Ceará

Homem com tornozeleira eletrônica morre em acidente logo após roubar moto de entregador

homem-com-tornozeleira-eletronica-morre-em-acidente-logo-apos-roubar-moto-de-entregador
Homem com tornozeleira eletrônica morre em acidente logo após roubar moto de entregador

Um homem que usava tornozeleira eletrônica morreu em um acidente de trânsito no bairro Papicu, em Fortaleza, logo após roubar a moto de um entregador por aplicativo. A ocorrência se deu no cruzamento da Rua Otávio Lobo com Joaquim Lima.

Conforme informado, o homem teria chegado no estacionamento de um supermercado, nas proximidades, e usou uma faca para render o entregador. Ele então pegou a motocicleta da vítima e partiu na Rua Otávio Lobo, tendo sido atingido no cruzamento por uma caminhonete.

Leia também | Irmão mata irmão durante bebedeira por causa de música na Grande Fortaleza

>>>Clique aqui para seguir o canal do GCMAIS no WhatsApp<<<

Após o ocorrido, as forças policiais foram acionadas e equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) foram até o local da ocorrência. Servidores da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também se fizeram presentes. O trecho ficou interditado, enquanto os profissionais levantavam informações e coletavam o material necessário.

Homem com tornozeleira morre em acidente após roubar moto de entregador

O assaltante chegou a ser atendido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

>>>Siga o GCMAIS no Google Notícias<<<

>>Acompanhe o GCMAIS no YouTube<<<

A polícia segue investigando o caso, buscando mais informações, inclusive para saber se o criminoso teria realizado outros delitos na região antes do acidente que o matou.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

Fonte: gcmais.com.br