30/10/2016 21:34

Alagoas: Sussurros de Liberdade na Terra dos Marechais

 

O grito oco, sem miolo, massageia o peito dos libertários? Quando haverá, por fim, o ecoar agudo do cair das cercas, mourões e arames farpados que ainda isola e maltrata o tão rico estado de alagoas? Quando respirar liberdade será não o dever de favores políticos a quem chegou ao poder pelo poder? O que pode mudar em Alagoas após a derrota do PMDB em Arapiraca e em Maceió?

Tratado como o feudo dos poderosos, Alagoas sempre está entre os piores índices nas pesquisas divulgadas que buscam entender as causas nos problemas sociais. Servidas em bandejas durante festas regadas a propaganda, as medidas paliativas não trás resultados eficazes, e Estado segue a passos lentos o caminhar de sua história. Quais foram as contribuições e ações que resolveram problemas urgentes no estado? A falta de água no sertão, os problemas ocasionados pela catástrofe da enchente em 2010 e outras mazelas que perduram castrando os sonhos e oportunidades de alagoanos, elas já foram totalmente solucionadas? O quanto é rentável politicamente para o governo estadual continuar investindo no município arapiraquense e nas cidades que o seu partido perdeu nas eleições?

Alagoas, estado envolto em paternalismo e clientelismos demasiados onde uma grande parcela da população admira o status dos poderosos, talvez por quererem ocupar suas posições. Não há uma singela mudança em seu contexto histórico político recente que mostre possíveis soluções para a melhoria de vida da população alagoana. Como serão as disputas das eleições de 2018? O que muda com a derrota do PMDB nos dois maiores colégios eleitorais? Qual grupo tradicional ocupará as lacunas, caso em 2018, o povo queira uma mudança no executivo estadual? Quais os efeitos de uma possível mudança para o estado? O quanto essas eleições municipais podem ajudar aos alagoanos? Qual o preço a ser pago pelos alagoanos que escolheram não votar nos candidatos que o governo apoiou?

Na ausência quase que absoluta do Estado, uma parcela da população se farta dos benefícios oriundos da dependência política no geográfico território, que os novos feudos se extingam e com eles a ausência do poder publico, que a renovação venha com a contribuição da sociedade, os alagoanos se tornem donos legítimos do seu estado de deixem sofrem a solidão social de seus direitos. Ecoa nas almas alagoana um acender de uma chama de liberdade?