Notícias / Alagoas


Imprimir notícia

20/05/2020 08:00 - Atualizado em 20/05/2020 08:04

Renan Filho: números mostram o mau resultado no combate ao Covid-19

 

Com os números de mortes pela Coronavírus crescendo em Alagoas as ações e decisões do governador Renan filho se mostram a ineficazes quando comparamos com outros estados com população média de Alagoas. Quando comparamos aos estados do Rio Grande do Norte e Mato Grosso, estados com populações maiores, em média 200 mil habitantes, se percebe o quanto a população de Alagoas se sente abandonada. Se comparado ao estado de Minas Gerais, segundo estado mais populoso do Brasil, a incidência de mortalidade por 100 mil habitantes é de 0,8. Enquanto o Estado de Alagoas registra, até o momento, registra 6,9. Dados do portal https://covid.saude.gov.br/.

As diversas relações compartilhadas nas redes sociais só não agradam a quem é partidário ou beneficiário do Governo Estadual. Os insensíveis buscam apenas garantir seus bônus e salários, tentam desnortear os que questionam ações e omissões no Governo Renan Filho. Há quem classifique como mentira, usando o termo “Fake News”, para postagens que mostram o sofrimento dos alagoanos e seus parentes que estão nas filas dos hospitais.

A matéria do Portal Gazetaweb mostra que em 24 horas, Alagoas contabilizou mais 13 óbitos provocados pelo novo coronavírus (Covid-19) e 288 casos confirmados, somando um total de 234 mortes e 4.319 pacientes infectados. O Boletim Epidemiológico foi divulgado nesta terça-feira (19), pela Secretaria de Estado da Saúde (SESAU).
 
Os números ainda apontam que, do total de confirmações, 1.361 estão em isolamento domiciliar, 220 internados em leitos públicos ou privados e 2.504 pessoas não apresentam mais sintomas, sendo consideradas como curadas. Além disso, 1.100 casos aguardam o resultado do exame laboratorial.
 
Atualmente, ainda de acordo com os dados da Sesau, 85 municípios de Alagoas já foram afetados pelo vírus. Os casos estão distribuídos entre Maceió (2.897), Arapiraca (140), Marechal Deodoro (96), Rio Largo (90), Satuba (77), Palmeira dos Índios (63), Murici (60), União dos Palmares (55), Coruripe (56), São Sebastião (59), Pilar (44), São Miguel dos Campos (44), Porto Calvo (40), Teotônio Vilela (37), Atalaia (36), Santana do Ipanema (35), Santa Luzia do Norte (30), Jequiá da Praia (29), Junqueiro (24), São José da Laje (20), Maragogi (20), São Luís do Quitunde (17), Boca da Mata (14), Campestre (14), Penedo (13), São Miguel dos Milagres (13), Paripueira (13), Campestre (15), Viçosa (11), Taquarana (11) e Anadia (10).
 
Com menos de 10 infectados, a lista é concluída com as cidades de Paulo Jacinto (9), Colônia Leopoldina (9), Barra de São Miguel (9), Capela (9), Matriz do Camaragibe (8), José da Tapera (8), Coqueiro Seco (8), Piaçabuçu (7), Messias (7), Craíbas (7), Japaratinga (7), Quebrângulo (7), Campo Grande (6), Campo Alegre (6), Batalha (6), Major Izidoro (6), Limoeiro de Anadia (6), Branquinha (6), Joaquim Gomes (5), Olho d'Água das Flores (5), Delmiro Gouveia (5), Carneiros (5), Cacimbinhas (4), Monteirópolis (4), Passo de Camaragibe (4), Pindoba (4), Pão de Açúcar (4), Coité do Noia (4), Maribondo (3), Jacuípe (3), Roteiro (3), Barra de Santo Antônio (3), Cajueiro (3), Maravilha (3), Mar Vermelho (3), Flexeiras (3), Feira Grande (3), Tanque d´Arca (3), Piranhas (2), Olivença (2), Porto Real do Colégio (1), Lagoa da Canoa (1), Jaramataia (1), Palestina (1), Novo Lino (1), Canapi (1), Inhapi (1), Igaci (1), Ibateguara (1), Poço das Trincheiras (1), Jundiá (1), Porto de Pedras (1) Dois Riachos (1), Senador Rui Palmeira (1) e Olho d´Água do Casado (1). Outras 25 pessoas eram naturais de Pernambuco, Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Santa Catarina.
 
