Notícias / Polícia


Imprimir notícia

01/08/2018 09:26 - Atualizado em 01/08/2018 09:28

Prefeito acusado de estuprar e filmar casal desacordado se torna réu

 

Na sessão desta terça (31), o Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) decidiu por unanimidade aceita denúncia do Ministério Público Estadual (MP/AL) e tornar o prefeito afastado de Santa Luzia do Norte (AL), Edson Mateus da Silva (PRB), réu pela acusação de estuprar um casal desacordado, diante de uma criança que era incentivada a participar do crime.

O político responderá por estupro de vulnerável, corrupção de menor, produção e posse de cenas pornográficas envolvendo menor. E cumpre medidas cautelares a exemplo de se apresentar mensalmente em juízo, também permanecer na residência das 22h às 5h, e não se aproximar das vítimas.

Edson Mateus era alvo de mandado de busca e apreensão determinado pela juíza Juliana Batistela, em 15 de novembro de 2016, no âmbito de uma investigação de crimes eleitorais. E acabou preso porque um vídeo encontrado em um celular do político indicava a sua participação nos atos libidinosos.

Para o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, que pediu sua prisão em janeiro de 2017, o recebimento da denúncia reforça a convicção do Ministério Público de que o gestor afastado praticou os crimes a ele reportados e de que a justiça está sendo feita.

“O Ministério Público desde o início defendeu o afastamento e prisão do citado réu, em razão dos atos bárbaros e infames praticados pelo mesmo e por serem tais atos incompatíveis com o exercício de função pública”, afirma o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar.

Em janeiro do mesmo ano, o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), por meio da Promotoria de Santa Luzia do Norte, recomendou, que o presidente da Câmara de Vereadores daquele município assumisse interinamente a prefeitura da cidade, já que Edson Mateus cumpria prisão preventiva. Ele chegou a tomar posse, mas retornou para o Quartel Geral do Corpo de Bombeiros para cumprir a determinação judicial que as medidas cautelares substituíram.

Conforme os autos, o prefeito afastado é acusado de praticar com alguns amigos, na presença de uma criança, atos libidinosos com um homem e uma mulher que estavam desacordados. Além disso, o Ministério Público reforça que o réu ainda submeteu a criança a praticar os mesmos atos com a mulher. À época da sua prisão também foi constatado pela Polícia Federal o registro de gravações do estupro no aparelho celular de Edson Mateus.



Diário do Poder com Ascom do MP de Alagoas 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.