Notícias / Saúde


Imprimir notícia

08/07/2018 08:21 - Atualizado em 08/07/2018 08:23

Proteína da ervilha é nova opção para vegetarianos e veganos

 

Apesar do Brasil ainda ser um dos grandes consumidores de carne, o número de adeptos ao vegetarianismo e ao flexitarianismo, dieta que apenas reduz a ingestão de alimentos derivados de animais, não para de crescer. Segundo o estudo Alimentação Saudável – Tendências 2017, realizado pela Mintel – fornecedora global de pesquisa de mercado, 37% dos entrevistados tentam limitar a quantidade de carne consumida. Diante desse cenário, produtos à base de vegetais ganham espaço como alternativas mais saudáveis.

No caso dos alimentos sem proteína animal, elaborados em grande escala pelas indústrias, os insumos que substituem a carne são, geralmente, derivados da soja. Para atender às expectativas de consumidores que buscam variações em seus cardápios, o setor alimentício passou a pesquisar fontes alternativas à proteína de soja. O avanço dos estudos resultou no desenvolvimento de concentrados proteicos à base de ervilha.

“Enxergamos uma lacuna no mercado brasileiro, uma vez que, notamos haver apenas opções com proteína de soja disponíveis nas prateleiras do país, o que nos fez investir em pesquisa para entender como deveria ser esse novo produto. Foram 2 anos de estudos e testes até chegarmos nessa alternativa inovadora para substituição da carne animal”, explica David Oliveira, diretor de marketing da Superbom, empresa que lançou recentemente uma nova linha de substitutos feita com proteína da ervilha.

Benefícios da ervilha

Segundo Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, a ervilha é uma das melhores fontes proteicas do universo vegetal. “Muitos associam proteína apenas às fontes animais, e esquecem que existe uma gama de outros alimentos cheios dessa propriedade, como é o caso dessa leguminosa, que além de conter quase o dobro de proteínas da maioria dos vegetais, também possui muitas outras vantagens nutricionais, como auxílio na prevenção da diabetes, no fortalecimento dos ossos e na digestão”.A ervilha é rica em arginina, um aminoácido que melhora a circulação sanguínea, reduz o risco de arteriosclerose, ataques cardíacos, diminui o colesterol ruim, previne hipertensão, entre outros benefícios.

A ervilha é constituída de carboidratos complexos, ou seja, sua absorção é mais lenta, não causa picos de insulina, o que resulta em níveis menores de glicemia no sangue. Outra característica importante do tipo de carboidrato presente nesse vegetal é que a saciedade dura mais tempo. Em outras palavras, essa leguminosa e sua proteína, que pode ser isolada, são opções funcionais nas dietas para manutenção ou perda moderada de peso. Além de possuir uma quantidade considerável de amido resistente, cujas propriedades assemelham-se às fibras, fator relevante para o controle de glicose.

“As fibras alimentares também estão presentes na ervilha. Elas não só contribuem para a redução dos níveis de colesterol no sangue e melhoram a glicemia em pacientes com diabetes, como auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares, AVC’s e doenças vasculares periféricas, se consumidas regularmente”, finaliza a especialista.

A nova linha de proteínas congeladas e resfriadas da Superbom é mais moderna e muito saborosa. Ao todo, são 10 opções ovolactovegetarinas, como linguiças, salsichas, mortadelas, mini empanados, hambúrgueres e o Filé de Frango em pedaços, e 3 produtos para o público vegano: Mini Empanado multigrãos sabor legumes, Burguer de quinoa e Steak multigrãos sabor legumes. Todos contam com a proteína isolada da ervilha.

Sobre a Superbom
A Superbom é uma empresa alimentícia, que trabalha com uma linha de produtos saudáveis, que abrange sucos, geleias, salsichas, proteínas, pratos prontos, entre outros. Fundada em 1925, a Superbom comercializa os seus produtos em mais de 25 mil pontos de vendas em todo país. Em função disso, é considerada uma das principais empresas do ramo de alimentos para veganos e vegetarianos do Brasil. A empresa iniciou as suas atividades com a produção de suco de uva, no interior de uma antiga casa pertencente ao Colégio Adventista Brasileiro (CAB), que posteriormente ficou conhecido como Instituto Adventista de Ensino e, hoje, abriga o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp-SP). Durante toda a sua história, a empresa atua diretamente ligada à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Atualmente, a companhia conta com 250 colaboradores, entre a sede e as duas plantas da indústria (localizadas em São Paulo, capital, e em Lebon Régis, Santa Catarina). 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.