Notícias / Alagoas


Imprimir notícia

08/10/2018 05:24 - Atualizado em 08/10/2018 05:24

Rodrigo Cunha é eleito senador em Alagoas com dez pontos sobre Renan

 

Quase vinte anos depois de ficar órfão em um crime político que retirou de sua mãe Ceci Cunha o direito de integrar o Congresso Nacional e de viver ao lado de sua família, o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB-AL) obteve a confiança de cerca de 871.922 eleitores e foi eleito senador em Alagoas, com 34,28% dos votos válidos, na noite deste domingo (7). A segunda vaga ficou com o senador Renan Calheiros (MDB-AL), reeleito com 609.799 votos e 10,31 pontos a menos que o percentual de votos do primeiro colocado.

A trajetória de seriedade do jovem tucano de 37 anos superou o poderio de políticos tradicionais como o senador Benedito de Lira (PP-AL), que não renovou o mandato; o próprio Renan, que presidiu o três vezes o Senado; e o deputado federal e ex-ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR-AL).

Apesar de compor a mesma coligação de Benedito de Lira, Rodrigo Cunha se recusou a subir no palanque de sua coligação, que chegou a ter como candidato a governador o senador Fernando Collor de Mello (PTC-AL). Na reta final, após a desistência de Collor, o senador Biu tentou atrair eleitores do parlamentar tucano, mas não obteve reciprocidade.

Rodrigo Cunha é o filho mais novo da médica Ceci Cunha e do comerciante Juvenal, assassinados em 16 de dezembro de 1998, com outros dois familiares, em Maceió (AL). Naquele dia, Ceci tinha acabado de ser diplomada deputada federal por Alagoas, e foi trucidada por ordem de seu suplente, Talvane Albuquerque, condenado a mais de 100 anos de prisão, em 2012, como mandante do crime de pistolagem política que marcou a história de Alagoas e do Brasil.

“Todos sabem da história da Ceci Cunha. Agora completo um ciclo da minha vida. Quem trouxe essa força até aqui vocês sabem quem foi. Vocês sabem quem trouxe o Rodrigo até aqui. Há muita gente que não presta. Para que o Brasil tenha uma história diferente, é preciso ter personagens diferentes. Se sair R$ 100 milhões de reais de Brasília, vão chegar R$ 100 milhões em Alagoas. Tenho plena convicção de que quem me elegeu foi o povo. Pode mandar que estou preparado”, disse Cunha, ao discursar após a vitória.

Enquanto seu maior adversário neste pleito, Renan Calheiros, é um político notável pelo seu poder e por figurar como investigado em mais de dez inquéritos por suspeitas de corrupção no Supremo Tribunal Federal, Rodrigo Cunha foi reconhecido nacionalmente entre os 50 políticos mais promissores e modernos do Brasil.

Depois de uma passagem brilhante pelo Procon de Alagoas, Rodrigo Cunha foi o deputado estadual mais votado em 2014 e em seu primeiro mandato economizou R$ 4 milhões, ao se recusar a pagar aos assessores de seu gabinete a gratificação por dedicação excepcional (GDE), suspeita de ser responsável por escoar o dinheiro dos alagoanos pelo ralo da corrupção, na Assembleia de Alagoas.

Como parlamentar, foi um legislador eficiente e protagonista, quase que isolado, na oposição ao governador Renan Filho (MDB), na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE).

Para fiscalizar o Executivo, criou o site Monitora Alagoas, que expôs e controla em tempo real o descumprimento de promessas do governador Renan Filho, que hoje tem 39% das promessas não iniciadas, 45% em andamento e apenas 5% concluídas



Diário do Poder/Al 


Deixe seu comentário

PREENCHA SEUS DADOS ABAIXO

Suas informações pessoais não serão divulgadas.


Comentários 0

Ainda não há comentários nesta matéria.