29/09/2016 16:53

Eleições no dia de Mahatma Gandhi

 

A princípio, eu queria escrever sobre as Eleições Municipais de 2016. Porém, não encontrei empolgação para esse momento. Mudaram-se apenas os nomes, os titulares dos cargos e das cadeiras na Prefeitura e na Câmara de Vereadores, mas os problemas continuam os mesmo, sem soluções. Sendo assim, aproveito a data de 02 de Outubro para comemorar o 122º aniversário do nascimento do líder pacifista indiano e “pai da nação indiana”, Mahatma Gandhi, reconhecido como “A Grande Alma”, que morreu assassinado por extremista indu com três tiros desferidos à traição, aos 78 anos de idade, mas que deixou um legado de homem honesto, corajoso, humilde e piedoso. Em sua opinião, costumava afirmar para seus admiradores e aliados que “O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente”.

Mohandas Gandhi, mais conhecido por Mahatma Gandhi, foi um dos idealizadores e fundadores do moderno estado indiano, livre do imperialismo inglês, e um influente defensor do princípio da não-agressão (Satyagraha), forma não-violenta de protesto, como um meio de revolução pacifista. Foi ele quem ajudou a Índia a se libertar do governo colonialista britânico, inspirando outros povos a protestar por suas próprias independências e, em última análise, para o desmantelamento do Império Britânico e o surgimento da Comunidade Britânica. Aliás, o princípio indiano do “satyagraha” aplicado por Gandhi que pode ser traduzido como “o caminho da verdade” ou “a busca da verdade”, também inspirou gerações de ativistas democráticos e anti-racistas do mundo inteiro, a exemplo de Martin Luther King nos EUA, de Nelson Mandela na África do Sul, de Agostinho Neto em Angola, entre outros.

Neste momento que se realizam as eleições mais depressivas (que causa depressão) na história contemporânea do Brasil, por conta da corrupção, da imoralidade, da mentira e da insensatez na classe política, torna-se oportuno recordar a figura do líder político e espiritual da Índia Mahatma Gandhi que, em seus pronunciamentos, enumerava sete (7) razões para a Decadência da Sociedade Humana. Dizia o Mestre da Nação Indiana que não se pode aceitar Riqueza sem Trabalho, Prazer sem Sacrifício, Conhecimento sem Sabedoria, Comércio sem Moral, Política sem Idealismo, Religião sem Ética e Ciência sem Humanismo.

Em seus encontros políticos de natureza pacifista, Gandhi pregava suas reflexões:
– “Uma coisa lançou profundas raízes em mim: a convicção de que a moral é o fundamento das coisas, e a verdade, substância de qualquer moral. A verdade tornou-se meu único objetivo. Ganhou importância a cada dia. E também a minha definição dela foi constantemente ampliando-se”.
– “Minha devoção à verdade empurrou-me para a política; e posso dizer, sem a mínima hesitação, e também com toda a humildade que não entendem nada de religião aqueles que afirmam que ela nada tem a ver com a política”.
– “O erro não se torna verdade por se fundir e multiplicar facilmente. Do mesmo modo a verdade não se torna erro pelo fato de ninguém a ver”.
– “Odeio o privilégio e o monopólio. Para mim, tudo o que não pode ser dividido com as multidões é tabu”.

Por fim, finalizo esta crônica, saudando o dia 2 de Outubro como um dia muito especial, não pelas Eleições Municipais que se realizam, porque elas não me trazem nenhum gozo e nenhuma esperança, pois, há muito tempo, penso como o jogador Bernardo – “No Brasil existe dois tipos de políticos: os corruptos declarados e os declarados corruptos”. Também comungo do pensamento do saudoso Winston Churchill “a diferença entre um estadista e um demagogo é que este decide pensando nas próximas eleições, enquanto aquele decide pensando nas próximas gerações”. Porém, encanto-me com dia 02 de Outubro porque nessa data, há 122 anos, nasceu um homem íntegro e humilde que reconheceu que a ALMA SEM ORAÇÃO É IMPURA: “A oração salvou-me a vida. Sem a oração teria ficado muito tempo sem fé. Ela salvou-me do desespero. Com o tempo, a minha fé aumentou e a necessidade de orar tornou-se mais irresistível. A minha paz muitas vezes causa inveja. Ela vem-me da oração. Eu sou um homem de oração. Como o corpo, se não for lavado fica sujo, assim a alma sem oração se torna impura”. Pensemos nisso! Por hoje é só.