Notícias / Polícia


Imprimir notícia

12/08/2017 05:18 - Atualizado em 12/08/2017 05:21

PM realiza operação no Dique Estrada e moradores fecham avenida em protesto

 

Moradores do Dique Estrada, no bairro do Vergel do Lago, interditaram os dois sentidos da Avenida Rui Palmeira na tarde desta sexta-feira (11) para protestar contra uma ação da Polícia Militar na região.

O bloqueio durou cerca de 15 minutos, até que a pista fosse liberada às 17h, após a chegada de policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).

Segundo Evandro Henrique, um dos moradores que participaram do protesto, os policiais invadiram a casa onde ele mora com a esposa e foram violentos.

"Eram umas 15h. Eu estava dormindo com a minha esposa, que está grávida, quando os policiais da Força Tática bateram na porta e invadiram o barraco. Eles reviraram as nossas coisas e pegaram R$ 200, que era pra comprar coisas pro meu filho", diz Henrique.

O morador afirma que ele e a esposa foram ameaçados pelos policiais. "Quando eu pedi pra eles não pegarem meu dinheiro, me ameaçaram, me chamaram de traficante e ameaçaram bater na minha esposa. Mas eu sou homem de bem, cato sururu e cuido de carros".

O major Rocha Lima, comandante do 1° Batalhão da Polícia Militar (BPM), afirma que a operação que motivou o protesto dos moradores vem sendo realizada desde quinta (10). Ele negou as acusações feitas pelos moradores de truculência dos policiais.

"Abordamos alguns moradores, mas essa história deles de que a polícia roubou dinheiro, que a polícia agrediu, é estratégia do tráfico para colocar a população contra a polícia. Essas orientações vêm de dentro do presídio", disse o major.

Durante a ação, os policiais apreenderam um simulacro de arma e uma motocicleta em uma área de mangue dentro da lagoa. Ninguém foi preso.

"Recebemos informações de que criminosos roubaram uma moto em Coqueiro Seco e tinham escondido em um mangue no meio da lagoa. Nós conseguimos embarcações e encontramos a moto. Além dela, achamos chassis de motos enterrados no mangue", explica o major.

Após o protesto, outros moradores relataram à reportagem que os policiais invadiram residências também pela manhã.

Eles chegaram a atear fogo a galhos, pneus e restos de madeira para interromper o trânsito na avenida.

Além, dos militares do Bope, o Corpo de Bombeiros foi acionado e apagou as chamas.


Moradores  


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.