Notícias / Política


Imprimir notícia

03/04/2018 12:57 - Atualizado em 03/04/2018 13:02

Renan Filho: Ações criminosas mostram a fragilidade na segurança estadual

 

De porteiras abertas, isto é o que a população sente quando o assunto é segurança pública em Alagoas. O medo toma reina em Alagoas, a população se torna refém da violência enquanto e não há resultados nas ações do governo Renan Filho.

Mais duas explosões a agências bancárias ocorreram em Alagoas, o presidente do Sindicato dos Bancários de Alagoas, Márcio dos Anjos, falou, em entrevista na manhã desta terça-feira (2), que o número de ataques cresce. De janeiro até agora, nove bancos foram alvos de quadrilhas armadas em municípios alagoanos.

De acordo com o presidente, muitas agências estão fechando as portas. Os bancos alvos dos criminosos são, principalmente, Bradesco e Banco do Brasil (BB), que concentram inúmeras agências no interior, ao contrário da Caixa Econômica Federal (CEF).

"Sem sombra de dúvida, o interior de Alagoas é palco das quadrilhas porque os criminosos percebem a fragilidade da segurança, enquanto que, em Maceió, o efetivo é reforçado, o que inibe a ação de grupos armados", disse Márcio.

Na oportunidade, o sindicalista chamou atenção para as eleições que se aproximam, pois, segundo ele, levantamentos feitos pela entidade atestam que os assaltos aumentam todos os anos de eleição. "Podemos confirmar isso, mas não sabemos se há alguma relação e o motivo disso. Seria interessante que os Setores de Inteligência das polícias agissem nesse sentido.

Para Márcio, os clientes não se sentem mais seguros dentro de uma agência bancária. "O seguranças que lá estão têm a missão de defender o patrimônio. Enquanto isso, a população fica temerosa. Hoje, inclusive, tem ataque em tudo", reforçou, assinalando que o fechamento de uma agência ocasiona um prejuízo imenso para os moradores de um município, já que são obrigados a se deslocar para outras regiões.

"Quem sofre principalmente são os idosos. Devido a isso, o sindicato se reuniu com a AMA [Associação dos Municípios Alagoanos], para discutir, junto aos prefeitos, alternativas que venham a minimizar esses transtornos", pontuou.

O silêncio e as ações que não resolvem os problemas da violência no estado só são menores que a propaganda governamental jogadas nas diversas formas de mídia. Enquanto a população sofre, o governo estadual tenta, como balsamo, aliviar o sofrimento com imagens que, de tão logas, chegam a se igualar a telenovelas mexicanas. Alagoas mostrada pelo governo é uma visão de projeto político para uma reeleição, mas o quanto os alagoanos são carentes em projetos governamentais?



Genival Silva com Gazetaweb 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.