Ceará

Cinco dias após o crime, veja o que se sabe sobre morte de enfermeira em discussão de trânsito em Fortaleza

cinco-dias-apos-o-crime,-veja-o-que-se-sabe-sobre-morte-de-enfermeira-em-discussao-de-transito-em-fortaleza
Cinco dias após o crime, veja o que se sabe sobre morte de enfermeira em discussão de trânsito em Fortaleza

Nesta segunda-feira (20), completa cinco dias desde a morte da enfermeira Jandra Mayandra da Silva Soares, de 36 anos, após uma discussão de trânsito no bairro Pirambu, em Fortaleza. A gestora hospitalar foi vítima de um homicídio na noite da última quarta-feira (15), nas proximidades da Marinha na Avenida Leste Oeste.

Morte de enfermeira após discussão no trânsito em Fortaleza

Dinâmica do Crime

Segundo uma testemunha, Jandra estava voltando para casa quando uma colisão entre uma motocicleta e seu carro ocorreu. O motociclista seguiu a enfermeira até o cruzamento da Avenida Leste-Oeste com a Rua Hélio Campos, onde, próximo a um semáforo, atirou contra Jandra, resultando em sua morte imediata.

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

Sequência dos Acontecimentos

Relatos indicam que o motociclista colidiu com o carro de Jandra duas vezes antes de cometer o crime. A primeira colisão aconteceu em um semáforo, onde ele bateu na traseira do carro. A enfermeira continuou a dirigir, mas foi novamente atingida no retrovisor pelo mesmo motociclista. Após uma troca de insultos, o agressor disparou três vezes contra Jandra, que estava acompanhada de outra mulher no veículo. A passageira não sofreu ferimentos, e o criminoso fugiu do local.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

Investigações e Contexto

A Polícia Civil do Ceará está investigando a possibilidade de que o crime tenha sido uma execução planejada. De acordo com informações da TV Cidade, Jandra havia recebido ameaças anteriormente e registrado um boletim de ocorrência no ano passado. As ameaças foram feitas por meio de um aplicativo de mensagens, e a enfermeira temia por sua integridade física.

As autoridades estão considerando a hipótese de que a colisão foi um método utilizado pelo motociclista para confirmar a identidade da vítima. A placa da motocicleta estava coberta, dificultando a identificação pelas câmeras de segurança da avenida.

Perfil da Vítima

Jandra Mayandra era natural de Floriano, no Piauí, e residia em Iparana, Caucaia, há aproximadamente 10 anos. No Ceará, ela trabalhava na central de algumas unidades de pronto atendimento (UPAs) de Fortaleza. A notícia de sua morte chocou a comunidade local, levantando preocupações sobre a segurança no trânsito e a violência urbana.

Leia também |Dona de loja de luxo suspeita de aplicar golpes usando nome dos clientes é presa no Ceará

>>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

Fonte: gcmais.com.br