Óbitos por Covid-19
O mais recente Boletim Epidemiológico também mostra que os 13 novos óbitos em decorrência do vírus são de nove pessoas de Maceió (seis mulheres com 76, 70, 56, 66, 49 e 69 anos, e três homens, com 80, 62 e 49 anos) e quatro do interior de Alagoas (uma mulher de 50 anos e três homens, com 57, 34 e 69 anos).
 
Entre as mortes de moradores da capital alagoana, a primeira foi de uma mulher de 76 anos, que tinha doença cardíaca crônica e faleceu no Hospital da Mulher. A mulher de 70 anos não apresentava comorbidades e morreu no Hospital MedRadius. A terceira vítima do sexo feminino tinha 56 anos, sofria de diabetes e veio a óbito no Hospital da Mulher. A quarta tinha 66 anos, apresentava doenças respiratórias crônicas e faleceu no Hospital MedRadius. A mulher de 49 anos era obesa, hipertensa e morreu no Hospital Veredas. Já a mulher de 69 anos era hipertensa e veio a óbito no Hospital Arthur Ramos.
 
Dos homens, o primeiro tinha 82 anos, não apresentava nenhuma comorbidade e faleceu no Hospital da Mulher. O homem de 62 anos era diabético, hipertenso e morreu no Hospital Veredas, enquanto o de 49 anos sofria de hipertensão e veio a óbito no Hospital Veredas.
 
No interior, a mulher de 50 anos não apresentava comorbidades e morreu no Hospital Djacy Barbosa. Ela residia da cidade de União dos Palmares. Quantos as vítimas do sexo masculino, o de 57 anos morava em Rio Largo, não tinha doenças pré-existentes e veio a óbito na Santa Casa de São Miguel dos Campos. O homem de 34 anos também não tinha comorbidades, residia em Santana do Ipanema e morreu no Hospital de Emergência do Agreste. O último tinha 69 anos, não apresentava comorbidades, residia em Boca da Mata e faleceu na Santa Casa de São Miguel dos Campos.
 
No total, 231 óbitos foram de pessoas que moravam em Alagoas, sendo 131 homens e 100 mulheres, e três de outros estados do Brasil (Pernambuco, São Paulo e Santa Catarina - dois homens e uma mulher). Deles, 154 residiam em Maceió e outras 73 em União dos Palmares (8), Marechal Deodoro (7), União dos Palmares (8), Arapiraca (6), Rio Largo (6), Pilar (4), Paripueira (3), Santana do Ipanema (3), Murici (2), Palmeira dos Índios (2), Maragogi (2), Coruripe (2), Paulo Jacinto (2), Penedo (2), Joaquim Gomes (2), Atalaia (2), São Miguel dos Milagres (1), São Miguel dos Campos (1), Viçosa (1), Anadia (1), Limoeiro de Anadia (1), Ibateguara (1), Maribondo (1), Matriz do Camaragibe (1), Lagoa da Canoa (1), Delmiro Gouveia (1), Messias (1), Campo Alegre (1), Batalha (1), Piaçabuçu (1), Cacimbinhas (1), Flexeiras (1), Japaratinga (1), Novo Lino (1), Satuba (1), Campestre (1), Teotônio Vilela (1), Porto Calvo (1) Campo Grande (1), Passo do Camaragibe (1) e Boca da Mata (1).
 
Leitos em hospitais
Até as 10h desta terça (29), 470 dos leitos disponibilizados para o tratamento de pacientes com confirmação e suspeito de Covid-19 estavam ocupados, o que corresponde a 67% do total. Deles, 143 estão em leitos de UTI, 16 em leitos intermediários e 311 em enfermaria. Ao todo, o Estado de Alagoas, conforme a Sesau, tem 700 leitos exclusivos.

O Governo segue acumulando decretos como se quisesse acompanhar, na mesma proporção, os mortos pela Covid-19, A população reclama da falta de informação, o caos no atendimento aos que buscam auxílio, a alta de sensibilidade do governador e de alguns laudos nas certidões de óbitos, nessa guerra entre rocha e canoa, o povo está afundando nas terras dos bois de ouro. 


Minuto Nordeste com Informações da Gazetaweb 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.