16/08/2015 11:18 - Atualizado em 16/08/2015 11:22

Mordaças, Algemas e Vendas aos Professores de Alagoas?

 

As salas de aula são locais de aprendizados, de evolução humana, de libertação da indução aos que comandam há tempos as redias de uma nação. Querem que a educação se limite em apertar botões e torcer por políticos de carreira, políticos que só aparecem a cada dois anos como se fossem rações periódicas que curam as mazelas de um povo. Estão tentando cegar um povo que inicia a enxergar seu papel na sociedade; estão querendo calar os Mestres que libertam esse povo, os mestres que não estão em dividas pessoais com políticos ou alienados por uma tradição mesquinha que dá continuidade a perpetuação, no poder, dos profissionais da política.

Estão tentando tirar a liberdade que os Professores possuem de fazer seus alunos questionarem assuntos que os afligem e os amordaçam. Essa liberdade parcial limita os serem que buscam conhecimento, favorecem os poderosos que comandam e aliena a massa carente e com seus sorrisos frouxos, abraços vazios e tapinhas nas costas fingem proteger o povo. A liberdade causa pavor aos que preferem se esconder entre uma eleição e outra, causa pavor aos que proporcionam letargia no desenvolvimento da sociedade; a contra gotas propagam esperanças não alcançáveis por soldados que defendem fervorosamente a ideia a perpetuação e a continuidade de mandatos.

Querem colocar a Educação de Alagoas em um labirinto e amputar a possibilidade do conhecimento, querem castrar as ações que produz o pensamento questionador, querem torna estéril a liberdade no aprendizado, querem transformar um povo em zumbis sociais. Um provérbio brasileiro arbitrário, unilateral e contra a sociedade diz que: Política, futebol e religião não se discutem. Claro que querem propagar isso,  seres limitados de pensamento e de compreensão da sociedade são mais fáceis de serem conduzidos. São gados, ovelhas e galinhas que são levados aos matadouros, matadouros esses que estão diariamente representados no setor da educação, saúde e segurança.

Hitler queimou livros; aqui tenta calar o professor; tentam limitar a sociedade; tentam podar as ideias que alimentam a evolução social; tentar trancar as cavernas, que Platão informou, para que os seres não enxerguem o mundo fora da alienação dos anseios partidários. Se finda o livre arbítrio e colocam uma liberdade vigiada, uma liberdade assistida, uma liberdade controlada, uma pena que pune os que simplesmente tentam entender a sua sociedade e busca o saber através de Professores que estão comprometidos em melhorar a sociedade.

Manter a educação precária para que uma maioria não consiga se libertar de suas cavernas; manter o ser preso em currais e proibi-lo de ver o que há alem da sua catequização política; manter o povo na sua escravidão assistencialista. Esses são recursos usáveis aos que querem se perpetuar como um possível defensor do povo?

Liberdade de pensamento e a discussão em sala de aula  estimula o questionamento de determinados fatos sociais e transforma seres condutíveis por superstar da política em humanos de pensamentos livres. A castração disso os torna escravos dos tempos modernos. Conhecimento e informação sobre fatos sociais, pensamento político, sobre questões sociais não é doutrinação, doutrinação e se perpetuar nos cargos públicos e repetir velhos discursos vazios  a cada eleição e a tentativa e emudecer assuntos que proporcionam o ensinamento da ética e a liberdade dos grilhões postos por uma política viciada.