Fortaleza

Animais abandonados no campus da Uece recebem coleiras antiparasitárias

animais-abandonados-no-campus-da-uece-recebem-coleiras-antiparasitarias
Animais abandonados no campus da Uece recebem coleiras antiparasitárias

A Secretaria de Proteção Animal do Ceará (Sepa) realizou, na manhã desta quinta-feira (9), um encoleiramento antiparasitário em cachorros no campus Itaperi da Universidade Estadual do Ceará (Uece). O encoleiramento contribui para a saúde pública, reduzindo o risco de transmitir doenças para outros animais e humanos.

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

As coleiras protetoras possuem tecnologia que protege contra a infecção por pulgas, carrapatos e até mesmo do mosquito-palha, transmissor da leishmaniose visceral (calazar). Além disso, esses itens não soltam cheiro e não agridem o pelo dos animais.

Essa é a segunda ação de encoleiramento antiparasitário da Sepa, que já beneficiou os animais que vivem no campus do Pici da Universidade Federal do Ceará (UFC) em abril. A coleira é utilizada em cães no Brasil desde 2007 como uma ferramenta individual de controle da leishmaniose visceral.

Ao contato com a pele, libera o princípio ativo (deltametrina 4%) de forma lenta, repelindo a aproximação do vetor de transmissão da doença. A ação em questão interrompe o ciclo de transmissão do parasita, reduzindo, consequentemente, o risco de contaminação de outros animais ou seres vivos.

>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Animais abandonados na Uece recebem coleiras antiparasitárias

Os tutores de animais também podem receber as coleiras nos pontos do Pet Ceará Móvel.

O serviço funciona de segunda a sábado, das 7h às 12h, e das 13h às 16h, e aos domingos, das 7h às 12h, com retirada de fichas por ordem de chegada. Duas unidades estão em funcionamento, uma no Parque Dom Aloísio Lorscheider, no bairro Itaperi, e a outra na Praça Paula Ney, no Henrique Jorge, ambos em Fortaleza.

Leia também | Fortaleza terá Dia D de vacinação contra influenza neste sábado (20); confira os locais

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Fonte: gcmais.com.br