01/08/2018 09:26 - Atualizado em 01/08/2018 09:28

Prefeito acusado de estuprar e filmar casal desacordado se torna réu

 

Na sessão desta terça (31), o Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) decidiu por unanimidade aceita denúncia do Ministério Público Estadual (MP/AL) e tornar o prefeito afastado de Santa Luzia do Norte (AL), Edson Mateus da Silva (PRB), réu pela acusação de estuprar um casal desacordado, diante de uma criança que era incentivada a participar do crime.

O político responderá por estupro de vulnerável, corrupção de menor, produção e posse de cenas pornográficas envolvendo menor. E cumpre medidas cautelares a exemplo de se apresentar mensalmente em juízo, também permanecer na residência das 22h às 5h, e não se aproximar das vítimas.

Edson Mateus era alvo de mandado de busca e apreensão determinado pela juíza Juliana Batistela, em 15 de novembro de 2016, no âmbito de uma investigação de crimes eleitorais. E acabou preso porque um vídeo encontrado em um celular do político indicava a sua participação nos atos libidinosos.

Para o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, que pediu sua prisão em janeiro de 2017, o recebimento da denúncia reforça a convicção do Ministério Público de que o gestor afastado praticou os crimes a ele reportados e de que a justiça está sendo feita.

“O Ministério Público desde o início defendeu o afastamento e prisão do citado réu, em razão dos atos bárbaros e infames praticados pelo mesmo e por serem tais atos incompatíveis com o exercício de função pública”, afirma o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar.

Em janeiro do mesmo ano, o Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), por meio da Promotoria de Santa Luzia do Norte, recomendou, que o presidente da Câmara de Vereadores daquele município assumisse interinamente a prefeitura da cidade, já que Edson Mateus cumpria prisão preventiva. Ele chegou a tomar posse, mas retornou para o Quartel Geral do Corpo de Bombeiros para cumprir a determinação judicial que as medidas cautelares substituíram.

Conforme os autos, o prefeito afastado é acusado de praticar com alguns amigos, na presença de uma criança, atos libidinosos com um homem e uma mulher que estavam desacordados. Além disso, o Ministério Público reforça que o réu ainda submeteu a criança a praticar os mesmos atos com a mulher. À época da sua prisão também foi constatado pela Polícia Federal o registro de gravações do estupro no aparelho celular de Edson Mateus.



Diário do Poder com Ascom do MP de Alagoas