a falta de comunicação por parte do Estado sobre o funcionamento da unidade hospitalar.

Com o atendimento negado, a jovem se dirigiu à Maternidade Nossa Senhora da Guia, onde o bebê nasceu. "Quando cheguei lá [na Maternidade Nossa Senhora da Guia], meu filho já estava nascendo ali mesmo, na sala de pré-parto", contou.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou que o hospital passou a atender na segunda-feira (30/09) com ambulatórios abertos. Quanto aos atendimentos relativos aos partos de risco habitual, a Sesau confirmou que o primeiro atendimento só ocorreu após a higienização e esterilização nos primeiros dias antes de receber as gestantes.

Sobre a nova denúncia, a reportagem aguarda um posicionamento da assessoria de comunicação do Hospital da Mulher.


Gezetaweb 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.