14/07/2015 17:19 - Atualizado em 14/07/2015 18:06

Arapiraca: O Declínio de Um Grupo ou a Maquina É Mais Forte Que o Desejo de Mudanças?

 

Após quase duas décadas no poder, o grupo político de Célia Rocha conduz a cidade em meio ao caos e a inércia do desenvolvimento local, sua popularidade cai a cada dia, a admiração de outrora deu lugar as criticas e decepções, o povo se vê abandonado por sua atua gestão. A gestora raramente se pronuncia e seus comandados estão indo a TV constantemente com a missão de amenizar os efeitos do desgaste do governo.

· Processos seletivos simplificados sendo realizados periodicamente, mesmo tendo aprovados em concurso sem serem nomeados
· Ruas sem iluminação pública
· Avenidas e ruas esburacadas
· Construções públicas como creches, unidades de saúde, academias da saúde abandonadas.
· Problemas com processos trabalhistas
· Perseguições a Trabalhadores Ambulantes
· Arrocho ao Comercio Local
· Servidores em busca de informações sobre o Regime Próprio.

A população clama por um novo nome, clama por alguém que liberte a cidade desse grupo político que está no poder a 18 anos e já mostra sinais de desgaste e do declínio político. Muitos acham que as últimas gestões entregaram a cidade a grupos políticos de outras cidades. Alguns falam que esse grupo que governa Arapiraca desde 1998 se articulou para fragilizar outros grupos locais a fim de se perpetuar no poder e não vemos nomes do passado sendo colocados para concorrer às eleições majoritárias. Se não há representantes de um passado e suas famílias tradicionais, que esse novo ciclo vicioso dê lugar a uma oxigenação da política municipal.

Há Outros nomes que concorreram nos últimos pleitos, sobre seus ombros caiem a desconfiança dos eleitores, pois uns entraram por emoção, vaidade ou pedidos individuais da ajuda divina. Ajudando ao atual grupo permanecer no poder. E outro nome, mesmo com uma história política, não tem expressão política para vencer qualquer embate eleitoral. Esse último possui a síndrome do segundo colocado e é figura desgastada na política local.

No cenário nacional vimos o declínio político de vários grupos e isso é o desejo de uma maioria da população, que está cansada de ser conduzida, por décadas, e não sente melhoras. No Máximo o que os gestores oferecem são marolas de benefícios assistencialistas, nomeações em cargos públicos, processos seletivos simplificados que acontece pouco tempo antes de concursos públicos e após a realização dos mesmos, formação de grupos que apenas servem para perpetuar a permanecia dos que estão no poder.

Qual novo nome surgirá para abolir Arapiraca? Quem realmente não está ligado ao grupo que comanda a cidade? Uma vez que muitos não se sustentam, ao apagar das luzes, e são atraídos pelo poder da maquina. Somos uma democracia? Ou estamos na Grécia Antiga e sua Oligarquia Espartana? Ou voltamos à primeira Republica do Brasil que durou de 1889 a 1930, quando só um pequeno grupo, A Política do Café com Leite, ditava as regras de um povo? Ecoa o grito de liberdade e Arapiraquenses clamam por mudanças, clamam por um novo caminho.