Notícias / Esporte


Imprimir notícia

04/09/2018 08:15 - Atualizado em 04/09/2018 08:17

Marta está entre as três finalistas a melhor do mundo da Fifa

 

A Fifa anunciou nesta segunda-feira as três finalistas ao prêmio de melhor jogadora do mundo. Marta, vencedora por cinco vezes e indicada em 14 oportunidades, a norueguesa e uma das estrelas do Lyon Ada Hegerberg e a alemã Dzsenifer Maroszan, também do Lyon, disputam o troféu. A dinamarquesa Pernille Harder, que havia assegurado no último dia 30 de agosto a conquista de melhor jogadora da temporada pela Uefa, não figura na final depois de aparecer entre as 10 candidatas anunciadas no último dia 24 de julho. A cerimônia de gala para anúncio dos campeões será em 24 de setembro, em Londres.

- A gente fica feliz. É lógico que é gratificante e a gente acaba de alguma maneira colhendo os frutos de um trabalho que a gente começou aqui ano passado com o Pride. É muito legal poder estar entre as três. É um prêmio individual, mas nada seria possível se eu não tivesse as companheiras do meu lado no dia a dia me ajudando. Eu divido esse momento com elas também - disse Marta ao tomar conhecimento da indicação nesta segunda.

Caso chegue a conquistar a taça, Marta será recordista com seis troféus. Ela comentou sobre a possibilidade do feito:

- É difícil falar sobre isso agora porque ainda não aconteceu. Eu estava na expectativa de poder estar entre as três. É uma conquista muito bacana estar entre as três. Se isso acontecer (vencer), eu conto depois (riso) - finalizou ela.

Na temporada passada, em 2017, Marta foi vice-artilheira da NWSL com 13 gols, líder em assistências com 9 e peça decisiva para levar o Pride aos play-offs. Ela ainda foi a jogadora do mês de junho a setembro e também figurou na seleção da Concacaf de setembro. Em 2018, na atual temporada, somou quatro gols e quatro assistências em 17 jogos.

Melhor técnico no feminino

Entre os três escolhidos a concorrer a melhor técnico do ano no feminino, ficaram Reynald Pedros, técnico do Lyon, Asako Takakura, comandante do Japão, e Sarina Wiegman, treinadora da seleção holandesa, que venceu a edição de 2017. Vadão, pela seleção brasileira, chegou a figurar entre os 10 primeiros escolhidos, mas nã avançou à segunda fase da disputa.

Os vencedores serão definidos através de uma votação com a seguinte representação: 25% dos técnicos de seleções, 25% dos capitães das seleções, 25% de jornalistas e 25% através de votação online. No palco para o anúncio de todos os concorrentes, estava Kelly Smith, que atuou em duas Copas do Mundo pela Inglaterra.



Jornal de alagaos
 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.