16/04/2015 09:15 - Atualizado em 16/04/2015 09:55

Arapiraca: Babilônia, Sodoma ou Gomorra?

Denuncias mostram como anda a cidade de Arapiraca, quando e como investigar? Será vaerdade
ou é apenas delirios de alguns cidadãos que querem mundança geral na Cidade.?

Recebemos denuncias que os contratados da cidade de Arapiraca ainda estão passando por problemas financeiros e que alguns estão recebendo a cada três meses apenas um dos meses atrasados e os outros são esquecidos. A fonte nos falou que muitos dos contratos são indicações de vereadores que para ter seus votos prometem essas vagas no poder municipal. E que os que recebem os salários, já descontados o INSS mas o valor não é repassado para o órgão federal, ainda foi relatado que muitos que adoecem e não pode ir ao trabalho, que segundo eles não remunerado ou remunerado parcialmente, são substituídos e quando voltam não tem o direito aos dias de licença.

As merendas das escolas estão sempre em falta ou incompleta e quando há são sucos ralos e meia dúzia de bolachas distribuídas para os alunos, sopa de chuchu e quiabo também já foi distribuídas como merenda aos filhos e filhas de Arapiraca.

Sobre a saúde, segunda a denuncia, não a como fazer tomografias em crianças com idade inferior a 02 anos. Pois os aparelhos para esse objetivo não está funcionando por problemas técnicos e estruturais e os pais tem que se deslocar até a Capital, com carros e ambulâncias inadequadas, para poder fazer os exames e aos cidadãos arapiraquenses que pesam acima de 100 quilos não tem como fazer esse exame, é que não há aparelho que suporte o peso desses pacientes. Com relação às fisioterapias do centro de reabilitação, os pacientes  não estão fazendo o tratamento adequado, como foram reduzidos o quadro de funcionários que antes eram de 22 e agora são 06.

Sobre o posto de saúde da antiga CHOAB, hoje Planalto, que não tem instalações adequadas para atender pessoas doentes, o mesmo não tem espaço, o calor é insuportável, e há médicos do programa Mais Médicos que não entendem o que os pacientes falar e nem tão pouco os pacientes entendem o que eles falam. Ainda eles relataram que em Arapiraca só existe uma neuropediatra e que ela já chegou a atender 40 crianças por dia. E onde fica a qualidade desse atendimento? Por mais preparada que seja é humanamente impossível que um medica, ou qualquer profissional, atenda com a mesma dedicação todos os pacientes. Quando, no Maximo, ela atende 12 pacientes por dia no consultório particular.

O estarrecedor é algumas pessoas afirmaram que há vereadores de Arapiraca que estão dividindo entre eles as consultas e exames do município e distribuído como se fosse eles que os donos da boa saúde de Arapiraca. Segundo as denuncias, os senhores que não tiveram os nomes relatados ainda, usam os exames e consultas desviadas da população para se promoverem e se fortalecerem nas colheitas bienais, campanhas. E ainda há quem pegue esses direitos do povo de Arapiraca e as comercializem pela metade do preço do mercado.

Nesse palco fica o povo. E seus gerenciadores, na platéia, ditam e regem o coral da perversão.  Compartilham desejos e subsídios que podem decidir quem morre e quem vive. Mas não faz a mínima diferença para eles, pois o que todos lá querem não tem nada a ver com o povo de Arapiraca. O Povo de Arapiraca está nas mãos do desgoverno e sendo maltratado por alguns daqueles que estão para fiscalizar o governo e protegem a cidade. Mas esses, se verdadeiras a denuncias, não merecem representar o povo, não representam o povo, são mercadores da morte e que em troca do poder brincam com a vida do povo arapiraquense.