Ceará

Povos indígenas: SPS realiza cursos profissionalizantes em 16 municípios do Ceará

povos-indigenas:-sps-realiza-cursos-profissionalizantes-em-16-municipios-do-ceara
Povos indígenas: SPS realiza cursos profissionalizantes em 16 municípios do Ceará

Os povos indígenas do Ceará serão completados com cursos profissionalizantes oferecidos pela Secretaria da Proteção Social (SPS). Os cursos acontecerão nos territórios indígenas que ficam em 16 municípios cearenses. Através do Programa Criando Oportunidades, os povos originários do Ceará terão cursos de diferentes áreas, como administração, gastronomia, estética e mídias sociais, dentre outras tipologias.

Participam dos cursos povos das etnias Tremembé, Tabajara, Tubiba-Tapuya, Kariri, Potyguara, Tapeba, Kanindé, Pitaguary, Kalabaça e Tapuya-Kariri. Além das capacitações, serão entregues kits de trabalho para que as pessoas iniciem sua trajetória profissional.

Cursos começam dia 06 de maio

Ao todo, serão realizadas 17 turmas, cada uma com 20 alunos. A primeira turma inicia no dia 6 de maio, no município de Tamboril. O território contempla povos das etnias Potyguara e Tabajara. Neste primeiro momento, será ofertado o curso de Auxiliar de Eletricista, para o povo Tabajara, que fica na aldeia São Miguel.

“São 35 km da Aldeia São Miguel até o centro de Tamboril, em época de cheia do rio, fica quase impossível sair daqui para a cidade e trazer para o chão da nossa aldeia essa capacitação vai facilitar muito a participação do nosso povo neste curso. Esta oportunidade será a porta de entrada para que venham outras capacitações profissionais até as nossas aldeias”, celebra Elisa Potyguara, que é liderança dos povos Potyguara e Tabajara.

Elisa ainda lembra que a capacitação já vinha sendo solicitada pelos povos Potyguara e Tabajara. “Todo o processo está sendo feito junto com a gente, desde as inscrições, que estamos articulando dentro da aldeia, divulgando e ouvindo os futuros alunos para definirmos juntos os melhores dias e horários para o curso, até as tipologias dos cursos, que foram escolhidas depois de muita conversa com as lideranças de cada território. Agradecemos muito a SPS por ter esse olhar mais humanizado e cuidadoso com nosso povo e também a Secretaria dos Povos Indígenas por lutar para que estas oportunidades cheguem aos diversos municípios onde estão nossos parentes”, complementa a liderança.

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

A segunda turma, que inicia no mês de junho, vai contemplar a aldeia Lagoa dos Tapeba, que fica no distrito de Capuan, em Caucaia. Kilvia Tapeba é presidente da Associação de Mulheres Indígenas Tapeba (Amita) e conta que muitas pessoas das 18 aldeias do povo tapeba, não conseguem se capacitar em cursos profissionalizantes por conta da distância das aldeias até o centro da cidade.

“Representa muito para nós que a SPS traga estes cursos para dentro das nossas aldeias, facilitando a inclusão e o acesso do nosso povo aos cursos profissionalizantes e ao mercado de trabalho”, ressalta Kilvia, que ainda pontua a importância de promover autonomia financeira para o povo indígena, sobretudo para as mulheres, que em grande parte, ainda têm dependência financeira de seus maridos.

“Vamos realizar o curso de Designer de Sobrancelhas e Micropigmentação porque já era um desejo de muitas mulheres da nossa aldeia, que estão esperando ansiosas para aprender as técnicas do curso para que possam ter sua própria renda e sua liberdade financeira”, explica Kilvia Tapeba.

A coordenadora de Inclusão Social da SPS, Jéssica Souza, destaca que o Criando Oportunidades capacitou, entre 2023 e 2024, 5.893 pessoas. “Levar estes cursos para territórios indígenas é muito importante para nós que coordenamos o programa, pois estamos ajudando efetivamente a diminuir as vulnerabilidades destas comunidades. Queremos incentivar jovens e adultos destes territórios para que se capacitem e transformem suas trajetórias através da inclusão social e profissional”, destaca Jéssica Souza.

O Programa Criando Oportunidades é coordenado pela Secretaria da Proteção Social (SPS) e atua em todo o Ceará, capacitando mulheres chefes de família cadastradas no CadÚnico, trabalhadores em busca de emprego e grupos socialmente vulneráveis. Além das qualificações, também são entregues kits instrumentais de trabalho aos alunos com mais de 75% de presença.

Onde tem povos indígenas no Ceará

Os 16 municípios onde tem povos indígenas no Ceará são: Tamboril, Caucaia, Boa Viagem, Acaraú, Canindé, Crateús, Crato, Itapipoca, Itarema, Maracanaú, Monsenhor Tabosa, Novo Oriente, Pacatuba, Poranga, Quiterianópolis e São Benedito.

Com informações do Governo do Estado

Leia também | Conheça o povo Pitaguary do Ceará e a árvore de 300 anos, símbolo da comunidade

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Fonte: gcmais.com.br