Notícias / Política


Imprimir notícia

12/06/2020 22:46 - Atualizado em 12/06/2020 22:46

Regis Cavalcante diz que o governo deveria deixar de lado a eleição e pensar mais em salvar vidas

Ex-deputado repudia exoneração de secretário de Educação que vai concorrer a prefeito de Arapiraca 

O presidente do Cidadania, Regis Cavalcante, teceu críticas ao vice-governador, Luciano Barbosa (MDB), que deixou a secretaria de Estado da Educação para se candidatar a prefeito de Arapiraca. Segundo o ex-deputado federal, o governo deveria estar mais preocupado em conter o avanço do novo coronavírus do que pensar nas eleições deste ano.

“Arapiraca tem um vice-governador que até pouco tempo era secretário de Educação, portanto, homem de confiança do governador. Agora deixa suas funções para ser candidato a prefeito de Arapiraca, isso em plena pandemia. O cidadão está mais preocupado com sua sede de poder, porque abandona suas tarefas de governante para ser candidato”, disse Regis.

O comentário foi feito após a postagem do advogado Hector Martins que classificou como ‘estarrecedor’ a transferência da maternidade do Hospital Nossa Senhora de Fátima para o Centro Hospitalar Manoel André (Chama), quando a população aguarda, há meses, pela instalação de um Hospital de Campanha para tratar os infectados.

“Hospital de Campanha é fundamental para salvar vidas, este item, não está na agenda destas figuras que apenas desejam a supremacia do povo de Arapiraca. Por outro lado, o prefeito afogado no seu mar de incompetência de uma gestão caótica. Agora é gritar para que acordem, a tarefa principal é salvar vidas”, finalizou o presidente do Cidadania.

Por sua vez, Hector Martins lamentou que a população de Arapiraca necessita desta unidade especializada com condições de atender o crescente número de pessoas infectadas pelo coronavírus (Covid-19). Segundo o advogado, e pré-candidato a prefeito de Arapiraca, Estado e Município estão travando uma quebra de braço para ver quem erra mais em meio a turbulência da pandemia mundial.

“Transfere-se as parturientes para o Chama – que já vem também tratando do vírus. Tudo isso para não construir o Hospital de Campanha. Outras opções já descartadas. Município x Estado lutando pra saber quem erra mais aqui. Estarrecedor!”, escreveu Hector Martins em sua rede social.
 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.