Ceará

Maria da Penha recebe proteção após ameaças nas redes sociais

maria-da-penha-recebe-protecao-apos-ameacas-nas-redes-sociais
Maria da Penha recebe proteção após ameaças nas redes sociais

Maria da Penha Maia Fernandes, ativista na luta contra a violência doméstica no Brasil, receberá proteção após ser alvo de uma série de ameaças nas redes sociais. Os ataques partiram de membros da extrema-direita e de grupos “red pills” e “masculinistas”, conhecidos por disseminar ódio contra as mulheres em comunidades digitais.

A Ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, confirmou pessoalmente a medida de proteção a Maria da Penha durante uma visita à Fortaleza. A decisão já havia sido articulada com o Governo do Ceará, que agora intensifica os esforços para garantir a segurança da ativista.

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

O governador do Ceará, Elmano de Freitas, anunciou nas redes sociais que Maria da Penha será protegida pelo Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos. “Tomei conhecimento das ameaças sofridas pela ativista Maria da Penha por grupos de comunidades digitais que disseminam ódio contra as mulheres. São ações repugnantes e inadmissíveis”, afirmou o governador.

“Manifesto todo o meu apoio a essa grande mulher, que transformou a dor de ter sido vítima em força para lutar contra a violência motivada pelo machismo. Ressalto ainda que será construído um memorial na casa onde aconteceu o crime contra Maria da Penha. O objetivo é evidenciar ainda mais a importância de fortalecer ações e políticas de combate à violência contra a mulher”, concluiu o governador.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Além da proteção por agentes de segurança do estado, a residência de Maria da Penha será transformada em um memorial. A ministra Cida Gonçalves informou que o local servirá como referência no combate à violência contra a mulher, perpetuando a memória e a luta da ativista.

Maria da Penha, nascida em Fortaleza, graduou-se em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em 1966. Em 1983, foi vítima de uma dupla tentativa de feminicídio por seu então marido, que resultou em sua paraplegia após um tiro na coluna. Sua incansável luta por justiça culminou na sanção da Lei Maria da Penha em 7 de agosto de 2006, uma das legislações mais importantes no combate à violência contra as mulheres no Brasil.

Leia também | Bom Jardim recebe a quinta edição do Prefeitura Chega Junto, neste sábado (8)

>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Fonte: gcmais.com.br