Notícias / Política


Imprimir notícia

03/08/2019 09:07 - Atualizado em 03/08/2019 09:13

Renan Filho deixou de pagar R$ 15 milhões para terapias contra o câncer

 

Após o prefeito Rui Palmeira (PSDB) cobrar na manhã desta sexta-feira (2) que o governador Renan Filho (MDB) regularize os repasses devidos pelo governo de Alagoas para cobrir os custos para o tratamento de pacientes com câncer em Maceió (AL), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) revelou que já utilizou R$ 8 milhões de recursos próprios do município para cobrir uma dívida de R$ 15 milhões não repassados nos últimos 12 meses pelo Estado para custear terapias essenciais à sobrevivência dos alagoanos que dependem da rede de atendimento da saúde pública.

Segundo a resposta da pasta da Saúde de Maceió, do montante devido, R$ 8 milhões são destinados ao próprio município e R$ 7 milhões ao Centro de Oncologia e Hematologia (Cacon) da Santa Casa de Misericórdia de Maceió, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Por conta do não repasse, a SMS já adiantou R$ 8 milhões em recursos próprios para não interromper o tratamento desses pacientes”, conclui a nota da assessoria da pasta.

A omissão acontece enquanto o governador Renan Filho segue descumprindo a promessa de inaugurar novos hospitais com obras iniciadas, que serviram como vitrine para sua reeleição em 2018, quando deveriam ser inaugurados, após um investimento anunciado em 2016, em torno de R$ 308 milhões.

Promessa de novo plano

Também procurada pelo Diário do Poder, a Secretaria de Saúde do Estado de Alagoas (Sesau), disse que, em reunião com o secretário municipal, José Thomaz Nonô, pactuou os valores que o governo de Alagoas irá assumir para fortalecer a rede de oncologia e garantir melhores condições aos maceioenses.

O secretário estadual da Saúde, Alexandre Ayres, ressaltou que sua pasta irá apresentar nos próximos dias o novo Plano Estadual de Oncologia, no qual o estado de Alagoas irá investir “mais R$ 20 milhões anuais”. E disse que tem dialogado com o secretário da Saúde de Maceió sobre o repasse dos recursos para que a capital realize a contratualização junto aos prestadores de serviço de saúde em Maceió.

Em nota encaminhada, a Sesau ainda afirma que, desde o início do ano, vem garantindo o fortalecimento da parceria e do apoio aos municípios Alagoanos e, principalmente, a Maceió, que só possui 27% de cobertura na atenção básica. “Com o Programa Dose Certa distribuímos RS 18 milhões de reais em medicamentos para a atenção básica”, diz a nota.

Mais cedo, o secretário da Saúde de Maceió, Thomaz Nonô, disse que espera desde janeiro que o governo estadual cumpra sua obrigação de informar aos municípios quanto em verbas será repassado pelo estado. “Estamos no dia 2 de agosto e até agora isso não foi feito. Já conversei pessoalmente com o governador e vou ver se isso está resolvido ou não”, disse Nonô.

Mas a secretaria estadual afirmou que a saúde pública alagoana segue recebendo investimentos do governo. “Em Maceió, a Sesau está ampliando a contratação de leitos para receber e tratar pacientes oncológicos na pediatria; ampliando o número de exames e consultas para o diagnóstico oncológico; no início de setembro deste ano, a Sesau inaugura o Hospital da Mulher com espaço dedicado para a realização de investigação e diagnóstico precoce da oncologia feminina”, diz a nota da saúde estadual, que se refere à obra atrasada do hospital prometido para ser inaugurado no primeiro mandato de Renan Filho e reitera ter “disposição de continuar ajudando o município de Maceió, que possui muita dificuldade em levar saúde para quem mais precisa”.


Diário do Poder 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.