01/07/2015 09:55 - Atualizado em 02/07/2015 08:17

Um Elogio Irônico

 

Ontem recebi um elogio de um dos secretários municipais de Arapiraca, Sei que o tom usado  por ele foi meio  irônico, mas recebi com muito gosto, aquele elogio.

Isso mostra o quanto o trabalho que fazemos  para tornar público as mazelas de Arapiraca, mostrar o abandono que Arapiraca sofre, mostrar que a Cidade não aguenta mais esse desgoverno, não aguenta mais esse grupo que está no poder a 17 anos e que a historia dele na política arapiraquense tem que ter um fim. Pois já ofereceram tudo que poderiam oferecer e agora é a hora da alternância, é a hora renovação política e só poderemos iniciar a mudança a partir dos municípios, a partir da nossa sensibilidade e para com o povo arapiraquense. Cada cidadão de Arapiraca tem a responsabilidade para com seu povo, não nos embriaguemos por sorrisos frouxos, abraços vazios e tapinhas nas costas. O populismo e as artimanhas, desse grupo, cegam nossos sentidos, emudecem nossos anseios e ensurdece-nos do clamor do povo.

Temos o intuito de mostrar o que o povo sente e vive após esses 17 anos de reinado desse grupo político, mostrar e compartilhar as dores e anseio de um povo guerreiro, de um povo de boa fé e que acreditou em promessas vazias e que  sentiu o peso de suas escolhas nos dias atuais. Mostraremos sim, o que o é do povo e garantido pela constituição, pois antes das obrigações dos deveres o Estado tem que oferecer os direitos e em Arapiraca muitos deles estão sendo negligenciados. Basta olhar ao nosso redor que veremos provas da indignação dos arapiraquenses que são contrario ao governo atual. Já os que apóiam o governo, esses tem seu quinhão emanado do erário municipal e que contam com a ajuda causada pelo silêncio dos Barões da Câmara Municipal.

Até agora os meus dois neurônios não entenderam a razão do secretario me chamar de “BONITINHO”, pois só vejo e escrevo a realidade que tanto incomoda o povo de Arapiraca. Ou talvez o secretário e seus iguais não entendam que o que escrevo é coisa séria , é coisa que o povo anseia, carece e suplica. Talvez eu tenha que ser mais sério doravante?