Fortaleza

Adolescente tem casa invadida e é morto com tiros na cabeça na Grande Fortaleza

adolescente-tem-casa-invadida-e-e-morto-com-tiros-na-cabeca-na-grande-fortaleza
Adolescente tem casa invadida e é morto com tiros na cabeça na Grande Fortaleza

Um adolescente de 17 anos foi morto a tiros dentro da própria casa, após um homem invadir a residência e disparar várias vezes contra a cabeça do jovem. Francisco Lázaro de Assis Silva foi encontrado morto na localidade de Sítios Novos, zona rural de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Equipes de agentes do 12º Batalhão da Polícia Militar do Ceará (PMCE) se direcionaram até o local e lá identificaram o rapaz. Conforme análises iniciais, teria sido usado um revólver para tirar a vida de Francisco Lázaro. As forças de segurança trabalham com a hipótese de execução por rivalidade entre grupos criminosos.

Leia mais | Moradores de rua brigam, tentam invadir hospital infantil e são presos em Fortaleza

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

Os policiais informam que ele não havia sido apreendido pelas forças de segurança, mas ele teria alguma simpatia com um dos grupos criminosos que atuam na região, o que poderia ter gerado inimizades. O jovem chegava a publicar na internet fotos fazendo gestos que aludiam a esse grupo.

Profissionais da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também estiveram presentes, para colher material para a análise pericial. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Os policiais civis informam que há ainda mais informações coletadas sobre o caso que só deverão ser repassadas à imprensa no momento oportuno, de modo a não atrapalhar as investigações.

 >>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

Fonte: gcmais.com.br