Ceará

Pequenos negócios impulsionam geração de empregos no Ceará no primeiro trimestre de 2024

pequenos-negocios-impulsionam-geracao-de-empregos-no-ceara-no-primeiro-trimestre-de-2024
Pequenos negócios impulsionam geração de empregos no Ceará no primeiro trimestre de 2024

No primeiro trimestre de 2024, as micro e pequenas empresas (MPEs) do Ceará se destacaram como os principais geradores de empregos formais no estado, contribuindo com a criação de 8 mil postos de trabalho com carteira assinada. Esse número representa impressionantes 71,44% do total de 11.197 empregos formais criados no período, de acordo com um estudo do Sebrae, baseado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Nesse mesmo período, as Médias e Grandes Empresas (MGEs) do estado geraram um saldo de 746 empregos, enquanto a Administração Pública contribuiu com 426 novas vagas. Comparado ao mesmo período do ano anterior, o saldo de empregos nas MPEs cresceu 16,43%.

Os setores que mais se destacaram na geração de empregos entre os pequenos negócios foram os Serviços, com a criação de 6.372 postos de trabalho, seguido pela Construção, com 1.429 empregos, e a Indústria da Transformação, com 1.021 empregos. No entanto, o setor do Comércio registrou um saldo negativo de 977 demissões.

No mês de março, os pequenos negócios cearenses continuaram liderando a geração de empregos, com a criação de 2.977 novas vagas, o que representa 48,13% do total de 6.135 empregos formais gerados no estado. No mesmo período, as MGEs tiveram um saldo de 2.844 empregos, e a Administração Pública registrou 267 novas vagas.

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

No segmento dos Serviços, foi novamente observado um alto número de contratações, com um saldo de 2.801 empregos formais no mês de março. A Indústria da Transformação também teve um desempenho positivo, com 562 novas contratações, enquanto o setor da Construção apresentou um saldo negativo de 445 demissões.

Cenário brasileiro

Em março, as micro e pequenas empresas (MPEs) foram responsáveis por 60% dos novos empregos gerados no mercado brasileiro, contribuindo com a criação de 146,4 mil vagas, de um total de 244,3 mil empregos criados em todo o país. Os setores que mais se destacaram em termos de contratações foram Serviços (76.186), Comércio (23.504) e Construção (22.210).

Para o presidente nacional do Sebrae, Décio Lima, esse desempenho reflete o bom momento da economia brasileira, somando-se a outros resultados positivos, como a redução das taxas de juros e o aumento das projeções para o Produto Interno Bruto (PIB).

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

“Nossos indicadores econômicos mostram que estamos no caminho certo. Apenas nos três primeiros meses deste ano, foram criadas mais de 719 mil vagas de emprego, sendo mais de 429 mil provenientes das micro e pequenas empresas. Com o programa Acredita Brasil, os pequenos empreendimentos terão ainda mais oportunidades de gerar emprego e renda em todo o país. Em parceria com o governo federal, o Sebrae oferece condições para que os empreendedores possam renegociar suas dívidas e acessar crédito assistido, com garantia do nosso fundo de aval”, destaca Décio Lima.

No primeiro trimestre de 2024, o Brasil registrou um saldo de 719.033 novas contratações, dos quais 429.703 foram atribuídas às MPEs, representando cerca de 60% do total, enquanto os médios e grandes empreendimentos responderam por 226,3 mil empregos.

Comparando com o mesmo período de 2023, os pequenos negócios apresentaram um crescimento de 21,9% no volume de novos postos de trabalho em todo o território nacional.

Leia mais | Duas pessoas são resgatadas das ferragens após acidente em rodovia no interior do Ceará

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<< 

Fonte: gcmais.com.br