20/04/2016 14:09

Psui! quem amordaça, manda e merece o poder!

 

Uma educação amordaçada para futuros alunos cegos da sociedade! O Dep Ricardo Nezinho, que apresentou o projeto de lei “Escola Livre” e em tese prática pode limitar os professores de demonstrar, exemplificar e até comparar fotos históricos e sociais em sala de aula. Sim, pois como debater sobre a sociedade na atual sem a fusão das disciplinas educacionais e os acontecimentos do cotidiano.

Praticas deste tipo se espalham em todo território e são oriundas de mentes tradicionalmente conservadoras, que talvez, tenha medo da evolução do um povo que buscador da limitação massiva da liberdade de escolha e da politização dos seres. Estaria, este povo, próximo de um novo coronelismo? O das ideologias e controle do conhecimento? Ou como uma camada inferior da sociedade, a grande maioria dos cidadãos “esse povo”, tem que ser limitações de informações que barram suas escolhas?

O que leva a alguns políticos terem tendências a liminar o conhecimento da população? Quais desejos suprimidos alimentam a necessidade de amordaçar mestres, doutores e a um professor do ensino fundamental, que, conhecedor dos problemas sociais, mostram ao alunado os costumes e problemas que a ignorância nos acontecimentos sócias causam?

Talvez, os alunos, futuros profissionais da educação e de outras áreas diversas, sejam formadores de um povo pensante, e, um povo que pensa livremente, que busca entender todos os lados de um pentagrama social possa não ser facilmente escravizado por gentilezas sazonais, por sorrisos frouxos e abraços vazios.
Ou, por achar que os professores trabalhem muito, os apoiadores desse projeto, queiram reduzir o peso na missão do professor, Limitando-o do pensamento de instruir, da prática do mostrar, do desejo de formar seres analíticos, do espaço e da voz?

O medo, talvez, possa ser do crescimento de uma esquerda, que utopicamente deseja o poder a todos os custos, mas isto não justifica o castramento do conhecimento diverso, do direito de escolher lados opostos e da eterna busco pelo equilíbrio antagônico. Escolhas são livres e a constituição dá esse direito. Ou simplesmente é uma tentativa de doutrinar, sem doutrinação aparente, o alunado em um complô totalmente de direita? Sendo assim, onde ficaria a liberdade de escolha, a liberdade de pensamento dos que ingenuamente buscam o melhor para sociedade? Mas para alguns: “quem a mordaça, manda e merece o poder”. Supostamente!